Monday, March 11, 2013

Arco íris






Gostava de andar descalça. De sentir o fresco do chão e a humidade da terra. Por isso enterrava os pés quando passeava pela praia ou quando plantava flores. E gostava de andar à chuva, deixando que esta escorresse cara abaixo até os pingos entrarem na roupa e lhe molharem o corpo. Sentia-se assim parte integrante da Natureza.
No dia aprazado foi ao encontro que tinha marcado com o amado. Na ponte que atravessa o rio. Nessa ponte que os separa mas que também os une. Estiveram juntos todo o dia, fizeram o que ainda estava por fazer. Marcaram novo encontro para daqui a três meses, na mudança de estação. Voltou para casa. Começara a chuviscar e ainda teve tempo de ver o arco íris. Depois adormeceu. Em paz.

9 comments:

Rogério Pereira said...

Três meses, muito?
Para quem se quer tanto, o tempo nem conta... embora a espera doa

Paula Barros said...

Lendo pausadamente, pude sentir a areia nos pés, a umidade, a chuva, o encontro, e ver o arco-íris.
beijo

elvira carvalho said...

Excelente texto. Mas três meses? Quando se ama são uma eternidade.
Um abraço e uma boa semana

Pata Negra said...

O texto é sério demais para eu brincar: nunca gostei de andar descalço no pinhal, nem calçado na praia e nunca encontrei o amor na praia, foi sempre no pinhal!
Um abraço de três dias

heretico said...

beijo, Maria.

"descalça vai para a fonte/Leonor pela verdura..."

nada como fazer o que ainda não foi feito... bem feito!

Mar Arável said...

Tudo se move

mas é improvável agarrar o tempo

Luis Eme said...

bonito.

amoroso.

beijinhos Maria

Justine said...

Tão belo, Maria. E tão cheio de futuro...

joão marinheiro said...

Todos os arco-íris encerram em si o sonho e a paz tranquila das cores. Nós nunca perdemos as palavras...por vezes, demasiadas, os dedos ficam tolhidos e então sim, não se perdem mas amordaçam-se e não saem...
Gosto sempre das tuas visitas aos meus portos desabrigados...e que me tragas novas da nossa Ilha...
Beijo.