Wednesday, May 09, 2012

A Noite na Ilha


Dormi contigo a noite inteira junto do mar, na ilha.
Selvagem e doce eras entre o prazer e o sono,
entre o fogo e a água.
Talvez bem tarde nossos
sonos se uniram na altura e no fundo,
em cima como ramos que um mesmo vento move,
embaixo como raízes vermelhas que se tocam.
Talvez teu sono se separou do meu e pelo mar escuro
me procurava como antes, quando nem existias,
quando sem te enxergar naveguei a teu lado
e teus olhos buscavam o que agora - pão,
vinho, amor e cólera - te dou, cheias as mãos,
porque tu és a taça que só esperava
os dons da minha vida.
Dormi junto contigo a noite inteira,
enquanto a escura terra gira com vivos e com mortos,
de repente desperto e no meio da sombra meu braço
rodeava tua cintura.
Nem a noite nem o sonho puderam separar-nos.
Dormi contigo, amor, despertei, e tua boca
saída de teu sono me deu o sabor da terra,
de água-marinha, de algas, de tua íntima vida,
e recebi teu beijo molhado pela aurora
como se me chegasse do mar que nos rodeia.


Pablo Neruda

(faço uma pausa. necessária. 
preciso de ir até à ilha. um dia eu volto)

14 comments:

elvira carvalho said...

E não podia ter-nos deixado em melhor companhia.
Um abraço e volte logo.

Hanaé Pais said...

Neruda, "eu" e a ilha de mãos dadas.

" Observava a névoa que vinha do mar e envolvia a ilha e a grande casa, na bruma descolorada, num tempo coalescente de singela chegada."

Flor de Alvarado

Pitanga Doce said...

Que encontres, na ilha, companhia que te declame um poema igual. Um amor igual.

Boa noite Maria.

E eu...sem ilha.

Filoxera said...

Bebe da ilha toda a serenidade e mais inspiração.
Um abraço de quem te gosta tanto...

trepadeira said...

E os amigos aqui esperam,sentados no rochedo,com Neruda.

Um abraço,
mário

A.S. said...

Belo! Muito belo Maria...


Beijos,
AL

Justine said...

Comovente, o poema de Neruda! Em tempos de fragilidade a poesia soa mais fundo...
Apetecia-me ir até à ilha, também...
Repousa e volta revigorada.
Um beijo enorme (e obrigada pelo teu carinho)

Lídia Borges said...

O amor, na voz dos poetas é a eternidade do sempre belo.

Excelente escolha!

Um beijo

BlueShell said...

A essência que "pablo" tão bem "captou"!
Obrigada por este momento, querida amiga! Bj

O Puma said...

Agauarda-te

o meu beijo

heretico said...

beijo.
que a Ilha esteja repleta de flores...

samuel said...

Dois beijos... um para consumir já, o outro apenas no regresso. :-)

Luis Eme said...

melhor escolha não poderia haver, nesta tua partida para a Ilha dos teus Amores.

beijinho Maria

João P. said...

Maria:

Logo agora que eu disponho de um pouco de mais tempo após ter estado envolvido na organização de um curso internacional...

Logo voltas!

beijo

João