Saturday, March 08, 2008

amiga amada amor amante Mulher


Meu amor querido

Adoro-te minha gata de Janeiro meu amor minha gazela meu miosótis minha estrela aldebaran minha amante minha Via Láctea minha filha minha mãe minha esposa minha margarida meu gerânio minha princesa aristocrática minha preta minha branca minha chinezinha minha Pauline Bonaparte minha história de fadas minha Ariana minha heroína de Racine minha ternura meu gosto de luar meu Paris minha fita de cor meu vício secreto minha torre de andorinhas três horas da manhã minha melancolia minha polpa de fruto meu diamante meu sol meu copo de água minhas escadinhas da Saudade minha morfina ópio cocaína minha ferida aberta minha extensão polar minha floresta meu fogo minha única alegria minha América e meu Brasil minha vela acesa minha candeia minha casa meu lugar habitável minha mesa posta minha toalha de linho minha cobra minha figura de andor meu anjo de Boticelli meu mar meu feriado meu domingo de Ramos meu Setembro de vindimas meu moinho no monte meu vento norte meu sábado à noite meu diário minha história de quadradinhos meu recife de Manuel Bandeira minha Pasargada meu templo grego minha colina meu verso de Höderlin meu gerânio meus olhos grandes de noite minha linda boca macia dupla como uma concha fechada meus seios suaves e carnudos meu enxuto ventre liso minhas pernas nervosas minhas unhas polidas meu longo pescoço vivo e ágil minhas palavras segredadas meu vaso etrusco minha sala de castelo espelhada meu jardim minha excitação de risos minha doce forquilha de coxas minha eterna adolescente minha pedra brunida meu pássaro no mais alto ramo da tarde meu voo de asas minha ânfora meu pão de ló minha estrada minha praia de Agosto minha luz caiada meu muro meu soluço de fonte meu lago minha Penélope meu jovem rio selvagem meu crepúsculo minha aurora entre ruínas minha Grécia minha maré cheia minha muralha contra as ondas meu véu de noiva minha cintura meu pequenino queixo zangado minha transparência de tules minha taça de oiro minha Ofélia meu lírio meu perfume de terra meu corpo gémeo meu navio de partir minha cidade meus dentes ferozmente brancos minhas mãos sombrias minha torre de Belém meu Nilo meu Ganges meu templo hindu minha areia entre os dedos minha aurora minha harpa meu arbusto de sons meu país minha ilha minha porta para o mar meu manjerico meu cravo de papel minha Madragoa minha morte de amor minha Ana Karénine minha lâmpada de Aladino minha mulher

(António Lobo Antunes)
in) D'este viver aqui neste papel descripto
Cartas de Guerra

32 comments:

Pitanga said...

Maria, a esta hora deves estar a te preparar para a Exposição da Letícia, mas quando voltares vai ao Pitanga Doce!

beijos

FERNANDA & SONETOS said...

Olá querida amiga Maria, que lindo este texto... Simplesmente adorei!!!
Obrigada por exestires MULHER... Adoro-te!!!
Como sou feliz agora
sorrio e danço a cantar
solto de mim males de outrora
consigo de novo sonhar
até o nascer da aurora!
Beijinhos de muita amizade,
Fernandinha

fj said...

Belo texto neste dia de todas as mulheres q para mim devem ser todos os dias do Ano.
...e porque hoje é sabado votos de um bom fds
bjs Maria

mfc said...

Absolutamente terno.

Papoila said...

Boa escolha Maria neste dia que é nosso como todos os outros dias do ano.

Beijos
BF

tufa tau said...

não falta dizer mais nada minha maria

O Sibarita said...

Dona moça Maria!

Obrigado pelo comentário lá no Sibarita, demais viu fia? Hummmm kkkk

Oi Estou sem ir aos blogues, meu pai voltou a ser hospitalizado há uns 15 dias então estou sem tempo para visitar os blogues e em especial ao seu.

Ele se encontra no Hospital Português, ok? E Com vai minha Cumade? Dá lembranças a ela!

Belo poema ésse, hein?

Depois com tempo volto para comentar os demais postes viu neguinha? Hummm kkk

bjs
O Sibarita

Justine said...

O homem é um grande escritor, mas não posso deixar de dar razão ao outro: todas as cartas de amor são ridículas!
É, contudo, um modo original e divertido de lembrares o 8 de Março.
Viva nós!

Meg said...

Maria!
Este texto lê-se de uma assentada, até perder o fôlego
Eu adoro o Lobo Antunes e tudo o que ele escreve... e ese texto é bem avançado...
Adorei.

Um grande abraço

samuel said...

Fiquei sem palavras... :)))

Abreijos

Maria Faia said...

