Monday, June 17, 2013

Sempre esperei por ti


Sempre esperei por ti. Pelos sonhos que queríamos sonhar.
No meu leito o silêncio e o frio.
Sempre esperei por ti. Pela vida que queríamos viver.
Nos meus braços a ausência e a saudade.
Sempre esperei por ti. Pelos beijos e pelo amor, que era nosso.
Em mim a dor do impossível.
Sempre esperei por ti. Tenho o teu nome em cada flor e em cada janela.
Mas não te tenho a ti.
No entanto, sempre esperei por ti...

7 comments:

Paula Barros said...

Essa esperas que causam um vazio enorme, são as que dão fruto a belos poemas. Poemas intensos, cheios de sentimentos e que tocam quem ler.
abraço

Luis Eme said...

és uma mulher paciente e poeta.

beijinhos Maria

vieira calado said...

Olá, boa noite!
O poema é muito bonito,
cheio de uma verdade que se vê que é... verdadeira!
Beijinho para si!

heretico said...

quem espera desespera? não parece, não parece...


beijo

Pedro Branco said...

Existe um frio no meu leito
Na espera que me faz tua
Rasgam-se-me as chagas no peito
E ainda sou história, assim nua...

Parto para memórias loucas
Entre a tristeza e a morte
Porque de tantas as lágrimas são poucas
Para me aconchegar a nossa sorte

Meu amor que vives no meu olhar
Respiras cada pedaço deste canto
De dentro dos poros deste chorar
Maré de ser entre a solidão e o pranto

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram por aqui.

Beijos.

Cris Caetano said...

Lindo... vou roubar. :)

Beijinhos, Maria