Monday, April 09, 2012

Fala-me do vento

Fala-me do vento. Do que me inunda os sonhos do dia e me inquieta na noite. Do que sopra em todas as direcções menos na minha. Do que te envolve e assobia quando as tempestades te assolam.
Fala-me do vento. Do que respiro para ter a sensação de que te engulo. Do que me bate forte na cara logo de manhã para acordar. Do que te entra no olhar e te faz sorrir assim.
Fala-me do vento. Do que abraço todas as noites quando me deito. Do que na tua ausência dorme sempre comigo neste leito.
Fala-me do vento. Desse que, devagarinho, te faz entrar em mim.

11 comments:

salvoconduto said...

Vento? Por aqui é longa a ventania, é tempestade, é também azia. Só quando ele mudar de direcção. Até lá armo o pára-vento, não passará.

Rogério Pereira said...

Um texto tão terno e manso
quanto o vento
de que esperas que te falem

samuel said...

Que bonito!

Beijo.

... said...

se eu soubesse "dele" falava-te...
Tão lindo...
Um beijo

trepadeira said...

Parece-me ver uma homenagem ao Adriano.

Um abraço,
mário

mfc said...

Gosto desse vento que me traz o meu amor...!

Pitanga Doce said...

Um amor que nos sussurra como o vento. Sei como é, Maria.

BRANCAMAR said...

Muito lindo este texto Maria, tão poético e terno.
O vento traz-nos tanta coisa boa. É um dos elementos da natureza que mais gosto e aqui está tranformado em belas metáforas que se leem com delícia. A Imagem também é muito sugestiva.

Beijinhos para ti.
Branca

A.S. said...

Mais que falar do vento, precisamos senti-lo!...

Belissimo texto Maria!
Beijos,
AL

O Puma said...

Memórias vivas

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.
Beijos.