Tuesday, September 16, 2008

ASAS

Nós nascemos para ter asas, meus amigos.
Não se esqueçam de escrever por dentro do peito: nós
nascemos para ter asas.
No entanto, em épocas remotas, vieram com dedos
pesados de ferrugem para gastar as nossas asas como
se gastam tostões.
Cortaram-nos as asas para que fôssemos apenas
operários obedientes, estudantes atenciosos, leitores ingénuos
de notícias sensacionais, gente pouca, pouca e seca.
Apesar disso, sábios, estudiosos do arco-íris e de coisas
transparentes, afirmam que as asas dos homens crescem
mesmo depois de cortadas, e, novamente cortadas,
de novo voltam a ser.
Aceitemos esta hipótese, apesar não termos dela
qualquer confirmação prática.
Por hoje é tudo. Abram as janelas. Podem sair.

José Fanha
(Queridas Bibliotecas)

36 comments:

Ana said...

Eu costumo saír, frequentemente, quando ninguém está a ver...
Que seria de nós se não o fizéssemos, não é verdade?

Beijinho

Maria said...

AMIGOS:

Estou com enorme dificuldade em comentar os blogues. Esta "coisa" da net portátil é mais lenta que um caracol e mais falsa que o pm. Levo dez minutos, em média, até conseguir abrir algumas caixas de comentários, razão por que não respondi ao vossos comentários no post anterior.
Esta "coisa" da net deve ser porque estou na província, porque a autarquia é psd, porque sei lá... porque sim.
Para a semana já tudo terá voltado ao normal, Entretanto vou-vos lendo, comentando quando me deixam e depois logo se vê...

Beijos a todos e boa semana

Vieira Calado said...

Acho que sim. Nascemos para ter asas.
E por que não as utilizamos?
Bjs

Pitanga Doce said...

Acabo de passar dez horas em cima de umas asas. Agora é só caminha.

beijos de cá

marias said...

Nascemos para ter asas, às vezes deixámos que nos as cortassem e então percebemos que não podemos viver sem elas e iniciamos uma renovação que nos vai permitir que as asas cresçam de novo.
É nesse crescer de novo que descobrimos a liberdade de voar para onde queremos e sonhar, pousar e voltar a voar!...

Bons voos!

beijos

BlueVelvet said...

Não conhecia esta lição.
Vou ver se não me esqueço.
Linda mesmo.
Beijinhos

tulipa said...

Será que já cheguei atrasada?
...é que tinha um passeio para aconselhar, se ainda estiveres de férias.
Que tal um GEOCIRCUITO...?

Em plena Rota dos Fósseis (Penha Garcia) e Rota das Invasões (Vila Velha de Ródão) podem encontrar-se escolas de Escalada, que garantem adrenalina ao máximo nas suas actividades, que vão desde a escalada desportiva ao slide, nos quartzitos, e do paintball e TT nas serras do Ródão ao hipismo, nas rotas do contrabando que cruzam o Sinclinal, em Penha Garcia.
Assim, as intervenções em curso nestas aldeias pretendem melhorar a qualidade de vida dos seus residentes, conservar a aldeia como um património cultural e promover as actividades económicas (unidades de alojamento ou de restauração, comércio de produtos locais, animação turística).O programa é basicamente um aproveitamento das condições naturais ímpares de cada localidade.

HOJE, a minha netinha começou a sua vida escolar, a sério!!
1º ano do Ensino Básico.

Um beijinho amigo.

Leticia Gabian said...

As asas voltam a crescer, sim!
Tenho a confirmação prática.

Às vezes, elas ficam meio jururus, encolhidas, quietinhas, mas na maioria do tempo estão sempre inabaláveis, prontas e dispostas ao vôo.

Faço viagens maravilhosas quando as minhas asas me trazem à tua Ilha.

Beijo grande amiga-irmã!

Lúcia said...

Voltarão sempre a crescer - rpincipalmente se nos-la cortarem. A força será maior.
Linda mensagem do Fanha que trouxeste Maria.
Beijinho

amigona avó e a neta princesa said...

Ai minha querida tu estás numa autarquia psd?! Coitadinha!!!Beijocas...

em azul said...

