Thursday, April 24, 2014

Liberdade




No verde dos campos te semeio
e de mim nasces como um rio
nas ruas te festejo e te premeio
no vermelho dos cravos te sorrio

No amarelo do sol que nos aquece
desenho um malmequer que não desfolho
e ao branco da lua que te esconde
atiro beijos que chegam aos teus olhos

No azul do mar em que me deito
oiço cantos de sereias sem idade
descanso-me na rocha, e é já refeito
que em todas as cores te conquisto, Liberdade!

6 comments:

Luis Eme said...

Belo dia da Liberdade para ti, Maria.

beijinhos

Agulheta said...

Feliz dia para comemorar a liberdade,não devemos deixar passar o que teimam a toda a hora.
Viva Abril.
Bjs

Nilson Barcelli said...

A liberdade é um estado natural.
Por isso, quem o contrariar mais tarde ou mais cedo é derrubado.
Magnífico poema, gostei imenso.
Maria, minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.
PS: já não te visitava há imenso tempo, mas vejo que continuas a escrever coisas maravilhosas.

Elvira Carvalho said...

É um belo poema Maria. Infelizmente a nossa Liberdade está cada dia mais estropiada.
Um abraço e bom fim de semana

heretico said...

inspiradíssimo poema. muito belo

beijo

Mar Arável said...

Até que as sombras se rebentem

Bj