Friday, January 25, 2008

POEMA POUCO ORIGINAL DO MEDO

O medo vai ter tudo
pernas
ambulâncias
e o luxo blindado
de alguns automóveis

Vai ter olhos onde ninguém os veja
mãozinhas cautelosas
enredos quase inocentes
ouvidos não só nas paredes
mas também no chão
no tecto
no murmúrio dos esgotos
e talvez até (cautela!)
ouvidos nos teus ouvidos

O medo vai ter tudo
fantasmas na ópera
sessões contínuas de espiritismo
milagres
cortejos
frases corajosas
meninas exemplares
seguras casas de penhor
maliciosas casas de passe
conferências várias
congressos muitos
óptimos empregos
poemas originais
e poemas como este
projectos altamente porcos
heróis
(o medo vai ter heróis!)
costureiras reais e irreais
operários
(assim assim)
escriturários
(muitos)
intelectuais
(o que se sabe)
a tua voz talvez
talvez a minha
com certeza a deles

Vai ter capitais
países
suspeitas como toda a gente
muitíssimos amigos
beijos
namorados esverdeados
amantes silenciosos
ardentes
e angustiados

Ah o medo vai ter tudo
tudo

(Penso no que o medo vai ter
e tenho medo
que é justamente
o que o medo quer)

*

O medo vai ter tudo
quase tudo
e cada um por seu caminho
havemos todos de chegar
quase todos
a ratos

Sim
a ratos


(Alexandre O’Neill)

(vou ali ao lado. volto logo logo)

41 comments:

Carminda Pinho said...

Maria,
o medo não vai ter tudo, não.
A gente não deixa...:(

Beijos

Carminda Pinho said...

Ah! já me esquecia...não demores, que eu fico aqui à tua espera...sem medo.

O Sibarita said...

É, o medo faz medo que espanca... kkk
Belo poema!

Ô dona moça volta aqui, faz o favor, volta vai! kkkk

Volta que o coro tá comendo aqui em Itapoã, faça fé Maria. Ai Jesus me acuda! kkkkkkkkkk

É tanta luz no vosso caminhar... kkk

bjs
O Sibarita

malukinha d'arroios said...

maria

vai lá, se vires
o medo por lá, diz-lhe que venha para cá...

há mto que o espero, ele que se defronte comigo, que se vista ou venha nu!

bem me importa o medo... porque não se aproxima de mim?

o só medo só é poderoso, quando ataca os braços, os infesesos,...

abraço

Sophiamar said...

O medo não pode ter vindo para ficar nem nós podemos ficar reduzidos a ratos. Em que ano teria O`Neill feito este poema?
Gosto muito de poesia, como sabes. Da que tu fazes e da de outros autores.

Volta logo. Fazes falta na blogosfera.

Beijinhossssss

amigona avó e a neta princesa said...

Vai, minha querida...vai e volta bem...beijo...

nanda said...

Olá Maria,

Espectacular poema de O´Neill. O medo é uma constante nas nossas vidas. Temos de o superar e seguir em frente.

Bom fim de semana
bjs

MIMO-TE said...

Ainda bem que sentimos medo, é um aviso que o nosso corpo nos dá.

Mas felizmente não somos só corpo, possuimos a loucura suficiente para o poder enfrentar...

Bjo
Mimo-te

Justine said...

Cada vez mais actual, este poema. Infelizmente!

Anonymous said...

O medo trava-nos, não nos deixa livres e soltos, nem sermos nós mesmos.


Estava com saudades tuas, por isso deixo-te um beijo cheio de saudades.

Farinho (blog noites de poesia)

Fernando Samuel said...

Dia 1 de Março - dia da Marcha Liberdade e Democracia - vamos (os que vamos...) mostrar que não somos «ratos»: não foi por acaso que o Poeta utilizou aquele «quase»...
Um beijo amigo.

O Profeta said...

Um poema de medo escrito sem...medo...


Este vento que sopra nos brandais
Leva de arrasto a minha alma
A proa estende-se adiante na vaga
Olhar de garça o meu coração acalma

Ai quem me dera voar no canal
Ai quem me dera ser a tua espera
Ai quem me dera que o amor
Ai! morasse naquela terra


Bom fim de semana


Doce beijo

Pitanga said...

Então vai, mas vai sem medo.

beijos de fim de semana

LOURO said...

Maria,Tudo que escreve toca o meu coração.
Vá e volte logo....

Bom fim de semana

xi coração

Lourenço

FERNANDA & POEMAS said...

Olá querida Maria, o medo não pode fazer parte das nossas vidas.
Eu já tive medo...
Um dia plena de energia, deitei-o fora em alto mar, para não mais voltar.
Beijinhos amiga, muitosssssssssss.
Fernandinha

samuel said...

Boa e actual escolha, Maria.
Continua no O'Neil, junta-lhe uma música do Zé Mário e dá isto...

PERFILADOS DE MEDO

Perfilados de medo, agradecemos
o medo que nos salva da loucura.
Decisão e coragem valem menos
a vida sem viver é mais segura.

