Friday, April 22, 2011

Música de Abril III



Fala do Homem Nascido

Venho da terra assombrada
do ventre de minha mãe
não pretendo roubar nada
nem fazer mal a ninguém

Só quero o que me é devido
por me trazerem aqui
que eu nem sequer fui ouvido
no acto de que nasci

Trago boca pra comer
e olhos pra desejar
tenho pressa de viver
que a vida é água a correr

Venho do fundo do tempo
não tenho tempo a perder
minha barca aparelhada
solta o pano rumo ao norte
meu desejo é passaporte
para a fronteira fechada

Não há ventos que não prestem
nem marés que não convenham
nem forças que me molestem
correntes que me detenham

Quero eu e a natureza
que a natureza sou eu
e as forças da natureza
nunca ninguém as venceu

Com licença com licença
que a barca se fez ao mar
não há poder que me vença
mesmo morto hei-de passar
com licença com licença
com rumo à estrela polar

17 comments:

Graça said...

António Gedeão... como gosto! Dito, cantado, lido...


Beijo, querida Maria.

anamar said...

Boa escolha...
Bom fim de semana e boa viagem quando for caso disso...
Beijo
Ana

Teresa Durães said...

infelizmente parece que deixámos de pedir o que nos é devido. E eu crio filhos emigrantes

Papoila - BF said...

Maria, nesta fase que precisamos que Abril Renasça façamos um Hino numa só vós para que novamente as ruas tenham palavras e as gentes sejam a sua alma.

Um beijo
BF

Papoila - BF said...

corrigindo o erro "numa só voz"

Beijo :):)
BF

Rosa dos Ventos said...

Gosto muito de António Gedeão e deste poema musicado!

Abraço de Abril

Só Eu (Ricardo) said...

Abril em flor na voz do Samuel e nas palavras de Gedeão.
Beijinhos Maria
Ricardo

GR said...

Melhor escolha não encontrarias.
Grande Samuel, maravilhosa VOZ!

Gd BJ,

GR

M. said...

Boa Páscoa para ti, Maria!
Beijo agradecido

Justine said...

Olha que boa escolha:))))

mfc said...

Um poema e uma voz de eleição...

João P. said...

pois

pedir o que temos direito também não faz muito sentido

só qwuero o que me é devido!

beijo

João

svasconcelos said...

Este bolgue cheira a Abril! :)) Adorei as escolhas.

beijo! :))

samuel said...

As escolhas dos cantores estavam a ir tão bem... :-)))

Abreijo.

Sofá Amarelo said...

Talvez a melhor canção de sempre da música portuguesa...

Ana said...

Gedeão na voz de Samuel ! Que boa memória trazes !

Parapeito said...

Adoro este poema tao bem cantado!!
Com licença...com licença!
brisas livres*****