Tuesday, February 12, 2008

Ai Timor - porque ainda me dói....

Lavam-se os olhos nega-se o beijo
do labirinto escolhe-se o mar
no cais deserto fica o desejo
da terra quente por conquistar

Nobre soldado que vens senhor
por sobre as asas do teu dragão
beijas os corpos no chão queimado
nunca serás o nosso perdão

Ai Timor
calam-se as vozes dos teus avós
Ai Timor
se outros calam cantemos nós

Salgas de ventres que não tiveste
ceifando os filhos que não são teus
nobre soldado nunca sonhaste
ver uma espada na mão de Deus

Da cruz se faz uma lança em chamas
que sangra o céu no sol do meio dia
do meio dos corpos a mesma lama
leito final onde o amor nascia

Ai Timor
calam-se as vozes dos teus avós
Ai Timor
se outros calam cantemos nós

(João Monge)

38 comments:

Ch said...

Olá, Maria;
.
Venho novamente saudar os bons ventos daqui da Ilha, hoje embalada pelos versos de João Monge, sobre os dramas vividos por Timor.
.
Cantar...é como não esquecer.
Abraços do
Carlos

Jose Gonçalves said...

Versos oportunos pois acaba de ser cometido um atentado em Timor, onde não consigo perceber quando começará a paz naquele país.
Um abraço
José Gonçalves

Fernando Santos (Chana) said...

Exelentes versos !
Que infelizmente se enquadram com o que se está a passar em Timor.
Beijo

samuel said...

Uma história em que "sobram" os ais...
Que não se esgote a solidariedade! Mas como se faz chegar a solidariedade directamente aos que a merecem?

Sunshine said...

Uma música e uma letra que não esqueço, porque a história de Timor é algo que me diz muito. Há minha escala, "batalhei" para a independência daquele povo que ainda chora lágrimas de sangue, Enquanto houver, e há sempre, nestas situações outros interesses, nunca se conseguirão resolvê-las.

MiE said...

Nem tenho palavras.

Mas...do mal o menos, escaparam os bons.

Oportuno, Maria.

Como sempre.

Um beijo grande

Fica bem

DelfimPeixoto said...

Hoje fiquei siderado quando pude ouvir asn notícias de Timor! Acho que para além do petróleo algo mais haverá por lá e não são só timorenses que arranjam desacatos: há um mandante... quem? é dificil saber?

Obrigado pela dica que me mandaste acerca da petição sobre o Ensino Especializado Artístico, vulgo, Conservatórios
Fica bem... bjs

Carminda Pinho said...

Pois é amiga, infelizmente o "hino" volta a fazer todo o sentido.

Beijos

O Sibarita said...

Ô dona moça! kkkk Oi belo poema para o momento que se apresenta no Timor Leste.

Toda solidariedade aos nossos irmãos de língua portuguesa também!

Neguinha (kkk) Oi a Rastafari não perdôo jogou foi duro e é comigo? kkkk Necomigo não, fia! É com ela, os músculo do R.Carlos (Já viu como ele tá bombado? kkk Valha-me Deus! kkk)e as baleias... kkkkk

Em todo caso já tenho uma poesia que vai convencê-la. kkkkk Vou colocar aqui para você ver e me dizer se não vai dar certo! kkkkkk


R u m o r

Tudo bem...
que esta poesia
se torne um folhetim
que ainda gostes de mim
e que na minha camisa
tenha manchas de batom
que não os teus!
E que o perfume impregnado
não seja o teu!
Tudo bem...
que te arrenegues dos beijos
e que não te negues os fatos...
Que faças
as tuas buscas
a procura de lábios
em rostos abstratos
de possíveis retratos!
Tudo bem...
que eu seja o teu fetiche
exorcize os teus demônios
que tu sejas os meus anjos,
que a paixão é inexorável
e tenha se tornado rumor
de beijos indecifráveis...

Só não queiras
guilhotinar minha alma
nesta tua cegueira
que ela tem belos gerânios
em horizontes estâncianos
com sede imensa de luzeiros
e dos teus beijos por inteiros!

Tudo bem...
que dista o alado do condor
mas, saibas que ainda me tens...

O Sibarita

Bjs
O Sibarita (kkkk e eu sou besta, fia? kkkkkk

Luis Eme said...

E irá doer, durante muito tempo, Maria...

abraço

greentea said...

Quantos Timores há? Quantos focos de infecção que se estimula, que se aviva para destroçar um país que tem riquezas , mas muitos interesses tb, muita contradição, muita impreparação depois de tantos e tantos anos de colonialismo e de ocupação por países estrangeiros...

alice said...

um poema lindíssimo que hoje traz horas de dor do atentado que se verificou... que as palavras vençam a maldade! um beijo.

Olhos de mel said...

Belos versos. Infelizmente tão atuais. Tristes mais reais...
Boa semana!
Beijos

Huckleberry Friend said...

