Wednesday, October 27, 2010

Não sou mar


Se eu fosse mar deixaria que desaguasses em mim o rio que és.
Poderias então descansar de todas as cores no meu azul profundo.
Não sou mar.
Mas podes sempre descansar no meu regaço todos os cansaços da vida.
As tuas lágrimas. As chegadas e as partidas. A tua inquietação.
E repousar o corpo...

32 comments:

salvoconduto said...

Já eu se fosse mar era bem capaz de fazer ondas.

Abreijos.

Leticia Gabian said...

Todos temos um pouco de mar por dentro. Temos dias de calmaria e dias de vendaval.

Beijo imenso, AICeT!

Justine said...

És mar sim: mar de ternura, de solidariedade...

Fernando Samuel said...

Bonito!

Um beijo grande.

João Videira Santos said...

Ainda que disposto em texto, é um poema e...gosto!

Meg said...

Maria,

Que bom voltar a ler-te e a sentir nas tuas palavras essa emoção.

Passou um Verão violentíssimo em termos de trabalho, as férias estão a acabar, e estou a tentar recuperar a velocidade de cruzeiro no blog, a retomar os laços que têm ficado suspensos no tempo.

Beijonho para ti, deste lado.

zmsantos said...

És fonte á beira da estrada, onde nos sentamos a sacudir o pó das viagens. Onde saciamos a sede dos sentidos e nos entregamos aos aromas das flores que bebem a tua frescura.
És assim, uma fola que nos submerge de carinho e amizade, mesmo que não sejas mar.

Silenciosamente ouvindo... said...

Alguma vez eu a tentei afastar do
blogue de http://vivercomlight.blogspot.com
da Manuela de Freitas ou Manu como
por vezes se intitula?
Essa srª. tem a mania da perseguição...que os seguidores
dela só podem ser dela...
e que a Net é só dela...
Depois parece que há um clube de
fãs da Glorinha...e de certos blogues.
Eu só quero que saiba que a pessoa
a que a Manuela se refere sou eu,
e portanto se não quiser seguir
os meus blogues, tudo bem. Só estará comigo quem o quiser e quem
achar que vale a pena pelos blogues.Podia ficar calada, mas
prefiro a frontalidade.
Irene

smvasconcelos said...

Bonito!:)
E sabes, só o mar, ou alguém que o dignificasse , podia abordá-lo assim...
Um beijo,

Swt said...

O Mar e estas palavras... que mais podemos desejar? Um pouco mais de azul...?

A.S. said...

Maria...

Teu regaço é um mar de águas brandas, onde se acolhem todos os cansaços!


Beijos...
AL

samuel said...

Não chegará a ser o mar... mas é muito!

Abreijo.

ausenda said...

És (a)mar naquilo que nos dás!
É bom saber-te regaço...!

:)
beijos

João P. said...

Maria:

Então és mesmo mar!

Maravilha

beijo

João

Sonhadora said...

Minha querida
No mar desaguam todos os cansaços.
lindo texto, com a profundidade do azul.

beijinhos
Sonhadora

Maria said...

Sonhadora

Creio já te ter dito que não consigo comentar no teu blogue, por causa do tipo da caixa de comentários.
Digo aqui que os teus poemas são belos, e pergunto para quando um livro...

Beijo.

Serenidade said...

O amor, tão maravilhoso e que tanto nos permite poetizar e no qual é possível descansar as nossas emoções, mesmo que por instantes...

Serenos sorrisos

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, belo texto...Espectacular....
Beijos

Só Eu (Ricardo) said...

Olá Maria.
És mar, porto de abrigo, duna das praias desertas... És mar, claro que és!
Beijunhos
Ricardo

mixtu said...

o mar...
o porto...
de partidas e chegadas...

abrazo serrano

Baila sem peso said...

Ah...então vá...
deixa-me aqui descansar um pouco
que este meu tempo anda louco :)

Maria descanso no regaço
da tua poesia...
não, não digo mais
deixa-me afagar todos os meus ais...
nessas ondas azuis
de sal e mais...

e vou agora...
voltarei noutro dia, noutra aurora!
:)

beijo com amizade

Pedro Antunes said...

há uma lenda que diz que o mar é feito das lagrimas das mulheres, mães e filhas dos mareantes que um dia zarparam por ele a dentro.
como se lagrima a lagrima as mulheres dos mareantes se desfizessem em lagrimas e a custo ou contra custo contribuissem elas próprias de geração em geração para a renovação soberana daquele elemento que ora os trás ora os faz partir.
No que escreveste ves-te como o mar e ao mesmo tempo como chegada... felicidades para o teu ente querido, seja ele mareante ou rio... que a nau da vida o leve seguro para o porto dos teus braços....
porque afinal todos precisamos ás vezes de ter um cais, outras de sermos nós mesmos porto de abrigo.

adorei vir cá de novo. beijo

Rosa dos Ventos said...

Mas sabes amar, Maria!

Abraço

Manuela Freitas said...

Olá Maria,
Um regaço para descansar é sempre muito bom e como o mar anda com marés muito agrestes, ainda é melhor!...
Beijinhos,
Manuela

Apenas eu said...

Maria podes não ser mar, embora te ache muito parecida com ele... mas sabes dar o abraço, o colo que um rio precisa.

é do Melhor Ter-Te como Amiga.

beijos sempre sempre meus

BRANCAMAR said...

Que bom Maria, ser esse mar repousante para quem chega...todos nós precisamos dele e todos nós podemos sê-lo para os outros.
Beijinhos.
Branca

margusta said...

Querida Maria ...tu és mar sim...um MAR Imenso!!!...

De,
Amor,
Amizade,
Carinho,
Cumplicidade,
Ternura,
e
Fraternidade...


Beijinhos querida amiga,
Margusta

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.
Bom fim-de-semana e boa semana para todos.

Beijos.

Paula Barros said...

Ah, como escreves bem!

És um amor de afeto e ternura para com os amigos e familiares, e eu, mesmo uma amiga virtual fui acolhida no mar imenso do teu carinho me tornando uma amiga real.

beijo

Sofá Amarelo said...

Podes não ser mar mas és vento...

Filoxera said...

Tornast-te, assim, porto de abrigo...
Um beijo salgado.

Duarte said...

A isso é ao que se deve chamar um bom porto de abrigo.
Adorei.

Abraços de vida