Tuesday, September 11, 2007

Há 34 anos, no Chile


"Trabajadores de mi Patria, tengo fe en Chile y su destino. Superarán otros hombres este momento gris y amargo en el que la traición pretende imponerse. Sigan ustedes sabiendo que, mucho más temprano que tarde, de nuevo se abrirán las grandes alamedas por donde pase el hombre libre, para construir una sociedad mejor.

¡Viva Chile! ¡Viva el pueblo! ¡Vivan los trabajadores!

Estas son mis últimas palabras y tengo la certeza de que mi sacrificio no será en vano, tengo la certeza de que, por lo menos, será una lección moral que castigará la felonía, la cobardía y la traición."

(Excerto do último discurso de Salvador Allende, assassinado no assalto ao Palácio de La Moneda)


HOMENAGEM AO POVO DO CHILE

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que tombaram pelo Chile
morrendo de corpo inteiro

Nas suas almas abertas
traziam o sol da esperança
e nas duas mãos desertas
uma pátria ainda criança

Gritavam Neruda Allende
davam vivas ao Partido
que é a chama que se acende
no Povo jamais vencido
– o Povo nunca se rende
mesmo quando morre unido

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que tombaram pelo Chile
morrendo de corpo inteiro.

Alguns traziam no rosto
um ricto de fogo e dor
fogo vivo fogo posto
pelas mãos do opressor.
Outros traziam os olhos
rasos de silêncio e água
maré-viva de quem passa
Uma vida à beira-mágoa.

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que tombaram pelo Chile
morrendo de corpo inteiro.

Mas não termina em si próprio
quem morre de pé. Vencido
é aquele que tentar
separar o povo unido.
Por isso os que ontem caíram
levantam de novo a voz.
Mortos são os que traíram
e vivos ficamos nós.

Foram não sei quantos mil
operários trabalhadores
mulheres ardinas pedreiros
jovens poetas cantores
camponeses e mineiros
foram não sei quantos mil
que nasceram para o Chile
morrendo de corpo inteiro.

José Carlos Ary dos Santos

57 comments:

Maria said...

A TODOS OS AMIGOS QUE POR AQUI PASSAM:

NOS PRÓXIMOS DIAS NÃO VOU TER NET.... VOU ATÉ À ILHA... SERÁ A DESPEDIDA DESTE ANO.
FICAREI POR LÁ ATÉ O MAR DEIXAR... GOSTAVA DE VER, LÁ, O EQUINÓCIO...
AS FOTOS DEPOIS HÃO-DE EXPLICAR... ESPERO.

UMA BOA SEMANA A TODOS, BEIJINHOS E ABRAÇOS

Teresa Durães said...

sei que ler Isabel Allende é uma fraca maneira de chegar próximo do povo do Chile. Desde há muito que tenho curiosidade de aprofundar a História desse povo. A America Latina é reconhecida pela mortandade em cada revolução e (re)ler a História dá sempre volta ao estômago.

Gostei bastante desta homenagem que aqui colocaste. Parabéns!

Teresa Durães said...

(li agora o teu comentário. Que os Deuses te acompanhem!)

beijos

bettips said...

Estava no sítio abaixo... E aqui, depois de lembrar Adriano, lembrei a outra voz: ouço-a dentro. Não tenho palavras para a dor do Chile, e o tempo todo passado...e todo o que ainda passará pelos que lutam por um ideal mais humano e mais justo. Leva o meu coração para a ilha, Maria. Areja-o, sacode-o como a um tapete. Vive por mim a utopia do silêncio com esse mar todo à volta. Bjs

João JR said...

Adorei este texto...FABULOSO!!!! Belissima homenagem!
E desejo que Deus te guie vás para onde fores, e te traga de volta muito feliz:) Cá te espero amiga!
Boa viagem, boa estadia:)
Beijinho grande!

Sophiamar said...