Em 1999, pensámos que ouvir esta música iria ser um exercício de memória. De memória e homenagem à luta de um povo. Afinal, continua a ser preciso suspirar por Timor. E ajudá-lo. Mas como?

rascunhos said...

continua a ser preciso recordar essas palavras...


bj

C Valente said...

E assim vai o mundo
Sauda�es amigas

Rui Caetano said...

Vem mesmo a propósito. E a história dos atentados estão muito mal contada.

Rosa dos Ventos said...

Timor entrou na minha vida era eu muito jovem!
Semanalmente escrevia para lá quase um bloco de folhas para aquele que, mais tarde, veio a ser e ainda é o meu companheiro de muitos anos e que em Timor cumpria o serviço militar.
Com ele aprendi a amar essa ilha e esse povo, mas também a conhecer-lhes as suas especificidades, infelizmente agravadas por "especificidades" geo-estratégicas que deram e estão a dar resultados trágicos.

Abraço

Vera said...

E como dói ver/saber dos últimos acontecimentos. Lembro-me que andava ainda no Liceu e organizámos um debate excelente sobre Timor que nunca esquecerei. Na altura sentia um certo medo... agora sinceramente volto a senti-lo...

Beijo

Maria Luar said...

Se outros calam, cantemos nós.

Abracinho

*
xi

*

Pitanga said...

Será que ainda vamos cantá-la novamente? É triste.

beijos em tarde de esperança

mfc said...

As feridas reabrem-se!

poesianopopular said...

Maria
Será que: anda ali o dedo do cóboy!
Pelo que nos é dado observar, a FRETILIN, está a dar uma grande lição de maturidade política e democrática.
Vamos ver se chega, ou se o culpado não terá sido um dirigente da FRETILIN, de Há 100 anos atráz!
Bjo
José Manangão

Papoila said...

Ai Maria


Sofri tanto em 99 …. No auge do massacre vivi colada aos noticiarias. Vesti-me de branco… fiz corrente humanas … assinei petições… ascendi velas. Tu deves ter feito, assim como eu tudo isso, até o minuto de silêncio na Praça do Município junto à porta da CML. Para além de tudo isso tinha o meu irmão lá em missão humanitária no auge dos massacres.
Cá em casa a minha papoilinha ainda bebé de tanto me ver assustada sempre que via passar um avião gritava "vá vião a timou bucar o ti Beto"

Hoje volta-me a doer a alma.

Beijos
BF

Nilson Barcelli said...

Muito a propósito o poema que hoje escolheste.
Gostei e não conhecia.

Beijinhos.

Carlos Ramos said...

Embora não seja o sitio adequado para discorrer sobre o futuro politico e a viabilidade enquanto país de Timor, ele representa um verdadeiro momento de união da nação portuguesa. Raro momento, feito à custa de tanta dor. Mas como diz a letra os avós irão abandonar os netos... inevitavelmente.

Cris Caetano said...

Ai, Maria, aqui de tão longe estou torcendo para que a situação se amenize em Timor. Depois de tantos anos de sofrimento, neste período de recuperação que o país estava passando, acontece o atentado. Torço por dias melhores...

Beijinhos

Spectrum said...

Temo que esses não sejam os únicos "ais" que os timorenses ainda gritarão.
Um beijo

avelaneiraflorida said...

Volta a doer-me a alma!
Ai Timor...

amigona avó e a neta princesa said...

Vim deixar um grande abraço de amizade e muitas, muitas saudades!

Maria said...

Arrepiei-me ao ler alguns dos comentários...
...noutros chorei, mesmo.

Samuel, se eu soubesse... resta-me a esperança que os que a merecem sabem que nós somos solidários...

Papoila, fiz exactamente como tu, até participei na corrida do dia nacional do desporto por Timor Loro Sae no dia 18 de Setembro, a tal corrida dos lencinhos brancos... ainda mandei alguns para Timor. Estivemos então na Praça do Município no mesmo dia e à mesma hora...

Esperemos que tudo se resolva, para bem de um Povo que está farto, cansado, de sofrer...

Obrigada por terem passado aqui.
Beijos

FM said...

E ainda há quem queira matar quem lutou pela liberdade... O poder faz com que muitos fiquem cegos...
Triste, triste...

Blue Velvet said...

Ai, Ai
eu andei vestida de branco naquele dia lindo em que quase todo o País se vestiu de branco, e estive na cerimónia do Parque das Nações.
E agora isto...
Parece que há povos com um Karma de infelicidade
Beijinhos Maria

Maria said...

fm

é triste, sim.....
... tudo isto....

Maria said...

blue velvet

Também estive no Parque das Nações... com as crianças de Timor-Leste e etc.......
Não me digas que nos cruzámos lá....

Beijo

Teresa Durães said...

esta música é lindíssima

rosa dourada/ondina azul said...

E como Timor dói, Maria !



Um abraço p ti,

Maria said...

teresa durães

rosa dourada/ondina azul


Completamente de acordo, tanto na música como na dor....

Beijos