Monday, November 30, 2009

Porque é tempo de Ary dos Santos II

Cantiga de Amigo

Nem um poema nem um verso nem um canto
tudo raso de ausência tudo liso de espanto
e nem Camões Virgílio Shelley Dante
o meu amigo está longe
e a distância é bastante.

Nem um som nem um grito nem um ai
tudo calado todos sem mãe nem pai
Ah não Camões Virgílio Shelley Dante!
o meu amigo está longe
e a tristeza é bastante.

Nada a não ser este silêncio tenso
que faz do amor sozinho o amor imenso.
Calai Camões Virgílio Shelley Dante:
o meu amigo está longe
e a saudade é bastante!

17 comments:

Pedro Branco said...

Do teu grito de dentro sai o mundo inteiro.
Um país de luta,
De luto prisioneiro
Carregado de sangue e poesia.
Do teu suor,
As mãos...
Esse dançar eterno pela liberdade
Nos beirais dos lábios, das canções.
Qualquer coisa de saudade
Qualquer fonte de ti...
És o grito que sonho, Ary!

Fernando Samuel said...

Dois GRANDES: REDOL e ARY.

Um beijo grande.

anamar said...

Não conhecia , Maria.
Obrigada.
Beijinho
:))

salvoconduto said...

Juntaste bem Ary a Redol!

Abreijos.

amigona avó e a neta princesa said...

As palavras sabem-me a pouco quando se fala de Ary! Beijos querida...

Justine said...

Um duo implacável, e contudo tão ternos...
Beijo

Joao P. said...

Maria:

Vale sempre a pena vir ao teu blogue. Desta vez tiuve três em um: Ary - um poema que desconhecia; Alves Redol e a divulgação do espectáculo de 4 de Dezembro.

Muitíssimo obrigado

João

clic said...

Sempre a tempo, o seu tempo!... :)

Parapeito said...

Hoje deixo para ti um mimo
:)
Redol escreveu um livro com os teus dois nomes :)
Flor e Maria...
Deixo aqui um pouquinho do livro "Uma flor para Maria "
*
«– Queres viajar, Maria Flor?
Viajar é correr mundo,
voar mais alto que os pássaros
ou pisar o chão da Terra
ou as ondas do Mar Alto…
É ver bichos
de muitas cores e feitios,
montanhas,
rios
e ribeiros
e pessoas
e lugares…
Conhecer e descobrir,
inventar e duvidar
sabendo cada vez mais,
sem nunca pensar que basta
o mundo que se conhece.
E alargá-lo com amor
dentro de nós e dos outros.»
*
Um abraço bom de ruim :)**

ausenda said...

"...A SAUDADE BASTANTE"

quanta verdade!!!!

beijo

paula barros said...

Saudade, distância, tristeza, silêncio...tem mais é que fazer o amor ficar imenso.

abraços

Nilson Barcelli said...

Quisera eu escrever assim...
Nem precisava de selo ou carimbo para chegar ao endereço desconhecido do amigo...
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

Meg said...

Maria,

Todo o tempo é tempo de Alves Redol e de Ary... e porque o tempo urge, é necessário dar-lhes voz, cada vez mais.

Beijinho deste lado

Baila sem peso said...

Vim por aqui para te dizer olá
para te desejar bom feriado
e encontro como habitual
tua partilha, em doce virtual...
Obrigada pelos momentos
Alves Redol e Ary
estarão a sorrir para ti!
E dia 4, seja colossal
quem dera eu ver tal...

enfim...sonho daqui, já não `tá mal!
beijo no final :)

elvira carvalho said...

Como é bom ler e reler Ary dos Santos.
Um abraço e bom feriado

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.
Bom feriado.

Beijos

Vera said...

Lindo!

Beijo