Um post FABULOSO! Há dias que não podem ser esquecidos. Este é um deles. Ergamos a nossa voz para exigir PAZ, PÃO, LIBERDADE.

Beijinhos

LB said...

Boa viagem, boa estadia, bom equinócio... e boas fotos!

Beijinho

samuel said...

Yo pisaré las calles nuevamente

(Pablo Milanés)


Yo pisaré las calles nuevamente
de lo que fue Santiago ensangrentada,
y en una hermosa plaza liberada
me detendré a llorar por los ausentes.

Yo vendré del desierto calcinante
y saldré de los bosques y los lagos,
y evocaré en un cerro de Santiago
a mis hermanos que murieron antes.

Yo unido al que hizo mucho y poco
al que quiere la patria liberada
dispararé las primeras balas
más temprano que tarde, sin reposo.

Retornarán los libros, las canciones
que quemaron las manos asesinas.
Renacerá mi pueblo de su ruina
y pagarán su culpa los traidores.

Un niño jugará en una alameda
y cantará con sus amigos nuevos,
y ese canto será el canto del suelo
a una vida segada en La Moneda.
-------------------------
Desculpem o tamanho do "comentário".
Abraço.

Belzebu said...

Uma homenagem mais que justificada a alguém que pretendia um Chile melhor e mais justo, mas que o sinistro Augusto, com o apoio dos mesmos de sempre, não permitiu!

Aquele abraço infernal!

P.S. Será que é possível trazeres um pouco do ar da ilha, para purificar o nosso?

Naeno said...

TEM DIA

Tem dia que eu não ouço
Não digo
Não ligo
Nem faço raiva a ninguém
Mas também tem dia
Que eu mesmo tomo um sumiço
Que nem sei que diabo é isso
Que em teus braços me faz bem.

Tem dia que eu nada faço
Esqueço a dor e o cansaço
Desfaço um laço contigo
Mas depois corro perigo
Me abraço com teu feitiço
O meu maior inimigo
O mal que dorme contigo
O amor que me faz bem.

Tem dia em que me pego
Querendo que anoiteça
Que o sol descanse, escureça
Pr'eu esfriar a cabeça
E antes que eu me esqueça
Tem dia que quero isso
Tem dia que quero abrigo
Que sonho teu ombro amigo
Tem dia eu que sou ninguém.

Um beijo
Naeno

maresia_mar said...

Minha kida Maria,
vim mesmo só deixar-te um beijo e dizer que tenho muitas saudades de te ler, mas tão cedo não me vou poder dedicar aos blogues, o trabalho não deixa.
Um beijo e não te esqueças de ser feliz

rui said...

Olá Maria

Diverte-te na Ilha.
Beijinhos

Manuelinho said...

Um contraponto interessante aos atentados (?) nos USA.
Deixo-te o último poema de Vitor Jara..

Somos cinco mil
nesta parte da cidade.
Somos cinco mil.
Quantos seremos no total
nas cidades e em todo o país?
Somente aqui, dez mil mãos que semeiam
e fazem andar as fábricas.
Quanta humanidade
com fome, frio, pânico, dor,
pressão moral, terror e loucura!...
Que espanto causa o rosto do fascismo!...
É este o mundo que criaste, meu Deus?
Foi para isto os teus sete dias de assombro e de trabalho?

Beijos

Luis Eme said...

Boa passagem pela Ilha.

Abraços

Edna B. said...

sentiremos a falta, aproveite bem Maria!
Fiquei encantada com sua bela homenagem.
abra�os

Edna B. said...

sentiremos sua falta*
desculpe Maria a pressa me fez digitar errado.

isabel said...

Bela homenagem ao povo chileno!

Eu também ia agora uns dias para uma ilha. Só uns dias.

Boa viagem maria.

Beijos

borrowing me said...

que boa homenagem.
vim deixar beijinhos

amigona avó e a neta princesa said...

