Saturday, April 23, 2011

Música de Abril IV



Ser Solidário

Ser solidário assim pr’além da vida
Por dentro da distância percorrida
Fazer de cada perda uma raiz
E improvavelmente ser feliz

De como aqui chegar não é mister
Contar o que já sabe quem souber
O estrume em que germina a ilusão
Fecundará por certo esta canção

Ser solidário assim tão longe e perto
No coração de mim por mim aberto
Amando a inquietação que permanece
Pr’além da inquietação que me apetece

De como aqui chegar nada direi
Senão que tu já sentes o que eu sei
Apenas o momento do teu sonho
No amor intemporal que nos proponho

Ser solidário sim, por sobre a morte
Que depois dela só o tempo é forte
E a morte nunca o tempo a redime
Mas sim o amor dos homens que se exprime

De como aqui chegar não vale a pena
Já que a moral da história é tão pequena
Que nunca por vingança eu te daria
No ventre das canções sabedoria

10 comments:

svasconcelos said...

Adoro!!
beijo,

vovó said...

das canções mais bonitas que conheço!
também, deste senhor, não se espera outra coisa :)...

(hoje, atrevi-me :)))... tens que pôr mais vezes o Zé Mário :)))...)

beijocassssss
vovómaria

OUTONO said...

Estou solidário contigo...
Beijo!

salvoconduto said...

Olha que anda para aí gente a querer acabar com essa palavra, protege-a bem.

Abreijo.

Só Eu (Ricardo) said...

Uma Voz incontornavel de Abril.
Beijinhos Maria
Ricardo

Sofá Amarelo said...

Só de punho erguido a canção terá sentido!!!

Muitos beijinhos!!!! E boa Páscoa, antes que o FMI a leve também!

mfc said...

Cada vez mais e mais!
Gosto da força que ele imprime a todas as suas composições!

Ana said...

Uma voz inconfundível ! Um poema que não se esquece !
Obrigada, Maria !
Boa Páscoa e um beijinho para ti *

Filoxera said...

A d o r o !
Beijos.

João P. said...

Maria:

Comovo-me sempre que a ouço, sempre e sempre. Tem uma força enorme e dá-me uma força sempre que dela preciso

De quem é o Carvalhal?
É NOSSO!

beijo

João P.