Tuesday, July 19, 2011

Para quem não lê o 'Cantigueiro'

Barack Obama – Uma pequena carta




Diz você, Barack Obama, do alto da sua arrogância imperial e pretendendo disfarçar a gigantesca, incalculável... e, muito provavelmente, impagável dívida dos EUA, que os EUA não são Portugal. Está carregado de razão!
Deixando de lado umas tantas coisas muito boas que vocês por aí têm, quase todas no campo das artes e da ciência... e para as quais você não contribuiu com rigorosamente nada, na verdade os EUA não são Portugal.
- Portugal tem muitos séculos de História... não nasceu “ontem”.
- Portugal aboliu a escravatura cem anos antes dos EUA.
- Portugal não pratica a iníqua pena de morte, tendo a última execução conhecida, ocorrido há mais de 150 anos.
- Portugal, mesmo com tantas entorses provocadas pelos nossos indígenas adoradores dos EUA, tem um Serviço Nacional de Saúde de que (ainda) se pode orgulhar.
- Portugal, mesmo com tantas entorses provocadas pelos nossos indígenas adoradores dos EUA, ainda tem leis laborais com que a generalidade dos vossos trabalhadores só pode sonhar e uns poucos lutam para conseguir (sindicatos livres, segurança no trabalho, férias pagas, assistência na doença, etc., etc., etc.).
- Portugal, mesmo com tantas entorses provocadas pelos nossos indígenas adoradores dos EUA, ainda tem um sistema político plural.

- Portugal não pergunta aos que o visitam qual a sua ideologia, como condição para os deixar entrar.
- Portugal não promove nem financia o assassínio de dirigentes políticos estrangeiros.
- Portugal não promove, nem financia golpes de estado, para fazer substituir governos legítimos por ditaduras militares.
Na verdade, não fosse a vergonhosa subserviência de alguns, que permitiu a participação de militares portugueses em missões criminosas como as que foram levadas a cabo, por exemplo, no Iraque, para defender os vossos exclusivos interesses... e poderia dizer que Portugal, desde Abril de 1974, nunca mais tinha sido culpado da invasão, da opressão e do assassínio de outros povos... mesmo tendo contribuído para alguns destes crimes cometidos às vossas ordens, apenas com “meia dúzia” de soldados.
Poderia continuar a fazer crescer a lista das nossas diferenças, mas estas poucas linhas são mais do que suficientes para se constatar que, como você bem disse, os EUA não são Portugal.
E ainda bem!

15 comments:

Maria said...

Com alguma repulsa deixo aqui a foto fo homem. Para ser totalmente fiel ao post no Cantigueiro...

:(

Memória de Elefante said...

Excelente texto!
Ainda há tempo de enxergar que no atual cenário político a honradez naufraga numa canoa furada.
O povo contempla sem grande esperança o que acontece "no palco".

Um beijo

zmsantos said...

Eu leio. Sempre!

Rosa dos Ventos said...

Eu leio, às vezes!
Este li-o!
Subscrevo!

Abraço

samuel said...

Abreijo. :-)))

Paula Barros said...

Diante de tantas crises, este texto elenca motivos de orgulho dos portugueses e para os portugueses.

O ser humano, sempre ele, com as ambições, as prepotências, as arrogâncias, a luta pelo poder. E continuam errando.

abraço

Fernando Samuel said...

Há que fazer chegar a certa ao destinatário, já!

Um beijo grande.

Maria Clarinda said...

Foi bom passar a minha manhã lendo-te. Obrigada, tinha saudades!

Maria said...

Muito obrigada a todos os que passaram por aqui, tendo ou não comentado este post.
O importante mesmo era lê-lo, e foi lido por muita gente!

Beijos a todos.

Filoxera said...

Partilho dessa opinião: felizmente!
Beijos.

mfc said...

Upsssssss... e ainda bem!
Que ele tenha razão por muitos e muitos anos!

Tite said...

Eu logo percebi que o Nobel da Paz lhe tinha sido atribuído prematuramente.

Até terminar o mandato muita água correrá debaixo da ponte e mais desilusões se acumularão.

Um Presidente do EUA, lá por ser negro, não deixa de "sair aos seus" compatriotas e o veneno está-lhes nos genes.

Gostei e já fui classificar o texto do Samuel

Manuela Freitas said...

ÓPTIMO!
Bjs,
Manuela

bettips said...

Sim. Tudo difere.
Ainda BEM!

João P. said...

Apoiado.

Um destes dias roubo-o para minha casa!

Grato

João P.