Sou estudiosa de coisas transparentes, e voo. Nem sempre consigo elevar-me do chão. Fico a voar em terra, recolho as minhas asas!
Nem sempre consigo alcançar a altitude de ventos mansos, as asas estão cansadas.
Nem sempre consigo pairar no ar pois a brisa não me reconhece, mas voo... continuo a tentar e continuo sempre a voar.


Um beijo, Maria da ilha
em azul

Luis Eme said...

pois crescem e é tão bom "voar", Maria...

beijinho

Fernando Samuel said...

Está mais do que confirmado pela prática: nós que o digamos...

Um beijo grande.

Filoxera said...

Temos de limpar o bolor das asa de vez em quando...
Beijos.

Maria P. said...

Até sem asas podemos voar bem longe...

Beijinho, Maria*

zmsantos said...

Já o Fanhais dizia: "Cortaram as asas ao Rouxinol. Rouxinol sem asas não pode voar"
Por vezes somos nós próprios que as cortamos, presos a este viver de cabotagem...

Beijinho

Eduardo Aleixo said...

Sim, nós voamos, mais alto que as aves.
Beijos, Maria.
EA

Justine said...

Está confirmadíssimo: lá vou eu janela fora, aproveitando o sopro destas palavras magníficas.
Beijo, Maria

elvira carvalho said...

Nunca deixamos de ter asas, porque a imaginação não conhece grades.
Um abraço

salvoconduto said...

Já que a janela está aberta vou aproveitar.

Abreijo

Gerlane said...

Que belo e inflamado discurso!

É preciso se permitir sonhar,
para poder voar.
É preciso ousar,
para que os sonhos possam se materializar.
É preciso ter coragem
para se fazer novas viagens.
É preciso a energia liberar, irradiar,
para as estrelas se alcançar.

Beijos, querida!

Agulheta said...

Maria. Lindo o poema,e de quem o escreveu como sempre...Asas amiga eu tenho as minhas,algumas vezes tentaram corta-las,mas nunca deixei cortar demais,pois adoro voar,e quando algo está mal;então é que vôo
Beijinho

AJO said...

Este teu cantinho é tão bonito... hoje resolvi escrever para te dizer que me faz bem vir cá ler-te
BJS

Meg said...

Maria,
Porquê perguntarás tu, mas lembrei-me...

...Todos os dias
os pássaros acordam
nos seus ninhos de lãs…

Todos os dias
nascem novos dias,
nascem novas manhãs…

(Saúl Dias)

Esperemos por esses dias.

Beijos

rosa dourada/ondina azul said...

E também para voar...


Beijinho,

samuel said...

O Fanha é muito bom!!!

FERNANDA & POEMAS said...

Olá minha querida Maria, eu também estou muito lenta, mas porque o trabalho já ataca com força!
Mesmo que nos queiram cortar as asas, voaremos sempre mais alto... Adoro-te querida Amiga,
Fernandinha

heretico said...

asas e pés... para fazer caminho

gostei muito.

beijos

Rosa dos Ventos said...

Cá vou tentando levantar voo de vez em quando!

Abraço

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, texto espectacular...
Beijos

poesianopopular said...

Para que serve ter-mos asas, se temos medo de voar?
Vou bater a asa.
Bjos

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram aqui.

Beijos

mariam said...

parabens p'la escolha!

tardiamente.. mas cá vim!

voa, Maria, voa
(mas, eu acho que a Maria já voa... e muito!). bjs

O Sibarita said...

Pois é dona moça, sim temos asas e voemos sempre....

Voar sempre depois de certos momentos é importante para nos sentirmos vivos, então, o que você está esprando dona moça Maria? kkk

Ah sei... cortada? Cortada um zorra! kkkk Não levante vôo e logo não, fique ai dando bobeira! kkkkk

Colé neguinha, corta essa onda, olhe em frente e jogue duro!

Asas para que te tenho? Para voar! Então fia? kkkkk

bjs
O Sibarita

Orlando Gonçalves said...

Que lindo este poema do Fanha, não conhecia. Obrigada

Cris Caetano said...

Eu estou sempre dando um "lustro" nas minhas asinhas. Vá lá o pó me atrapalhar e me impedir de voar, eu, hein?!!! ;)

O psd anda te atrapalhando é, ?? hehehe

Beijinhos