Monday, July 28, 2014

Intermitência


Queria saber dizer-te como me explodes no peito mas não me saem as palavras devem estar todas presas atadas no estômago e são tantas que nem consigo digeri-las apenas me faço chuva e olhar e braço abraço tão forte tão grito tão alívio tão quente tão... porque a saudade vem a seguir quando os pés chegarem ao chão agora pairas aqui em mim no ar que não respiro no mar de todas as lágrimas agora sei-te poema feito de tanto tudo quase estrela nascida em corpo renascido para a vida que ainda espera por ti inteiro total AMIGO e como as palavras não me fazem sentido hoje calo-me e abraço-te forte muito.

8 comments:

Rogerio G. V. Pereira said...

Não precisas dizer nada
basta teu abraço forte muito

mar said...

As tuas palavras são um grito no coração e o teu abraço é um mar de sentimentos.
beijos Maria
Adoro_TU

Leandro Luz said...

Legal, adorei o blog.
Voltarei mais vezes!
Abraço.

heretico said...

beijo, Maria

texto de grande beleza e emotividade.
muito expressivo apesar das palavras que calas.

Mar Arável said...

Há palavras que não mentem

Bjs

Justine said...

Continua a falar, mesmo que penses que as palavras não fazem sentido...

Elvira Carvalho said...

Um texto muito emotivo.
Quando der passe por
http://amulhereapoesia.blogspot.pt/
Um abraço

À margem.
Adorei o livro.

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.
Beijos a todos.