Thursday, November 19, 2009

Dourado


Inventas palavras e cores e gestos
como eu gosto,
e pinto na areia búzios de sons e maresia
com que brincas
em cada onda de espuma
que se espraia na maré
sempre nossa, de ir e vir.
Do teu olhar de sonhos e ternuras
retiro o mosto,
que depois de fermentado e apurado
te darei a beber
num fim de tarde
na foz do rio prateado
que desagua neste imenso mar dourado.

17 comments:

Maria said...

Amigos

Espero em breve voltar a ter tempo disponível para vos visitar com a assiduidade dos posts que publicam...

Beijos a todos

amigona avó e a neta princesa said...

E como gostamos que apareças! Beijos, amiga...

anamar said...

Aparece quando puderes...
Espero que tudo esteja bem contigo..
Bj

:))

tulipa said...

Parabéns pela linda poesia.

Até uma melhor oportunidade, deambulei por PARIS e já estou de volta...fugi dos temporais do Porto e de Lisboa, tudo por cá voou, ventos fortes e chuvas intensas e eu por lá passeando, feliz da vida.
Eu ADORO o Outono e nesta viagem vim maravilhada com as belas paisagens que esta estação do ano proporciona.
Já agora, se pudesses onde irias fazer um "weekbreak"?

Vou montar outra exposição de fotografia. A exposição procura divulgar o que vivenciei pelos caminhos da Índia. Tendo como ponto de partida a fotografia, faço uma reflexão através do tempo sobre imagens que descrevem a solidão dos povos e o significado do seu sofrimento bem como da sua alegria envolvida pela pobreza de géneros necessários à sua sobrevivência, a par da solidariedade e esperança de uma justiça digna.

Aos poucos vou conseguindo aquilo que quero, ou seja, esta EXPOSIÇÃO está aberta aos sábados de tarde, para proporcionar às pessoas que trabalham a oportunidade de a visitar numa tarde de sábado.
Estás convidada para a inauguração no próximo sábado, dia 21 de Novembro, pelas 14h 30m.

Beijinhos.

Fernando Samuel said...

É no mar dourado que está a segredo...

Um beijo grande.

viajantes said...

lindo poema
sabe sempre tão bem...
abraço!

mie said...

eu não me importo...sei que estás sempre pelo meu olhar.

Um beijo enorme

Maria

ilha dos amores.

Papoila said...

Sempre bonitas as palavras que te saiem do coração.

Beijos minha querida Maria

BF

elvira carvalho said...

Passei. E fiquei encantada com o poema e com o belo por do sol.
Um abraço

Leticia Gabian said...

Lindo, Maroca!!!!!!
Gosto das palavras que inventas, das tuas cores...Gosto de ti, imensamente!

Beijo grande, AICeT

Duarte said...

Palavras que brotam como saídas da alma, muito portuguesa, são os nossos sentires!

Creio que estas cores só atemos nós...

Gostei, imenso.

Violeta said...

Mas que lindas palavras, assim , em tom dourado.

heretico said...

maduro e doce, o mosto. vinho, perdão, Poesia de primeira qualidade...

gostei muito,

beijos

Cris Caetano said...

Lindo e imagem linda também... vai lá fazer o que tens que fazer, mas volta logo, por favor. :)

Beijinhos

Maria said...

Obrigada por terem passado aqui.
Beijos a todos

paula barros said...

Nossa! Achei lindo demais, esse olhar de sonhos e ternura, a ser fermentado e apurado e beber assim, com muito carinho.

beijo

Filoxera said...

Um beijo. E boa estadia.