Saturday, October 23, 2010

Música para o fim-de-semana



Amor primero

Se me ha dormido un sueño en el café
Perdido por el tiempo de nunca volver
La tarde en el colegio y un corazón
Clavado en el pupitre entre los dos.
Estas algo más rubia y así de pie
Pareces aún más alta de lo que pensé
Cuando tú eras la envidia y yo el por qué
Que tu padre decía me iba a perder
Quiero echar la vista atrás
Donde se encuentran
Mi plumiere y mi compás
Y tus trenzas
Y volver a rebuscar por un solar
Yo mis ganas de pelear y tú el susto
Que te daba no verme más
A fin de curso.
Ay amor, amor primero
Y de segundo, tercero y cuarto
Ay amor, te quise tanto
Cuando el beso era amor
Y el amor canto.
Amor desde el gimnasio a la excursión
Desde la geografía, amor sin razón
Amor de tinta y tiza amor de portal
Amor de cada día y en cada lugar.
Amor que aun ahora guardo en la piel
El beso, la caricia, el toque, temblor
Amor perdido, amor de nunca volver.. .
Camarero, por favor, otro café.
Dónde están, donde se encuentran
Mi plumiere y mi compás
Y tus trenzas
Y volver a rebuscar por un solar
Yo mis ganas de pelear y tú el susto
Que te daba no verme más
A fin de curso.

17 comments:

Maria said...

Porque é tão bonito...
Bom fim-de-semana a todos.

Cris Caetano said...

Gostei... não conhecia. :)

Beijinhos, Maria. Bom fim de semana.

Fernando Samuel said...

Uma canção destas, mais umas empadas e umas migas, fazem cá um fim-de-semana que não te difo nada...

Um beijo grande.

trepadeira said...

Que recordações me voltaram.
Um abraço,
mário

Carmo said...

Obrigada pela partilha, gostei muito. Não conhecia.
Bom fim de semana
Abraço

Leticia Gabian said...

Bonito, Maroca!
Melhor é o amor de agora com gosto de amor primeiro.

Beijo imenso, AICeT

Justine said...

Para ti também, amiga (e nada de excessos, vê lá...)

OUTONO said...

Gostei....................................................................................................................!

smvasconcelos said...

É lindo.:)
beijo,

samuel said...

Há quanto tempo!!! :-)))

Abreijo.

tulipa said...

Só hoje pude voltar a fazer um post, mas tive que fazer de uma forma como "NUNCA antes tinha feito"...
isso originou que eu não posso escolher o tipo de letra, justificar o texto,
escolher a cor da letra, enfim...
um sem número de diferenças que não me agradam, de todo.

Quem sabe, não será este o ponto de partida para eu "desistir" da blogosfera...

Peço desculpa a quem me visita, se a aparência do post não for a mais aceitável, mas...muito sinceramente, não consigo fazer melhor.

Bom fim de semana.
Abraços outonais.

inominável said...

dois cafés, por favor, e fica acordada tb...

fj said...

Gostei. e já é a 2ª que não conheço depois de sair do Cantigueiro.
um Beijo, Maria

M. said...

Lindo! E gostei também muito do jeito de estar, como se à volta de uma mesa conversassem.

Agulheta said...

Amiga Maria.Quanto tempo não ouvia esta música!Obrigada pela partilha que sabe bem.
Beijinho de amizade

Maria said...

Obrigada por terem passado por aqui.
Boa semana a todos.

Beijos.

Duarte said...

Com vozes assim tudo flutua... Amaya Uranga possui uma voz única, inconfundível, quanto me fez vibrar com essa doçura e timbre, neste caso bem contrastada com a de Patxi...

Recordar é viver, obrigado, pelo aporte de felicidade que me proporcionaste.

Beijos