Wednesday, October 21, 2009

Palavras con.sentidas

Já entrei aqui nem sei quantas vezes.
Já me esgueirei por uma nesga para ninguém me ver sair...
Não tenho palavras para ti, hoje. Apenas um NÓ que me aperta e aperta e aperta...
Tento desfazê-lo e nem o que tu sabes me deixa...
Sei (acho que sei) o que sentes. Queria ter-te aqui, agora. E não tenho!
Queria dar-te colo, queria dar-te a mão, e apenas o NÓ que me asfixia...
Amo-te! Tu sabes quanto.
Quero-te! Tu sabes como.
E este NÓ que me dói na garganta...
Chovo, porque sei que choves.
Chovo, pela impotência em aliviar a tua dor.
Chovo por ti. Chovo porque sim.
Puta de vida!

Deixa-me embalar-te hoje. Canto-te a Estrela d'Alva. Ouves?
Dorme. Adormece. Com o meu dedo a fazer redondo na tua testa. Sentes?

25 comments:

samuel said...

Dito assim... deve ouvir, deve sentir.

Abreijos.

Joao P. said...

Maria:

há mesmo momentos em que apetece gritar: puta de vida!

Seja em desespero, seja como força de expressão

A mim apetece-me dize-lo a propósito da força do teu poema

Sabe tão bem

beijo

João

salvoconduto said...

Nem puta nem donzela, apenas há dias assim.

Abreijos.

anamar said...

È a saudade de novo Maria...
Abracinho
:))

Ana said...

Ouvir o canto. Sentir o embalo. Deixar a ternura brotar.

Um beijo, Maria.

Carminda Pinho said...

Abraço-te Maria.

amigona avó e a neta princesa said...

Também te abraço...obrigada Maria...

A CONCORRÊNCIA said...

Um beijo grande Maria, muito grande mesmo ...

Vanda Paz said...

Vindo de ti, fico sem palavras.

Junto o meu abraço para que se faça calor

Beijo querida amiga

FERNANDA & POEMAS said...

QUERIDA MARIA, BELO POEMA... GOSTEI MUITO AMIGA... ADORO-TE, BEIJINHOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

mie said...

abraço-te muito

muito.

um beijo muito terno.

paula barros said...

Maria, quantas e quantas vezes queremos estar junto, dá colo, oferecer carinho...e nas impossibilidades, choramos por nós e pelo outro. Mas que as palavras possam tocar a alma, adormecendo em carinho a ausência física.

abraços, lindo e sentido.

Licínia Quitério said...

Um grande abraço, Maria.

AnaMar (pseudónimo) said...

Como eu preciso do teu colo...
E que miminhos já tive hoje com a tua doce voz.

Sentidamente...até breve :-)


(Os 1001 beijos sempre renovados)

Cris Caetano said...

Que coisa linda... que sorte alguém merecer isso. Me emocionei. Obrigada.

Beijinhos

Papoila said...

Eu ouvi...
Tanta força e ternura nas tuas palavras.

Um beijo
BF

Carla said...

chovem lágrimas de dor
chovem gritos de revolta
mas fica também o calor do abraço, o colo quente que ofereces
beijos e um sorriso de apoio

Carla said...

chovem lágrimas de dor
chovem gritos de revolta
mas fica também o calor do abraço, o colo quente que ofereces
beijos e um sorriso de apoio

ausenda said...

Esse nó na garganta...deu-te a alma do poema! Amei!!!!

Beijo

Apenas eu said...

As tuas palavras são como os teus abraços, um conforto!
Quem tem uma Amiga como Tu é um ser humano com muita sorte.

Um Grande beijinho

Maria P. said...

Só podiam ser palavras tuas.Sinto.

Beijinho, minha Maria*

Fernando Samuel said...

Sente...

Um beijo do tamanho do mundo.

elvira carvalho said...

E dá para não sentir? Tanto sentimento, tanta ternura...
Um abraço

Maria said...

Obrigada por terem passado aqui.

Beijos a todos

joão marinheiro said...

Temos dias não é. Em que as palavras se sobrepõem ao sentir. Depois a vida prega-nos rasteiras, e teimamos sempre como o sol em acordar pontualmente.
Gosto do teu poema intenso de sentires.
beijo com mar em frente