Monday, October 04, 2010

Perguntas

Onde estavas tu quando fiz vinte anos
E tinha uma boca de anjo pálido?
Em que sítio estavas quando o Che foi estampado
Nas camisolas das teenagers de todos os estados da América?
Em que covil ou gruta esconderam as suas armas
Para com elas fazer posters cinzeiros e emblemas?
Onde te encontravas quando lançaram mão a isto?
E atrás de quê te ocultavas quando
Mataram Luther King para justificar sei lá que agressões
Ao mesmo tempo que viamos Música no Coração
Mastigando chiclets numa matinée do cinema Condes?
Por onde andavas que não viste os corações brancos
Retalhados na Coreia e no Vietname
Nem ouviste nenhuma das canções de Bob Dylan
Virando também as costas quando arrasaram Wiriammu
E enterraram vivas
Mulheres e crianças em nome
De uma pátria una e indivisível?
Que caminho escolheram os teus passos no momento em que
Foram enforcados os guerrilheiros negros da África do Sul
Ou Allende terminou o seu último discurso?
Ainda estavas presente quando Victor Jara
Pronunciou as últimas palavras?
E nem uma vez por acaso assististe
Às chacinas do Esquadrão da Morte?
Fugiste de Dachau e Estalinegrado?
Não puseste os pés em Auschwitz?
Que diabo andaste a fazer o tempo todo
Que ninguém te encontrou em lugar algum.


Joaquim Pessoa

(vou ali. depois volto. logo)

28 comments:

Leticia Gabian said...

Enquanto não chegam as respostas, vamos tratar de nos pormos nos lugares e nas situações que realmente façam a diferença.

Beijão, AICeT

smvasconcelos said...

Adoro a poesia do Joaquim Pessoa!
Linda!
A indiferença e cobardia com que muitos perpassam a vida , tornam-na iútil e demadiado vã.
beijo.

Licínia Quitério said...

É um grande, grande Poeta.

Beijo, Maria.

Luis Eme said...

é mais prático passar ao lado do mundo...

então neste país...

beijinho Maria

trepadeira said...

Se deixarmos o mundo na mesma ou pior o que é que andamos cá a fazer?
Um abraço,
mário

Baila sem peso said...

Perguntas que vão ficando...
respostas que vão tardando...

vai e volta
levezinha e solta :)

beijinho e boa semana

Agulheta said...

Querida Maria.Penso que muita gente terá de ler e se informar para saber tudo isto.Todos nós sonhavamos com tanta coisa,e hoje é uma desilusão,por menos para mim e muitos iguais,adorei ler Joaquim Pessoa,interventivo e para reflectir.
Beijinho bs

Fernando Samuel said...

Perguntas pertinentíssimas, estas que faz o Poeta...

Um beijo grande.

Manuela Freitas said...

Já conhecia o poema do Pessoa, que é excelente!...
Maria desejo que a passeata seja boa!...
Beijinhos,
Manuela

Cris Caetano said...

E do cá eu perguntaria o mesmo...

Não demores muito.

Beijinhos

Justine said...

Violento Joaquim Pessoa!!
(vai e volta restabelecida!)

OUTONO said...

Ontem...e hoje...tão igual!
Beijo.

Ana said...

E tantos, tantos outros lugares...

Beijinho, Maria.
Bom descanso

Carmo said...

Um grande poeta, Joaquim Pessoa.
Boa semana

anamar said...

Saudades , Maria.
:))

Pedro Branco said...

Como se o vento fosse pele e eu
Um pouco do tempo e tu
O abraço cantado e nós
Magia de ser e eu
A dor de perder e tu
O abraço de tanto e nós
Tudo o que o mundo pode caber!

Serenidade said...

Tantas perguntas?
As respostas!!! Difíceis de as encontrar...

Serenos sorrisos

ausenda said...

Joaquim Pessoa...pertinente (sempre)!

Abraço

MisteriosaLua said...

Onde andam as respostas às perguntas?....

João P. said...

Maria:

Também pode ser lido na linha da minha própria introspecção!

faz muito sentido

Beijo

João

clic said...

Costumam assobiar para o lado e, no máximo, dizer "não é nada comigo, não é nada comigo"!...

Té já

heretico said...

enorme poema. de um Poeta maior...

beijos

Maria P. said...

Faltam (sempre) as respostas...

Beijinho, minha Maria*

A.S. said...

Querida Maria...

Como sempre Joaquim Pessoa, interroga as consciências. Muitas delas são aquelas negras e sinistras sombras que sempre tentaram impedir que o sol iluminasse todos com o mesmo fulgor!!!

Beijos, Maria!
AL

Jaime Piedade Valente said...

Violento o Joaquim Pessoa??
Sim, se a parcialidade e a desonestidade intelectual são violentas, verdadeiras e sinceras.
Porque é que ele não falou dos milhões de mortos provocados por Estaline e Pol Pot? Porque é que ele não falou nos milhares de mortos, torturados e prisioneiros de Cuba? Porque é que ele não falou dos crimes de Mao Tse Tung?

Hipócritas!

Jaime Piedade Valente said...

Já agora: num blog tão cheio de verticalidade e princípios certamente que se dará destaque ao prémio Nobel da Paz deste ano - um crítico e uma vítima da DITADURA COMUNISTA que há décadas oprime o povo chinês.
Ou a verticalidade só é relevante quando se trata de criticar os EUA?

Maria said...

Obrigada por terem passado aqui.
Bom fim-de-semana.

Beijos a (quase) todos.

Filoxera said...

Gostei da tua escolha.
Beijos.