Wednesday, March 16, 2011

Poema destinado a haver Domingo


Bastam-me as cinco pontas de uma estrela
E a cor dum navio em movimento
E como ave, ficar parada a vê-la
E como flor, qualquer odor no vento.

Basta-me a lua ter aqui deixado
Um luminoso fio de cabelo
Para levar o céu todo enrolado
Na discreta ambição do meu novelo.

Só há espigas a crescer comigo
Numa seara para passear a pé
Esta distância achada pelo trigo
Que me dá só o pão daquilo que é.

Deixem ao dia a cama de um domingo
Para deitar um lírio que lhe sobre.
E a tarde cor-de-rosa de um flamingo
Seja o tecto da casa que me cobre

Baste o que o tempo traz na sua anilha
Como uma rosa traz Abril no seio.
E que o mar dê o fruto duma ilha
Onde o amor por fim tenha recreio.

Natália Correia
(13 de Setembro de 1923 - 16 de Março de 1993)

11 comments:

salvoconduto said...

Grande, tal como ela, com quem fiz uma deliciosa viagem de Lisboa ao Porto onde não faltaram alguns saudáveis mimos outra vezes alfinetadas, que serviram para tornar a viagem mais curta e mais interessante. Bela homenagem pelo poema escolhido.

Abreijo.

OUTONO said...

...não acredito, entre sonetos e prosa de Natália Correia, que acabo de (re)ler, viajo até aqui e, deparo-me com esta beleza que partilhas...e que aplaudo. Obrigado amiga

mfc said...

Que saudades da Natália!

Fernando Samuel said...

Da Natália, eu gosto...

Um beijo grande.

Luis Eme said...

que bonito poema (não conhecia...).

beijinho Maria

svasconcelos said...

Ah, que bela memória da Natália, uma das poetisas que trago no coração. Obrigada, Maria! :)
Um beijo,

Papoila - BF said...

Houve um tempo que me bastaria a seara e todos os dias seriam Domingo.

Um Beijos
BF

Paula Barros said...

E se tivesse mais amor
Amores de todos os tipos
Todos os dias seria domingo
Todas as dores seriam menores
Não haveria tantas guerras e destruições
Teríamos menos dores e menos rugas
E todos seríamos mais felizes


Lindo poema. beijo

João P. said...

Maria:

Ignorância minha!

Desconhecia o profundo poema

já o adicionais aos meus "papéis"

Obrigado

João

A.S. said...

Querida Maria,

Este poema da Natália, Tem para mim algo muito especial... uma recordação que jamais esquecerei!!!
Obrigado por me teres proporcionado tão belos momentos...


Beijos meus,
AL

Anselmobranco said...

A senhora Professora Natália era uma pessoa maravilhosa e só uma pessoa tão maravilhosa era capaz de escrever um poema como este. Gosto muito.