Monday, February 01, 2010

Não te quero mais

Não te quero mais. A noite levou-te de mim e eu deixei. Ficou o espanto da tua partida. Não te quero mais. Vou esquecer o teu abraço e o teu cheiro. Que me percorre ainda o corpo. Não te quero mais. Porque o caminho que foi o nosso fugiu-me na escuridão da noite. E eu não o encontro por entre as lágrimas que me escorrem no corpo. Perdi-me de ti do teu abraço do teu cheiro. Perdi-me de nós.
Quero a tua boca só mais uma vez. Morder-me de ti. Passear os meus dedos pelo teu corpo ainda húmido. Quero-te, porque me corres nas veias. Porque és amor amigo amante menino assim distante. Quero-te na solidão da noite. No areal da praia na espuma da onda. Quero-te dentro de mim, como só tu sabes. O sangue a arder. No tempo parado na loucura de nós. Quero-te tanto, quero-te sempre.


(eu vou ali. depois eu volto.)

36 comments:

paula barros said...

Essa contradição do querer torna o texto dinâmico, inquietante.

abraço

Volta logo!

Memória de Elefante said...

É este não querer querendo mesmo cavalgando mares impossíveis , disso se faz a tua voz.

Lindo poema!

Um beijo

Cris Caetano said...

É tão fácil viver essa contradição...

Beijinhos, Maria

Ava said...

Marcante e intenso! De algo que se quer tanto.

Uma Beijoca

viajantes said...

Maria,
só posso subscrever o intenso!
(do ..."contentamento descontente")
beijinho

João Videira Santos said...

A contradição das palavras na voz do sentimento...

margusta said...

Querida Maria,

...tão sentidas estas palavras. E eu diria Maria, que fora como se eu as tivesse escrito. Ah , essa dor, esse não mais querer....e esse querer...essa contradição do sentir...

Dorido, mas tão Belo Maria...

Abraço-te Muito Amiga!!!


Voltei a ficar sem net, espero que hoje tenha vindo para ficar Logo dou noticias...

Leticia Gabian said...

Ai, Maroca....Até me faltou a respiração enquanto lia!

Lindo e forte como o mar!

Beijo imenso, AICeT

Catarina Alves said...

Já tinha saudades tuas e das tuas palavras...

Beijo doce.

clic said...

Hum... :(
Vai lá, então... :)

arabica said...

Depois de se escrever algo assim faz bem sair.Ir ali, onde quer que seja. Olhar o mar. E depois, voltar. Sempre :)

Abraço-te :)

Nilson Barcelli said...

O querer, por vezes, é contraditório.
Soubeste expressar esse "estado" muito bem. Gostei.
Querida amiga, boa semana.
Um beijo.

Baila sem peso said...

e o querer do bem querer
e o julgar que se ganha
e o ganhar desse acontecer...
e pensar que se vai perder...
e depois...depois entontecer!

Bonito, Maria!
Beijo

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, belo texto...Espectacular....
Beijos

Duarte said...

Fantástico!!!

Prosa que deixas cair
com som poético.
Quanta inspiração!
Quantos sentires!
Quanta dor!
Quantas satisfações!
E insatisfações.
Duro, lento, vai e vem,
incertezas, amargura;
amor que dilacera, fere!...
Não digas isso: assim!...

Um grande abraço, e a minha admiração

amigona avó e a neta princesa said...

E enquanto vais e vens a gente faz o quê com as saudades?
Beijos...

Fernando Samuel said...

Belíssimo!

Um beijo grande.

A.S. said...

Maria... eu sei, que apesar da beleza e da intensidade do texto, ficaram ainda tantas palavras por dizer!
Não há palavras que exprimam essa dor... ao mesmo tempo de fúria e de desejo!

Beijos...
AL

Justine said...

As contradições dos nossos quereres, assim tão bem expressas por ti, amiga!
Vai bem, volta melhor:))

Delfim Peixoto said...

E eu adoro quando é TU a escrever....
Puramente... MARIA!!!!

Lídia Borges said...

Somos todos, seres contraditórios, mas nunca o li assim, tão claramente assumido.

(...) é um não querer querendo, sem querer, te encontrar.

L.B.

Apenas eu said...

Maria!
Amei ler-te.
é tão bom querer assim. e poder querer assim...

Um grande beijinho
(já com muitas saudades tuas)

Maria said...

Lídia Borges

Não consigo comentar no teu blogue, com a caixa que tens - abaixo do post. Ainda não percebi porquê, mas penso que é por causa do computador que tenho...
Posso comentar quando os comentários vêm em folha inteira ou em pop-up window...
Não tenho outra forma de to dizer, embora já tenha colocado uma nota na lateral...

Quero que saibas que te leio sempre. E que gosto da tua Seara de Versos.

Um beijo.

TristãoeIsolda said...

Oscilamos tantas vezes, entre o querer e o não querer. E procuramo-nos, procurando a verdade de nós.

Abraços nossos


(Tristão e Isolda)

Vanda Paz said...

e eu gostei muito e quero-te muito

beijos

Joao P. said...

Msria

Tantas vezes me senti assim!

Amar (ou) e odiar. tudo e nada!

Obrigado pelo texto

beijo

João

heretico said...

empolgante poema de amor...

(ir a voltar. como as ondas rss)

belíssimo

beijo

Manuela Freitas said...

Olá Maria,
Maravilhoso texto, que traduz bem a força do amor, o querer e não querer, ao ritmo das ondas intensas dos nossos arrebatamentos!...
E quantas vezes se diz que não se quer, querendo...
Que difícil é a nossa vida, no querer e não querer...
Bjs,
manuela

mariam said...

Maria,

Tão lindo!

Ler o que escreves, é sempre um exercício p'ra mim... sentir as palavras...

este texto é lindo!

beijinhos
um sorriso :)
mariam

anamar said...

Mais uma vez fiquei "seca"....
Apetece-me , porque preciso , de me apropriar das tuas palavras...
Beijoca,Maria
:))

Ana said...

Num crescendo de intensidade, a contradição tão intensa.
Volta depressa, Maria. Quero ler mais palavras tuas !
Um beijo.

rascunhos said...

forte...muito forte !!!

mas bem real por vezes


bjs e tudo de bom

Filoxera said...

Contradições do amor...
Amar faz falta.
Um beijo.

Akhen said...

Maria

Este teu texto lindo, no sentir contraditório que está expresso nele, faz-me lembrar uma coisa que eu escrevi, por escrever, faz tempo:
.....
dentro,
doendo, magoando,
este doer amargodoce
de te saber tão longe
perto estando,
aqui,

.......

Paz e Luz no teu caminho

Dani said...

uai que contradição...
pensei que leria uma coisa e li outra rsrs

hum, bom ehm

até!

Parapeito said...

Lindo Maria
Pra dizer...quero te tanto meu tanto
Brisas mornas para ti :)