Thursday, March 06, 2008

Elogio do trabalho clandestino

É bonito
usar da palavra na luta de classes
clamar alto e bom som pela luta de massas
pisar os opressores libertar os oprimidos.
Árdua e útil é a pequena tarefa de cada dia
que secreta e tenaz tece
a rede do partido sob
os fuzis apontados dos capitalistas:
Falar mas
escondendo o orador.
Vencer mas
escondendo o vencedor.
Morrer mas
dissimulando a morte.
Pela glória, quem não faria grandes coisas? Mas quem
as faz pelo olvido?
No entanto, o pobre que mal come
senta a honra à sua mesa;
Das pequenas cabanas em ruínas
surge a grandeza irresistível.
E a glória busca em vão
os autores do grande feito.
Saí da sombra
por um momento
rostos anónimos, dissimulados, e aceitai
o nosso agradecimento.

(Bertolt Brecht)

24 comments:

Sal said...

Muito Bonito. E Actual. É Brecht. Está tudo dito.
Beijinho

DelfimPeixoto said...

Só Brecht.... alé, de Sartre, claro
Gostei!

MiE said...

"Árdua e útil é a pequena tarefa de cada dia"

Brecht Sempre!!!

Agora...Mais do que nunca!!

Um grande beijo

fica bem

Papoila said...

Um lutar sempre e cada vez mais necessário...

Beijinhos Maria
BF

Pecadormeconfesso said...

Brecht polémico.

O Profeta said...

Empolgante texto de Brecht...


Passou o dia sobre as cidades
Esquecido por esta estação
Uma flor deposita no vento uma semente
Este ribeiro leva consigo a ilusão

Secretamente a terra a recolhe
Guarda-a da voragem do vento
Espera que agua a fecunde
Explode a vida a cada momento

Convido-te a sentir a magia do fim do dia
ao toque das trindades…


Doce beijo

samuel said...

Já os vi. Já tive o privilégio de conviver com alguns.
Simples e sempre prontos a ajudar em qualquer pequena tarefa... genuinamente embaraçados quando se tratava de receber uma homenagem ou um simples elogio público.
Como já tenho dito, são pessoas que fazem parecer fácil o heroísmo.

Abreijos.

Ana Luar said...

Saia a grandeza da toca e ensine aos pobres de espirito o que é a honra.

Maria simplesmente belo e real... tão verdade que arrepia.


Possa e agora como vou manter conversa se concordei de prontidão ctg e com Brecht?



começo a pensar em formas de discordar ctg rsrsrsrsrs

Fernando Pinto said...

As tuas fotos do oceano acalmam-me... Obrigado por nos ofereceres a maresia, o marulhar do mar...

Abraço,
Fernando Manuel

António Inglês said...

No fundo são os grandes obreiros das grandes vitórias...
Conheço alguns de bem perto...
Minha amiga cá estou de nova roupagem e de bem com a vida e comigo próprio.
Esta mudança estava anunciada e tinha de acontecer.
Hoje sou mais EU e isso faz-me sentir bem.
Deixo-te mil beijinhos prometendo tentar fazer esquecer aquele malandro do Zé.
António Inglês

Entre linhas... said...

Uma luta incessante e incansável do dia a dia,de pequenas "coisas" fazem um milagre.
Bjs Zita

SILÊNCIO CULPADO said...

Bertolt Brecht para mim é como um missal na mão de alguém crente.
Esta frase deixa-me sem palavras.
"Pela glória, quem não faria grandes coisas? Mas quem
as faz pelo olvido?"
Cava muito fundo quando diz isto.
Beijinhos

Outonodesconhecido said...

Brecht, sempre Brecht - Bem aplicado! gosto muito dele.
Boa noite

Maria P. said...

E de novo as palavras certas no tempo certo.

Beijinho Maria*

mfc said...

É bom saber de novo que a luta ainda é possível!

poesianopopular said...

Que melhor prenda, nos 87 anos do Partido comunista Português.
Nós tambem somos Brescht
Abraço
José manangão

Brancamar said...

Maravilhoso este poema, já o conhecia, mas há muito muito tempo que não o lia e foi como se de repente sempre tivesse estado na mnha frente. Tal como a Lídia do silêncio culpado acho que aquela frase que ela menciona cala muito fundo porque traduz toda a generosidade do amor desinteressado de quem faz de uma luta colectiva a sua missão.
Obrigada por nos trazeres um autor tão genial e um texto tão belo.
Beijinhos

Fernando Samuel said...

Brecht é sempre a palavra certa no tempo certo... a dizer-nos tudo o que já sabíamos mas não sabíamos que sabíamos...

C Valente said...

Sauda�es amigas e boa noite

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram por aqui, Hoje!
Gosto de Brecht. Que posso fazer?

Beijos

Blue Velvet said...

" O pobre que mal come senta a honra à sua mesa"
As coisas que este homem escreveu.
Verdades tão verdadeiras...e tão lindas.
Que bom teres posto este poema aqui.
beijinhos e veludinhos, amiga

herético said...

"Pela glória, quem não faria grandes coisas? Mas quem
as faz pelo olvido?..."

a generosidade sem limites...

beijo

Susete Evaristo said...

Que emoção. Gostei.
Um abraço

Maria said...

blue velvet

herético

susete evaristo


Muito obrigada por terem passado....
Beijos