Wednesday, December 27, 2006

Cocegas...

E quando a distância nos separa
mas a ternura nos envolve desta
maneira, necessária e forte
quase violenta
E os medos que tivemos
ou eu tive
já não são medos, mas quase um
desejo do que ainda não sei
E quando o telefone não toca,
mas eu sei que estás
e que eu estou, exactamente,
em cima da tua secretária
ou às vezes debaixo dela
fazendo-te cócegas...
Aí, tu sorris, e num minuto
pegas no telefone para me dizeres
que me amas, sem o saberes...
e sem o dizeres...

34 comments:

Pedro Branco said...

E se tudo fosse dito verdadeiramente? Se as barreiras fossem somente os rios e os tempo? Se as palavras não mentissem e não se enganassem? Se tudo fosse ser? De que serviria então a poesia?

Obrigado por existires!

Leticia Gabian said...

Que bonitinho, Maria!
Vestiu em mim como uma luva!
Adorei!

Grande beijo pra ti.

poetaeusou said...

Porquê a Distância.
Se de longe se faz Perto ?.
E no momento Certo.
Em envolvimentos Violentos.
Com mesclas de Sentimentos.
Onde o Amor é Substância.
Repara na minha Ansia.
Idealizando Prazeres.
Não de uma forma Precária.
Em cima da Secretária.
As Cócegas ? onde Quiseres.
poetaeusou(matasmenão?)

Cadinho RoCo said...

Maria, Maria...!
Você foi maravilhosa no comentário moça de sete saias. Lindo mesmo.
Dó enciumado.

Luis Eme said...

Cócegas...
distâncias...
ir e voltar...
quase um fado... Maria.

Xica said...

Gostei muito.

Maria said...

pedro branco

Muito obrigada pelas tuas palavras.
Fiquei com o coração apertado...

Um abraço

Maria said...

letícia

Ainda bem que gostaste, escrevo para mim e para quem me lê...

Um beijo enorme

Maria said...

poetaeusou

Tem dias que a distância é tão grande, tão grande, que nunca se faz perto, nunca mais...

Quanto às cócegas, pareces-me muito convencido...

Maria said...

cadinho roco

Ainda bem que gostou das sete saias.
O Dó não tem que ficar enciumado, já que vai voltar ao mar...
Eu amo o Dó

Maria said...

luís milheiro

É isso, fado... vida... vida... fado...
É a vida, sim

Maria said...

xica

Muito obrigada

acordomar said...

Arrepiou-me ....
te logo
Beijo*

Vera said...

Lindo! A alma vai ao encontro do amor! Tocante mesmo!
Um feliz 2007 amiga!

Beijinhos

»zé do mar« said...

Maria da Praia.
Pelo mar Amada.
Das Marés Filha.
Amante da Ilha.
Pelas ondas Guardada.
Lua esconde o teu Luar.
Ela é Desconfiada...???...???
»zé do mar«

Ana Patudos said...

...distância, ternura, forte, violenta,medos,desejo, cócegas,sorris, amas sem o saberes e sem o dizeres, mas dizes tudo aqui em jogo de palavras que se complementam.
Muito bonito Maria

QUE O TEU 2007 SEJA UM ANO DE SONHOS CONCRETIZADOS



BEIJOS
ana paula

Maria said...

acordomar

Não é pra tanto... Está é frio... LOL
até logo
Beijoca

Maria said...

vera

ao encontro do amor, irei sempre!

Bom ano de 2007 também pra ti
Um beijo

Maria said...

zé do mar

A Maria da Praia não é desconfiada, mas as cócegas são assunto SÓ meu!

Inté

Maria said...

ana patudos

Muito obrigada pelas tuas palavras

Um bom ano de 2007 também pra ti.
Um beijo

Anonymous said...

Excelente!

Parece um jogo do esconde-esconde!
Parabéns, gostei mesmo.

Beijinhos:)

Maria P.

P.s. não consegui comentar de outra forma.

Kalinka said...

...Foi o Natal e agora vem o Ano Novo - não ligo nada à noite nem ao dia 1...para mim é tudo igual.
Aproveito para ficar estes 3 dias em casa, descanso e faço o que mais gosto, ou vou ao cinema...

Venho agradecer a simpática visita.

Passado que é o Natal, resta-me desejar-te umas boas entradas em 2007.
Que realizes todos os teus sonhos nesse ano.
Beijos e abraços.

João Aguiar said...

Bonito poema! Continua a escrever (e a publicar) versos como estes!

Desassossego said...

Maria, é a ausência presente e a presença ausênte de quem nos faz ser e é connosco... nunca tinha percebido muito bem isso... mas agora por vivê-lo sei que nem sempre é fácil e que as cócegas são muitas....

Um beijo doce e um ano recheado de amor...

lasac.j said...

PARA A AMIGA DA PRAIA:
Não será,
Auto-violentação,
Mulher acção,
Maria,
Dos espaços abertos,
E cobertos,
De areal, sol e mar,
Lua, luar, prateados,
De que mais precisas,
Naria...
Ouve o cantar da,
Cotovia...
E insere os teus sentimentos,
Poemados...
lasac.j

delfim peixoto said...

Lindo mesmo e alegre..
jnhs doces

Maria said...

maria p.

Muito obrigada, o amor é também (às vezes) esse tal jogo do esconde-esconde…

Beijocas

(os blogs às vezes andam marados, sim, eu também tenho tido alguma dificuldade em comentar…)

Maria said...

kalinka

Igual como tu, não ligo nada ao fim do ano nem ao início do outro.
Vou ficar a ver o fogo de artifício (de que gosto) na tv…
… e a pensar na vida!!!

De qualquer forma, e porque começa um outro ano, tudo de bom para ti.

Um grande abraço apertadinho e um beijo

Maria said...

joão aguiar

És um estímulo, o teu blog também!!!
Um abraço

Maria said...

desassossego

É isso! E só quem vive percebe…

Um beijo

Maria said...

lasac,j

Obrigada pelo teu poema

Um abraço

Maria said...

delfim peixoto

E eu amo o que tu escreves…

Beijo grande

APC said...

Lindo, Maria, lindo!!!´
E agora que nos cruzámos, quem sabe não tem que ser a última vez?
A vida tá sempre a dar voltas.
Que a tua dê a melhores e as mais felizes, a contar já para este 2007 que se anuncia, é o que te venho desejar!:-)))
E obrigada! ;-)

Maria said...

apc

Muito obrigada pelas tuas palavras.
Se tu quiseres, não tem de ser a última vez...

Que o novo ano te dê a felicidade de concretizares os teus sonhos!

Um beijo