Monday, September 29, 2008

Ainda e sempre, Ary dos Santos...

Os putos

Uma bola de pano, num charco
Um sorriso traquina, um chuto
Na ladeira a correr, um arco
O céu no olhar, dum puto.

Uma fisga que atira a esperança
Um pardal de calções, astuto
E a força de ser criança
Contra a força dum chui, que é bruto.

Parecem bandos de pardais à solta
Os putos, os putos
São como índios, capitães da malta
Os putos, os putos
Mas quando a tarde cai
Vai-se a revolta
Sentam-se ao colo do pai
É a ternura que volta
E ouvem-no a falar do homem novo
São os putos deste povo
A aprenderem a ser homens.

As caricas brilhando na mão
A vontade que salta ao eixo
Um puto que diz que não
Se a porrada vier não deixo

Um berlinde abafado na escola
Um pião na algibeira sem cor
Um puto que pede esmola
Porque a fome lhe abafa a dor.

44 comments:

salvoconduto said...

O mundo da canção enriqueceu-se, e de que maneira, com os poemas de Ary.

Vera said...

Que belas recordações... A minha mãe cantava esta canção. E na altura eu nem gostava muito... Agora trouxe-me muitas saudades.

Beijinhos linda

samuel said...

E o que as nossas amigas e amigos brasileiros "estranhavam" estes versos?! :)))

Abreijos

Leticia Gabian said...

Maroca,
Os meninos e o jogo da bola... O mundo já foi inocente assim!

Beijo grande

C Valente said...

“Os putos” será aquele poema –canção que ficará para sempre ,e temos também tido a sorte de ouvir a canção por quem tão bem a sabe interpretar
Saudações amigas e boa semana de trabalho

Gilbamar said...

Linda e comovente a letra, melodiosa a música, maravilhoso o seu blog. Voltarei tantas outras vezes.

Fraternos abraços.

BlueVelvet said...

A poesia portuguesa não seria a mesma se não tivesse havido Ary.
Lamentável que ainda haja quem o discrimine por isto e aquilo.
Enfim...mentes pequeninas.
Ele também não se ralava nada.
Boa semana e Beijinhos

lisse said...

A maneira bonita, tantas vezes simples, de construir imagens.
O grito a esmurrar as convenções...
.
.
.

O mar que todos se renova...
todos os dias a refazer águas e marés...
abraço forte

Apenas eu said...

Olá Maria! Bom dia :)
Já me puseste a cantar... parecem bandos de pardais á solta... os putos....
E também, como se já não bastasse:) trouxeste a lembrança do meu avô, no sangue corria-lhe o fado... chegou a cantar aqui e ali... portanto o demer das guitarras é música para os meus ouvidos...
Esta letra é lindissima e olha fiquei bem...

Muitos beijos e um xi-coração apertadinho.

Apenas eu said...

ups! queria diser o "gemer" das guitarras.... também tou a ficar pitosga!!!!

zmsantos said...

Ary foi, e continua a ser, o poeta do amor, da luta e da liberdade.

Beijinho.

despertando said...

Que saudades desses putos de rua. Agora.... agora o puto não pede esmola....
Deixo-te um beijo

Fernando Samuel said...

Ainde e sempre... e sempre, o Zé Carlos.
Obrigado e um beijo grande.

dona tela said...

Uma semana muito fixe para si.

Teresa Durães said...

linda esta música!

Justine said...

É um retrato perfeito , poético, inimitável. Que bom cantarolar os putos!

pin gente said...

"Sentam-se ao colo do pai
É a ternura que volta"

é bonito, sim.

um beijo

Filoxera said...

Esta música é daquelas que acho que me recordo desde sempre.
É linda.
Bijinhos.

Marta Vasil said...

Entrar sem pedir autorização é feio, não é? Através de outros blogues já aqui tinha passeado, mas não me atrevi a comentar. Faço-o hoje, primeiro para lhe dizer que gosto realmente deste blogue, é muito versátil, diversificado e espaireço muito nele. Em 2.º lugar, Carlos do Carmo é um dos fadistas que não me cansa nunca e Ary dos Santos é e será sempre Ary dos Santos.


MV

Lúcia said...

Eh Lá - que bom lembrar isto. É daquelas músicas que estão sempre presentes na nossa cabeça, debaixo da nossa língua - mas nem sempre nos lembramos de a ouvir como dever ser a quem a sabe cantar. E o Ary - nem digo nada que não vale a pena. Saudade...
Beijinhos, Maria

Cris Caetano said...

