Saturday, November 29, 2014

Arame



Que nunca se cale a ternura das palavras
e nunca se desfaçam os sonhos que trazes nas mãos
que das lágrimas que te escorrem se façam sementes
que ao cairem no chão possam ser fecundadas
pelas águas dos rios que te trespassam
e de novo possam surgir as árvores de verde folhagem
para abrigarem todos os pássaros quando chegar a primavera
não haverá mais gritos nem medos nem espadas
todas as crianças voltarão a brincar nas ruas
e a Natureza voltará em todo o seu esplendor
como se nunca tivesse havido um arame…

2 comments:

Sonica said...

Muito bonito, um excelente f.d.s.! Bj

heretico said...

"nem gritos, nem medos, nem espadas!..." - assim será a Vida.

assim saibamos construí-la!

beijo; querida Amiga