Thursday, June 19, 2008

Porque me apetece Joaquim Pessoa

Não vou pôr-te flores de laranjeira no cabelo
nem fazer explodir a madrugada nos teus olhos.

Eu quero apenas amar-te lentamente
como se todo o tempo fosse nosso
como se todo o tempo fosse pouco
como se nem sequer houvesse tempo.

Soltar os teus seios.
Despir as tuas ancas.
Apunhalar de amor o teu ventre.


(Joaquim Pessoa)

25 comments:

salvoconduto said...

Oh Maria a mim também me apetece muita coisa, ora essa!

Pois fique com o Joaquim Pessoa que fica muito bem, que eu fico consigo e com ele, seguramente!

Abreijo

Sal said...

Tinhas razão para te apetecer Joaquim Pessoa: é delicioso!!!!!

Beijinhos

samuel said...

E "reprimir" um apetite desta estirpe, dizem até que pode ser perigoso...

Abreijos

pin gente said...
This comment has been removed by the author.
pin gente said...

apeteceu-te muito bem
é muito bonito o poema
como se não houvesse tempo
será que há?
ou não o saberemos gozar na sua plenitude?


um beijo, maria

Lúcia said...

Ai Maria, Maria: Belo e sentido.
E agora saio daqui cheia de ...de...vontade de viver:)))
É que é mesmo bonito, o poema.
Beijocas

João Videira Santos said...

Um poema que respira na verdade e no sentido das palavras. Gosto de Joaquim Pessoa

Leticia Gabian said...

Lindo poema, amiga!
"Eu quero apenas amar-te lentamente
como se todo o tempo fosse nosso
como se todo o tempo fosse pouco
como se nem sequer houvesse tempo."

Grande verdade sentida por quem ama!

Beijo grande, Maroca...
E já é amanhã!!!!!!!!!!!!

Maria P. said...

Ainda bem que te apeteceu!

Adorei ler...

Beijinho, Maria.

poesianopopular said...

Maria
Agora é que é caso para dizer:-guerra é guerra!
E apetites são apetites!
E a partilha...é muito boooooom!
Bjos

Anonymous said...

Linda :)!

Pois o que te desejo mesmo, são umas viagens e férias cpmo " debe de ser": cheias de apetites e bons proveitos :)!!!!
depois conta...
beijocasssss
vovó Maria

Rosa dos Ventos said...

Outro "Pessoa" a não esquecer!

Abraço

Toze said...

Uma boa escolha :)

o alquimista said...

Algures, onde começa o arco-íris, nasce a paixão, envolta em suaves raios de luz da manhã, nasce a vida, renovada melodia, enche o sentir, dolentes acordes, explode a cor, solta-se o incontido perfume das flores, cintilam as águas nos lagos…


Terno beijo

Marta said...

Adorei este poema...cheio de força e paixão...


Convido a visitar o meu espaço em:
http://www.marprofundo.net

Adriana said...

Gostei muito!passo para lhe desejar bom fim de semana!

Fernando Samuel said...

E por que raio é que te apeteceu poesia boa?...

Um beijo amigo.

Gerlane said...

Expressivo e contundente poema!

Beijos pra ti!

salome said...

E o tempo deveria ser só nosso, e dele podermos fazer o queremos.Beijinho Maria, e bom fim de semana.Salomé

Fernando Rodrigues said...

Muito bonito o poema

bjito

Maria said...

Obrigada a todos que passaram por aqui.
Beijos

mariam said...

só agora passei... mas, adorei!
parabéns p`las escolhas.

Maria, deixo-lhe

http://br.youtube.com/watch?v=qGCL-CK_yDc&feature=related

um sorriso :)

rascunhos said...

Uma pequena (grande) maravilha este poema.Adorei!

elvira carvalho said...

E se lhe apetece compartilhar, nós agradecemos.
Um abraço

Anonymous said...

noite serena