E essa música tem uma história engraçada contada por ele durante um show aqui no Brasil, já que aqui os meninos não são "putos" porque puto é outra coisa, diz que a platéia o olhava horrorizada e ele sem entender nada, cantou até o fim. Ao final do show é que lhe contaram o porque de tanta cara feia... hehehe

Beijinhos

Agulheta said...

Querida amiga. venho agradeçer a visita,pois tenho estado de cama com uma gripe,vim aqui ontem um pouquinho,mas a cabeça pesada não deixava estar por aqui.este poema tem duas coisas em comum,as palavras do grande Ary,a voz maravilhosa de Carlos do Carmo,se ligam bem,lindo, adorei.
Beijinho e boa semana

em azul said...

Este poema será eterno... neste caso não apenas enquanto dure porque será para sempre.

Um beijo, Maria da ilha
em azul

Eduardo Aleixo said...

Poema lidíssimo ( Ary )numa voz inigualável( C. Carmo).
Boa semana, Maria.
Bj.
EA

hfm said...

Sempre!

Mié said...

...

tu fazes magia

há quanto tempo não ouvia esta bela canção.

deixo-te um beijo

maria ilha

Maçã com Canela said...

MARIA!

Eu adoro esta música... acho-a tão... sei lá... linda!!

Um beij para ti...

Meg said...

Maria,
Estes versos, esta música, este cantor... trazem-nos de volta um tempo que não queremos.
Mas é uma canção eterna.
Um abraço

temporaria_mente insana said...

MARIA,

olá, como vais?

apetece cantarolar... é sempre muito gratificante, passar por aqui. E muito mais, saber que "me acompanhas". sempre...sempre...


muitos beijos

Delfim peixoto said...

Ontem ouvi no RCP, no finl da tarde, uma homenagem ao Ary, com a presença de Fernando Tordo... Merecidamente; e alguém disse, com razão, que é um crime o Ary não vir nos manuais escolares, o que também é a minha opinião

elvira carvalho said...

Tanta falta que nos faz... O que aquele poeta seria capaz de escrever na actual situação do País.
Um abraço e uma boa semana

Ana Patudos said...

Uma letra que veio para ficar...eternamente.
Grande beijinho
Fica bem
Ana Paula

Maria P. said...

Sempre foi das preferidas da minha Mãe, tocava vezes sem conta...


:)Beijinho, Maria*

mfc said...

A força da palavra de um, com a colocação de voz magistral de outro!
... um sonho!

poesianopopular said...

Maria
Grande poeta, grande fadista grandes guitarristas!
Obrigado amiga
Bjos amiga

fj said...

palavras lindas!
...deram um excelnet Fado!
bjs...boa semana

Delfim peixoto said...

Maria, certamente!
Vou parar um tempo... tese, escola, música, Acções, etc. etc

Carla said...

...e a voz de Carlos do Carmo a entrar-me pelos ouvidos!
beijos

Deusa Odoyá said...

OLá minha nova amiga Maria.
Uma linda canção, que nos traz aos velhos tempo da infância, sou do Brasil, e não posso falar sobre putos, pois não ei o que significa, mas a canção e o texto maravilhoso.
Um beijo recheado de ternura e paz.
Boa semana para vc.

Te aguardo no meu cantinho.
Vim através do blog do Sibarita.

Regina Coeli.

Gerlane said...

E eis aqui mais uma amostra de versos sem rédeas e destemidos!

Beijos te deixo, querida!

Maria said...

Para os visitantes do lado de lá do Atlântico:

A palavra PUTOS, aqui, significa CRIANÇAS, MENINOS, ARRAIA MIÚDA!!!!!

Beijos a todos que passaram por aqui

Ana said...

Ary e Carlos, dois grandes nomes, cada qual á sua maneira.
Nenhum deles, bom feitio...

Muitas vezes o talento existe na proporção inversa da simpatia...

Beijinho

pb said...

Outros tempos, outros putos, putos que cresceram e hoje recordam essas vivênvias. Um beijo

Parapeito said...

Sempre e sempre Carlos e Carlos :)

Tambem eu joguei com bolas de pano...corri com o arco...joguei nas beiras dos passeios com as caricas..saltei ao eixo..lancei pião...
Felizzmente não pedi esmola...nem conheci a força bruta dum chui...mas que corria sempre quando passava á frente da esquadra...isso corria... :)
Por este momento...Obrigada
*****