Aventureiros já sem aventura,
perfilados de medo combatemos
irónicos fantasmas à procura
do que não fomos, do que não seremos.

Perfilados de medo, sem mais voz,
o coração nos dentes oprimido,
os loucos, os fantasmas somos nós.

Rebanho pelo medo perseguido,
já vivemos tão juntos e tão sós
que da vida perdemos o sentido…

ALEXANDRE O’NEILL

Manuela said...

O medo ás vezes assusta...
mas o medo não vai ter tudo...
aliás não pode ter nada...
nós temos que ser fortes, confiantes e inteligentes...
só estratégias :))
Mas ninguém desiste, ninguém baixa os braços, até o medo se ir embora... não o quero por aqui... não gosto dele...~

beijinho Maria

Luis Eme said...

O homem além de extraordinário poeta, tinha dedos que adivinhavam...

e não é que este país está cheio de "ratos", com apelidos como Campos, Lino, Pinho, Costa, Silva, e ainda têm um chefe com nome de filósofo?...

abraço Maria

Claudia said...

É tão difícil não ter medo Maria... Mas vou tentando não ser rato. Por algum motivo tenho sete gatos!!!

Beijo de gata

MiE said...

O medo que amarra

que tolhe que castra

a vida

um beijinho abraçado

bom fim de semana


estou pronta para o espectáculo :)

André Rocha said...

O medo tem tudo mas quem tem tudo acaba por nada ter. Beijo

Flor Selvagem said...

Não se pode ter medo do medo, não podemos deixar que ele nos domine, é melhor enfrentá-lo.
Bj
Flor Selvagem

C Valente said...

Saudações amigas e bom fim de semana

avelaneiraflorida said...

Contra o medo ...enchamos o mundo de luz!!!!

bjkas, amiga!!

Tó-Zé said...

O medo tem tudo..
é muito bonito o poema...desconhecia

Beijinho
Bom fim de semana

Rui Caetano said...

O medo está ali a nosso redor, mas nós conseguimos ludibriálo, temos medo, mas enfrentámo-lo com coragem.

Blue Velvet said...

O medo não vai ter tudo, enquanto pessoas como ti existirem.
Beijinhos e bom fim-de-semana

Vieira Calado said...

Começou neo-realista e acabou (quase)
surrealista.
Obrigado por trazê-lo de volta.

amigona avó e a neta princesa said...

E enquanto tu não vens deixo-te um abraço madrugador...fica aqui à tua espera...

Bichodeconta said...

Pouco original, mas extremamente bonito..Obrigada pela partilha..um abraço..

FERNANDA & POEMAS said...

Olá querida Maria, a menina ainda está a descansar ?
Está um lindo dia de Sol.
Vou aproveitá-lo para dar uma caminhada e sentir o cheirinho do mar!
Minha amiga, muitos beijinhos de carinho e ternura.
Fernandinha

Farinho said...

Amiga
estou de volta novamente, as saudades eram muitas, então estou de regresso, e desta vez, espero eu sem precaços.

Beijos

De Amor e de Terra said...

Olá minha linda Maria, boa tarde Amiga!
Mas o medo, também tem fronteiras...e apesar de gostar muito do Poema e o achar duma enorme actualidade,acho que há que por fronteiras ao medo!

Beijos

Maria Mamede

multiolhares said...

Cada vez o medo tem
Mais “ratos”
Beijinhos
luna

O Sibarita said...

Meu Deus do céu que essa criatura de Deus?

Dona moça! kkkk Deu ninja, se picou, virou nos seiscentos, cadê? kkk Xiiiiiiii... Aprendeu com baiano foi? kkkkkkk

Foi assim que eu disse a Negona, vou ali e volto logo, isso, na quinta do Bonfim pela manhã e só retornei na terça feira! kkkkkk

bjs
O Sibarita

as velas ardem ate ao fim said...

Grande poeta!grande momento Maria!

Volta rapido.bjo

Sininho said...

Dá muito que pensar.

Beijinho e até já.

Alice Matos said...

Poema forte... cheio de significado...
Vivemos num mundo de medos e caminhamos a largos passos para um mundo cheio de cobardes...

Beijo grande para ti...

Oris said...

Eu não queria ter medo...

Mas os ratos que por aí polulam....metem-me medo...Se calhar é isso mesmo que eles querem...

Não conhecia a poesia, mas acho que ela se encaixa muito bem neste tempo...

Cá fico à espera da tua volta....

Beijitos

Vera said...

E o medo anda por aí... se anda!

Boa escolha!

Beijinhos

Maria said...

Muito obrigada por terem passado por aqui....
Não deixemos que o mede se instale... é que falta pouco, muito pouco.
Se não lutarmos, a sério, o medo instala-se, e aí
"havemos todos de chegar
quase todos
a ratos

Sim
a ratos"

(Nestes dois dias senti a vossa falta......)

Beijos