Chego aqui e vejo que as duas pensamos o mesmo só que ao contrário!Eu foi o Chile e depois a festa, tu a festa e o Chile depois, o que está mais certo! Mas como tenho tido problemas de tempo só agora vim ao teu cantinho.O dia 11 de Setembro é sempre um dia difícil...é o dia das televisões e jornais lembrarem o 11 de Setembro e as cerca de 3000 vítimas das Torres mas esquecendo os mais de 3000 soldados americanos que já morreram no Iraque devido ao 11 de Setembro! Do Chile não ouviumasó palavra! Um beijo Maria...

O Profeta said...

Assim se faz o mundo, com heróis e vilões, com dor e esperança...


Doce beijo

Maria P. said...

Até...

Beijinho*

Bruno said...

belíssima homenagem. Gostei. :)

Pepe Luigi said...

Maria,
Que mais posso eu dizer perante este "buenissimo apuntamiento" de S.Allende e de tão rica poesia do nosso saudoso Jose Carlos Ary dos Santos.
Parabéns pela tua pronta oportunidade.

Um beijinho
do Pepe.

rosa dourada/ondina azul said...

Bela Homenagem, Maria !

Passa uns dias bem felizes, nessa ilha que adoras!

Beijinho para ti

rascunhos said...

Obrigada por me recordares estas palavras do Ary.

Boa estadia na ilha.

Bjinhos

Entre linhas... said...

Parabéns pela oportunidade que nos oferece-tes.
Bjs Zita

Sininho said...

BOA ESTADIA, minha amiga.

Grande beijinho

Rosa dos Ventos said...

Bela homenagem!
Não se pode esquecer uma data destas...
Abraço

AnaG. said...

Bela homenagem, belos os versos de Ary...

Delicia-te na tua ilha. Ficamos à espera dos teus posts e das fotos.

Beijitos

Palavras ao vento said...

Uma bela e merecida homenagem ao homem que litou por um país... e outra Homenagem.. a um poeta que ficará na história da poesia!

Minha querida Maria..,és simplesmente maravilhosa!

Beijinhos da

Maria

O Sibarita said...

Ô dona moça luso-baiana Maria, quer dizer dona Letícia tira o time campo por um tempo e ai você faz o mesmo é fia? kkkk Isso não tá certo não viu?

Ajoelhou tem que rezar! kkkk

Bela homenagem ao Allende, é isso ai e como já disseram acima precisas ouvir a música do pablo Milanês, faça fé!

Boa estadia na ilha e não se esqueça de comparecer viu sua menina retada! Ai Jesus! kkkkkk

bjs
O Sibarita

O Sibarita said...

Oi dona moça, ouça a nossa Web Rádio, a Sibarita Web Rádio, www.sibaritawebradio.com espero que goste da programação e fique a vontade para sugerir, estamos em fase experimental. Aguardo suas dicas e quiçá você não queira uma coluna no site para falar as coisas do além mar e ai? Vamos nessa minha fia! kkkk

bjs
O Sibarita

Papoila said...

Maria da Liberdade...

Beijos
BF

Som do Silêncio said...

Olá!

Vim aqui deixar-te um beijo silencioso e desejar um bom fim de semana :)

Teresa Durães said...

(hoje quase me sinto feliz não estares aqui a escrever sobre amor. A blogoesfera está com esse estranho vírus)

beijos

Delfim Peixoto said...

Admirável Povo

Bina Goldrajch said...

Eu realmente não conheço o Chile nem muito da sua história. Nem posso falar. =(

Abraços!

E.Adriano said...

Maria

Cumprimentos.


Gostei do que vi aqui.


Cá voltarei .


Deixo-lhe um bjs, se me permite.


.

Pitanga said...

Ah sim! As Berlengas! Estás perdoada.

pedro said...

Salvador Allende.. ou a prova de que as vezes o sonho e a liberdade pode ser uma causa maior que a vida.
Mas também a certeza de que as vezes os "pseudo bons" estão do lado errado, não tivessem os EUA sido apoiantes do que se passou.
No fundo a prova de que as vezes o homem se transcende e mesmo que à custa da própria vida ousa resistir.

