Monday, September 23, 2013

Memória de Pablo Neruda

Ao meu Partido

Deste-me a fraternidade para com o que não conheço.
Acrescentaste à minha a força de todos os que vivem.
Deste-me outra vez a pátria como se nascesse de novo.
Deste-me a liberdade que o solitário não tem.
Ensinaste-me a acender a bondade, como um fogo.
Deste-me a rectidão de que a árvore necessita.
Ensinaste-me a ver a unidade e a diversidade dos homens.
Mostraste-me como a dor de um indivíduo morre com a vitória de todos.
Fizeste-me edificar sobre a realidade como sobre uma rocha.
Tornaste-me adversário do malvado e muro contra o frenético.
Fizeste-me ver a claridade do mundo e a possibilidade da alegria.
Tornaste-me indestrutível, porque, graças a ti, não termino em mim mesmo.


Pablo Neruda

Morreu há precisamente 40 anos.

5 comments:

heretico said...

"graças a ti, não termino em mim mesmo..."

lapidar.

beijo

São said...

Esperemos que os resultados da autópsia sejam bem claros.

Saudações

Justine said...

A sua voz continua a ser clara e correcta!

OUTONO said...

...continuará!

Luís said...

Morreu mas tal como a sua poesia, há partidos que estão sempre em estado de nascimento e crescem a nascer, por isso, nunca morrem.
Um abraço nerudo
Pata Negra