Thursday, October 28, 2010

Porque me apetece Ary dos Santos

Soneto presente

Não me digam mais nada senão morro
aqui neste lugar dentro de mim
a terra de onde venho é onde moro
o lugar de que sou é estar aqui.

Não me digam mais nada senão falo
e eu não posso dizer eu estou de pé.
De pé como um poeta ou um cavalo
de pé como quem deve estar quem é.

Aqui ninguém me diz quando me vendo
a não ser os que eu amo os que eu entendo
os que podem ser tanto como eu.

Aqui ninguém me põe a pata em cima
porque é de baixo que me vem acima
a força do lugar que for o meu.

José Carlos Ary dos Santos
(vou ali e depois volto. logo.)

41 comments:

PRECIOSA said...

Lindo!
Lindo!]
Lindo!

Abraços carinhoso
Preciosa Maria

trepadeira said...

É bom recordá-lo.
Um abraço,
mário

anamar said...

Viva Maria!
:)) Abraço

vovó said...

o que eu convivi com e acompanhei este soneto! ...

beijocassssss vovómaria

ps: quando repetimos a bela empada? :)...

Luis Eme said...

soneto muito presente...

beijinho Maria

Justine said...

Fica a voz do Ary a ecoar dentro de nós...
Volta bem:))

bettips said...

Ouço-o
poderoso como as ideias.
Bjinho Maria

Fernando Samuel said...

O Peta de corpo inteiro.

Um beijo grande.

Apenas eu said...

Olá MariA!
Obrigada pela partilha.
um beijo e volta logo...

Paula Barros said...

Me passou uma luta constante.

Maria, eu cheguei e você vai. rsrs Volta logo!

E espero você pelo Brasil, e vem logo. Se não passar por pernambuco, se for próximo quem sabe vou lhe dar um abraço.

beijo e bom final de semana.

tulipa said...

Bem, vim à procura de outro dos seus fabulosos posts.
E, que encontro?
Ary dos Santos.
Poderoso!!!

Por aqui, estou melancólica...
lá fora a chuva cai, molha e gela as nossas almas, dia feio, cinzento e frio, um verdadeiro dia de Inverno e ainda estamos em Outubro...

Bom fim de semana.

tulipa said...

Bem, vim à procura de outro dos seus fabulosos posts.
E, que encontro?
Ary dos Santos.
Poderoso!!!

Por aqui, estou melancólica...
lá fora a chuva cai, molha e gela as nossas almas, dia feio, cinzento e frio, um verdadeiro dia de Inverno e ainda estamos em Outubro...

Bom fim de semana.

Carlos de Thalisson T. Vasconcelos said...

Um bom poema, finalmente.

smvasconcelos said...

Ary, para sempre!!!:))
beijo,

Jaime Piedade Valente said...

uma pergunta aos leitores deste blogue:

não vos incomoda que a Maria defenda a "Liberdade para os 5 cubanos presos nos EUA!" e nunca tenha escrito nada acerca das centenas de cubanos presos em Cuba apenas por defenderem a liberdade e criticarem o regime comunista?

não vos incomoda que ela nunca fale da aberrante ditadura da Coreia do Norte?

não vos incomoda que ela não tenha nada a dizer acerca do dissidente chinês que ganhou o prémio Nobel, preso por promover um simples abaixo-assinado?

Sofá Amarelo said...

Eu sou português aqui!

João P. said...

Maria:

Então estou bem aqui!

Onde não nos põem a pata em cima

Beijo

João P.

Maria said...

João P.

Por muito que tentem, de diversas maneiras, NÃO põem!

Estou com net portátil, difícil comentar blogues, ouvir músicas, etc...

Bom fim-de-semana para ti, apesar da chuva.
Beijo, João.

mariam said...

Maria,

Porque apetece ler e reler as palavras de ARY.. sempre.

Porque apetece aqui voltar.. sempre, também.

beijinhos :)
mariam

Swt said...

Tivesse eu esta garra toda! Não tenho, e deixo que me ponham a pata em cima...

Manuela Freitas said...

Não é difícil advinhar porque te apetece Ary...ainda bem que te apetece, porque Ary é um poeta de sempre!
Beijinhos,
Manuela

Carmo said...

Que bom é recordar Ary dos Santos!
Obg
Boa semana

Pedro Branco said...

Este Ary é muito... sempre mais.

Duarte said...

Grande, imenso, um poeta de corpo inteiro. Todas as suas poesias levam uma mensagem com uma grande carga emocional e enlevo.

Alentos de paz e um abraço

Fernando Santos (Chana) said...

Belo poema de Ary...Espectacular....
Cumprimentos

maresia_mar said...

Olá Maria
infelizmente todos nos põem a pata em cima!!!!!! Grande Ary, tão actual.. Um beijo com muitas saudades

Nilson Barcelli said...

Soberbo e inimitável.
Excelente escolha.
Beijos, querida amiga.

Só Eu (Ricardo) said...

Olá Maria.
Grande Ary!
Já agora. Quanto a patas. Só se forem as de um cavalo à solta...
Obrigado Maria.
Beijinhos
Ricardo

mdsol said...

Ai Maria, que tenho andado arredia. Chego aqui, leio este soneto e lavo a alma!

Beijinho

:)))

clic said...

E é mais do que hora de encontrar um pedacinho de Ary, dentro de cada um de nós!... :)

vovó said...

cavacas, Maria!!!
o nome é uma treta, mas adoro!!! :)

saudadessssssssss
beijocassssssssss
vovómaria

Rosa dos Ventos said...

Ary, sempre!

Abraço

Baila sem peso said...

Um soneto de poeta guerreiro
Ary, de corpo inteiro!!!

Volta e vira...Maria noutro chão respira :)

Beijo

heretico said...

um soneto para lavar a alma de tanto fedor em volta.

beijo, Maria

A.S. said...

Ary dos Santos... mexe sempre com a gente! SEMPRE!!!


Um beijo Maria!
AL

GR said...

Como Ary nos dá...aquela força.

Bjs,

GR

Cristina Fernandes said...

Um grande poeta que nunca me canso de ler...
Bjs
Chris

Maria P. said...

Como eu te entendo...:)

Beijinho, minha Maria*

Rafeiro Perfumado said...

E bem precisamos que ninguém nos meta as patas em cima. Ou mesmo de lado!

Beijoca!

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.

Bom fim-de-semana.
Beijos.

Carlos Albuquerque said...

É bom reencontrar Ary!
Está a tornar-se urgente reerguer a palavra NÃO. Um NÃO que para ser efectivo colectivo deverá ser.
Bom fim-de-semana.
Beijo