Querida Amiga,

Neste dia dedicado a nós, venho deixar-te um beijo particular, com muita Paz, Liberdade e Verdade.

Tudo de bom,

Maria Faia

Anonymous said...

Querida Maria!

é sim senhora! é um lindo texto! aliás todo o livro, mesmo com as partes menos boas da vida...

grande manifestação!
a luta continua!
beijocas,
vovó Maria.

Carminda Pinho said...

Excelente!!!
Não admira... é António Lobo Antunes.
Parabéns por o partilhares neste dia.

Beijos

Agulheta said...

Maria. Gostei deste texto de Lobo Antunes,conheço algumas coisas dele,escritas em tempo de guerra.
Para ti que és mulher deixo uma flor de amizade neste dia e beijinho Lisa

Blue Velvet said...

Só mesmo tu para escolheres este texto.
Ai, até estou sem fôlego.
E o giro é que tenho um post feito sobre ele para publicar:))))
Bjinhos e veludinhos doces

Era uma vez um Girassol said...

Um texto belissimo para a mulher, que merece tudo isto!!!!
Não conhecia...
Obrigada, Maria!
Bjs

Alice Matos said...

Que lindo Maria...
Trazeres aqui LObo Antunes foi de um bom gosto profundo, neste dia...

Obrigada pelas tuas visitas, apesar da minha ausência...

Beijo grande para ti...

Sophiamar said...

Eu já li isto!!!! pensava enquanto lia o post. Uma carta dedicada à Zezinha do coração do António, que já partiu. Esteja lá onde estiver, este dia também é para ela. Para todas as mulheres. Gosto de Lobo Antunes mas tenho uma paixão por Vergílio Ferreira. Amor, Amor mesmo. E tenho orgulho que uma Secundária de Carnaxide o tenha como patrono.
Beijinhosssss

p.s. Ontem, o dia da mulher teve um sabor especial. Muitas, muitas estiveram na rua .

MiE said...

A mais bela carta de amor que alguém já escreveu...

Um beijo

grande

Fernando Santos (Chana) said...

Cara amiga, belo texo dedicado à mullher, na vervade ontem foi o Dia Internacional da mulher data escolhida para assinalar e trágica morte de centenas de operárias têxteis Norte-Amaricanas, nos finais do seculo XIX.
No nosso país trinta e tal anos passados de 25 de Ablil de 1974, as mulherea continuam a estar em maior número das estatísticas, e não pelas melhores razões. Veja-se os números do desemprego, os baixos salários e o numero de vitimas de maus tratos e todas as desigualdades existentes em pleno seculo XXI.
Um abraço

Ana Luar said...

Mulherrrrrrrrrrrr eu sou asmática possa e ler este post foi quase.............. ufaaaaaa ainda estou sem ar.:)

Atrasado... Mas obrigada por seres mulher.

elvira carvalho said...

Uma bela escolha Maria.
Hoje estou pondo as visitas em dia, que ontem o sr. Google não me deixou. Levou o dia a mostrar-me um cartão a dizer erro não sei de quê...
Bom Domingo
Um abraço

Maria P. said...

Fantástico!

Beijinho Maria*

Cöllyßry said...

Belo texto neste dia, que o é todos os dias do Ano...

Estou de volta,

Doce beijoca

Oris said...

Mas que excelente texto....de amor.

Boa semana, Maria.
Beijitos

isabel said...

muito original :)

beijo maria

Anonymous said...

Não entendo porque nos dias de hoje haja um dia da mulher, do pai, da mãe o canário do esfregão da loiça, não há paciência para tanta demência, como mulher, sinto-me humilhada, ninguem tem que me dignificar, eu encarrego-me disso.
Mas quem quer brilhar e dizer umas pérolas à conta disso, quem sou eu para impedir?
Masturbem-se com frases gastas!
(Muitas geniais).

De Amor e de Terra said...

Querida Maria boa noite; Agradeço-te lembrares aqui Lobo Antunes e este texto que ainda não conhecia e que AMEI!
OBRIGADA e Beijos

Maria Mamede

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.
É bom estar convosco...

Beijos

Maria said...

anonymous das 8:36 pm

Volta sempre
As tuas palavras são um diamante neste blogue

Sininho said...

Por falta de tempo, nem sempre tenho percorrido os cantinhos de que gosto.
Só hoje li esta verdadeira declaração (nunca li o livro).
Imaginação prodigiosa a deste homem e excelente escolha para o dia.

Beijinho

Maria said...

sininho

Às vezes tenho dias "iluminados" e escolha ALA ou outro grande escritor..... hehehe

Espero que a tua falta de tempo eja passageira...

Beijinhos