Wednesday, February 24, 2010

Pele de mim

Para sempre, a voz do vento. Que se atira contra o teu peito quando a serra está em frente. Para sempre, na eternidade das palavras. Que te nascem do olhar e te escorrem dos dedos em sangue quente. Fervente. Docemente. Desaguando no rio. Em constante desafio...

Pele de mim...



22 comments:

viajantes said...

tão doce...
faz-me bem passar por aqui.
um beijo.

Cris Caetano said...

As palavras ficam e o vento as carrega...

Beijinhos, Maria

Cris Caetano said...

faltou um "m"

Memória de Elefante said...

Maria!

Atravessaste o sol
tocaste o muro de dentro
a boca dos sentimentos
com a eternidade das palavras...

Um beijo

Carminda Pinho said...

Escreves tão bonito, Maria.

Beijos.

Sérgio Ribeiro said...

Bonito!
"Pele de mim" é bem arrancado!

Beijos

bettips said...

Pele arrepiada
que me fazes fazer.
Bj

Tite said...

Não são todos os amores verdadeiros pele de nós?

É assim que eu sinto e... sou.

Beijosssss

Apenas eu said...

quando não há palavras, fica o meu olhar o meu sorriso e um abraço.

uma questao de pele.

beijos Maria.

Baila sem peso said...

Apetece-me dizer: tanta "pele" assim
num desaguar de dormência sem fim!...
e vamos desaguar na corrente
de um rio que saiba de ti e de mim...

meu beijo

Fernando Samuel said...

«Pele de mim»!!!!

Um beijo grande.

Patudos do Paúl said...

Passei e li encantada...
bjos
Ana Paula

Joao P. said...

Maria:

Essa pele está mesmo agarrada a ti!

Beijo

João

mariam said...

é lindo! Maria

beijinhos e o meu sorriso :)
mariam

GR said...

Palavras para quê?
Disseste tudo com tanta doçura.

Um bj de saudade

GR

Eduardo said...

A voz do vento que tanto nos encanta e tanto nos diz

Palvras levadas pelo vento e que depois percorremos atrás delas para as apanharmos e as levarmos aos nossos amores.

Adoro o vento e todas as que como tu cantam o vento

Abraço apertadinho para o vento não nos separar

Justine said...

O vento forte mas doce das tuas palavras, amiga. Muito belo!

A.S. said...

Querida Maria,

A voz do vento vem do rumo que desejas. segreda-te as palavras que queres ouvir. os dedos do vento trazem as caricias que, docemente, escreverão poemas na tua pele. eternidade das palavras!

Beijos
AL

Maria said...

Obrigada a todos que passaram aqui.

Beijos.

Manuela Freitas said...

Olá Maria,
Faltava eu, que por motivos imprevistos cheguei atrasada...
Que posso dizer de poesia tão cheia de sensibilidade...que gosto muito da forma como escreves, que ao desnudares o teu espírito, desnusdas o meu também.
Beijinhos,
Manuela

Goldfinger said...

Olá Maria

Venho pedir desculpa porque não resisti e coloquei no meu blog também. Acho incrível
Beijinhos

paula barros said...

Maria gostei muito desse trecho:

"Para sempre, na eternidade das palavras. Que te nascem do olhar e te escorrem dos dedos em sangue quente"

Quando vier ao Brasil-Recife, não esqueça de me avisar. Aguardo.

beijo