Sunday, January 20, 2013

ILHA


ILHA

Tu vives — mãe adormecida —
nua e esquecida,
seca,
fustigada pelos ventos,
ao som de músicas sem música
das águas que nos prendem…
Ilha:
teus montes e teus vales
não sentiram passar os tempos
e ficaram no mundo dos teus sonhos
— os sonhos dos teus filhos
a clamar aos ventos que passam,
e às aves que voam, livres,
as tuas ânsias!
Ilha:
colina sem fim de terra vermelha
terra dura
rochas escarpadas tapando os horizontes,
mas aos quatro ventos prendendo as nossas ânsias!

Amílcar Cabral
Praia, Cabo Verde, 1945
(retirado daqui

8 comments:

Maria said...

Assassinado há 40 anos, em Conakry.
Pelos do costume.

heretico said...

excelente Memória...

beijo, Maria

Rogério Pereira said...

Há mortos que não morrem

(bela a homenagem)

Justine said...

Ah sôdade!! Tenho de ir, depressa...

C Valente said...

quem luta por causas justas é sempre
trucidado pelos poderosos
saudações amigas

bettips said...

Porque nos orgulhamos de ter MEMÓRIA grande, que cobre de carinho e admiração os nossos desaparecidos?
Bjinho, Maria-ilha

Mar Arável said...

Duas pérolas

Parapeito said...

para que nunca se esqueça...
brisas doces**