Thursday, April 14, 2011

Dia 360


Saboreio a vida de modo diferente, hoje. Porque o meu corpo também já não é jovem nem insaciável. Mas também não é cobarde e a vida ensinou-me tanto. Vivo a calma que me dá a idade que tenho. Há dias em que os pássaros me vêm buscar e vôo com eles. Volto tarde na noite e nada importa. Apenas tu, que me esperas...


21 comments:

A. Jorge said...

...e é tão bom quando os pássaros nos vêm buscar para voar com eles...

Beijos

Jorge

Constantino, Guardador de Vacas said...

Como eu adoro ler quem escreve "canções" de amor como esta.

Duarte said...

Palavras que são versos, dessas que enamoram, até na solidão... enchem de satisfação o ser.

Beijinhos

anamar said...

Essa tua acalmia, foi sentida por mim no sábado...
Pareces estar bem com a vida.
Beijo
Ana

Bipede Implume said...

Olá Maria
Só posso concordar contigo. Só uma alma em paz pode sentir assim.
Sempre gostei muito da Guarda mas achava que ficava muito longe e ia adiando a viagem. Faz-se muito bem.
Recordei as papas de carolo...que bom.
Beijinho
Isabel

Luis Eme said...

palavras simples, calmas e bonitas.

beijinho Maria

OUTONO said...

E quão bom...é esse saborear lento...onde nos perdemos, sem vontade de continuar.
Apetece partir a clepsidra da vida e cair no êxtase...de dizermos apenas...e ainda bem!

Beijinho.

Fernando Samuel said...

Tão bonito!


Um beijo grande.

Justine said...

Que bem escreves a serenidade do envelhecimento. E às vezes é tão bom...

trepadeira said...

Só pode viver assim quem sempre lutou acreditando.
Vôo sempre com os pássaros.

Um abraço,
mário

rouxinol de Bernardim said...

A verdade é simples como este texto sublime!

viajantes said...

Gosto desse sabor que também costumo experimentar.
Linda leve e doce é esta escrita.
Beijinho

Sérgio Ribeiro said...

É isso tudo. E muito bem (bonito) escrito.
A arte do en velho ser que procuro aprender em cada dia que passa e mo ensina.

Um grande beijo

Pedro Branco said...

Nas tuas águas uma vida. Um sussurro de nós. Nas tuas águas, um caminho para a foz.
Na tua corrente uma inquietação. Um beijo mais. Na tua corrente é que te vais.
No teu reflexo a saudade. A pele ainda quente. No teu reflexo, sempre ausente.
Na tua história o tempo. A certeza de um passo. Na tua história, a cor de um abraço.
Na tua cor o mundo inteiro. As vozes que se fazem luta. Na tua cor, o coração que se escuta.
Na tua margem o olhar. Flores que nascem para mim. Na tua margem, que me abraça assim.
No teu leito o amor. Os segredos amantes do quarto. No teu leito é que parto.
No teu silêncio os gritos. Molham-se os pés de mansinho. No teu silêncio, mantos de carinho.
No teu nome a eternidade. E fico neste voo de mão dada. No teu nome, a minha estrada!

Paula Barros said...

A vida ensina, e todos os dias aprendemos.

Preciso ressaltar este trecho, belíssimo. Sempre a me encantar.
"Há dias em que os pássaros me vêm buscar e vôo com eles. Volto tarde na noite e nada importa"

Um ótimo final de semana. beijo

Papoila - BF said...

A simplicidade e sabedoria em palavras de a quem "a vida ensinou tanto"

Um beijo
BF

mfc said...

Que ninguém nos ouça.... mas gosto de esperar por ti!

Só Eu (Ricardo) said...

Gosto desta tranquilidade.
É bom "pressentir-te" calma e de bem contigo.
Beijinhos Maria.
Ricardo

Bolota said...

Soube-me bem ler este bocadinho de texto que gostaria que fosse maior mas que se calhar depois era demais...soube-me bem

João P. said...

Que bem que se está à sombra deste Pinhal!

Grato

João P.

Nilson Barcelli said...

Acho muito bem que não sejas cobarde com o teu corpo... voa sempre que os pássaros te venham buscar...
O texto é belíssimo. Só não percebi o título... era o teu aniversário? Então devia ser "Dia 365"...
Um beijo, querida Maria.