Que as velas da memória dos tempos permaneçam acesas em tua homenagem Salvador Allende.

A ti Maria desejo-te uma magnifica viagem à ilha e que na magia do horizonte desse lado do mar, na circunstância especial do equinócio consigas fundir-te um pedacinho com a luz...

beijo

Nilson Barcelli said...

Escolheste dois textos muito bons para evocar a data.
Para que não passe ao esquecimento, pois o seu impacto foi terrível para o povo chileno.
Vai lá para a ilha, mas dá notícias.
Boa estadia, beijinhos.

herético said...

excelente. tão "formatados" estamos noutros "11 de Setembro" que importa lembrar os crimes do Império.

Ana Patudos said...

Parece que estou a ver o Ary a declamar este poema com a garra que só ele transmitia às palavras que escrevia.
Já existem poucos homens assim.
beijos
Ana Paula

C Valente said...

Bom fim de semana
saudações amigas

Porque Te Amo said...

espero as imagens da tua ilha...

1beijo... assim... entre pianos

Tozé Franco said...

Há datas que não podem cair no esquecimento.
UM ABRAÇO.

Vera said...

Uma data a não esquecer!

Espero que tragas fotos lindas da ilha e que tudo te corra na perfeição, tal com mereces!

Mil beijos

isabel said...

Já te vi a "sirandar" por aí. Que bom que voltaste.

Beijos maria

Bia said...

Um beijo Maria! já tou com saudades:)

Bia said...

Até me esqueci de comentar o post :))
Ary dos Santos e a sua Homenagem ao povo chileno. São momentos tristes da história.
beijos
A._TU

Ch said...

Eis uma homenagem ao Chile.
Justa e bela...tantos nos ideais quanto nos propósitos.
...
Fico por aqui aguardando seu retorno, com boas novas daí da Ilha [o que me faz recordar um filme belíssimo de nome O Mistério da Ilha, que fala sobre folclore celta].
Abraços do
Carlos

Leticia Gabian said...

Maroca,
Ainda bem que temos homens como Allende pra recordar.... Pena que outros (como Bush e a corja de malfeitores) estejam sempre em maioria e espalhados pelo mundo inteiro.
Beijo grande, querida

greentea said...

de nuevo se abrirán las grandes alamedas por donde pase el hombre libre, para construir una sociedad mejor.



de novo, SEMPRE !!!!

O Profeta said...

Hoje decidi recolher os sussurros da noite
Juntar em alquimia uma lágrima de alegria
Que meu coração recolheu dos teus olhos
E transformou em doce poesia

Nasci mil vezes, para morrer em amor
A contradição é o espelho da loucura
A palavra o começo do silêncio
Que em minha alma perdura


Boa semana

Mágico beijo

MiE said...

Que linda homenagem aqui deixas antes de partires para a tua ilha.

Que tenhas um tempo abençoado.

Um beijo

Maria said...

Muito obrigada a TODOS que passaram por aqui e que, de alguma forma, também se lembraram que houve outro 11 de Setembro, há muito tempo.
Fica aqui o registo, para que nunca esqueçamos.

Obrigada, Samuel, pelo magnífico poema que aqui nos deixaste. Que tem um sabor especial na voz de Pablo Milanés...

Beijos e abraços

Anamaria said...

Muito obrigada pela bela homenagem ao nosso sempre companheiro Presidente Salvador Allende.
Obrigada por lembrarem a todas as vítimas do ódio que caíram nesse dia fatal e durante os dezessete anos da longa noite do meu país. Por todas as vidas entregues por esse ideal de justiça e igualdade, pela teimosa utopia de um Chile melhor pra todos é que devemos continuar lutando e resgatando a memória de todos eles.
Abraços
PD: O poema de José Carlos Ary dos Santos me tocou a alma. Obrigada ♥