Monday, September 03, 2012

Fala do velho do restelo ao astronauta




Aqui, na Terra, a fome continua,
A miséria, o luto, e outra vez a fome.

Acendemos cigarros em fogos de napalme
E dizemos amor sem saber o que seja.
Mas fizemos de ti a prova da riqueza,
E também da pobreza, e da fome outra vez.
E pusemos em ti sei lá bem que desejo
De mais alto que nós, e melhor e mais puro.

No jornal, de olhos tensos, soletramos
As vertigens do espaço e maravilhas:
Oceanos salgados que circundam
Ilhas mortas de sede, onde não chove.

Mas o mundo, astronauta, é boa mesa
Onde come, brincando, só a fome,
Só a fome, astronauta, só a fome,
E são brinquedos as bombas de napalme.

José Saramago
(In OS POEMAS POSSÍVEIS, Editorial CAMINHO, Lisboa, 1981. 3ª edição)

6 comments:

trepadeira said...

Tão actual.

Um abraço,
mário

Rogério Pereira said...

Continuamos, sem emenda
"Acendemos cigarros em fogos de napalme"

Justine said...

Oportuno, muito oportuno!
Até sábado, amiga?
Beijo e saudades

C Valente said...

Tanta verdade
Saudações amigas

samuel said...

E com a voz do Manel, então... :-)

Abreijo.

mfc said...

Um abraço neste presente de luta!