Tuesday, March 09, 2010

Fala-me do vento

Fala-me do vento. Do que me inunda os sonhos do dia e me inquieta na noite. Do que sopra em todas as direcções menos na minha. Do que te envolve e assobia quando as tempestades te assolam.
Fala-me do vento. Do que respiro para ter a sensação de que te engulo. Do que me bate forte na cara logo de manhã para acordar. Do que te entra no olhar e te faz sorrir assim.
Fala-me do vento. Do que abraço todas as noites quando me deito. Do que na tua ausência dorme sempre comigo neste leito.
Fala-me do vento. Desse que, devagarinho, te faz entrar em mim.

37 comments:

PreDatado said...

Fala-me ao ouvido como se me soprasses, pois tu és o próprio vento.

Joao P. said...

Maria:

Também quero ouvir falar desse vento.

Beijo

João

Memória de Elefante said...

A voz se perpetua em folhas depois de cada inverno.E quando o vento perpassa, o tempo se dá por vencido, a dor recolhe suas asas.


Um beijo

Ana said...

Fala-me desse vento, Maria. Que faz nascer as palavras e abrir os sorrisos.
Um beijo para ti.

carmen said...

Maria querida,
Estou do outro lado do oceano, mas sempre te visitando.
Para todos nós, melhores dias!
Beijos
carmen

Ava Santos said...

Que agradável vento esse com que te deitas Maria, que apesar da ausência está sempre em ti.
Lindo.

Um beijo, Ava.

Leticia Gabian said...

O vento tem forma nas tuas palavras, Maroca!

Beijo imenso, AICeT

Fernando Samuel said...

E todos os segredos que o vento nos diz...

Um beijo grande.

zmsantos said...

Vou ficar com este. Para me lambuzar á vontade, mais tarde.

Beijos, amiga, e tudo, e tudo...

viajantes said...

fala-me dessa força maria... e que nos continuar.
beijinho.

Maria Fernanda said...

O vento é um dos meus companheiros!

Umas vezes, sibila-me ao ouvido canções muito ternas. Outras, ruge com uma força que me assusta.

A foto do algar está muito bem.

beijinho

Teresa Durães said...

esse vento que transporta o amor! Gostei bastante!

e obrigada pela divulgação

rouxinol de Bernardim said...

O vento diz tanto a quem o sabe ouvir...

Justine said...

E o vento, que me traz as tuas palavras, fala-me claramente de ti...

paula barros said...

Um vento que acompanha, faz companhia e inunda o sentir.

beijo

Baila sem peso said...

Um vento a soprar amor
num laço a verde cor
com ilustração a teu favor...

beijo com carinho
a palavra do teu caminho

Pedro Branco said...

Sirvo a minha noite num silêncio tão forte
Uma saudade e mais outra e nenhuma
Viajo perdido entre a vida e a morte
Entre a onda e a espuma
Uma espécie de embriaguez em passo lento...
Só porque sou um pouco de ti, de mim e do vento.

Solto a minha voz em gritos tão doces
Uma solidão de amor, poeta vagabundo
Percorro todas as flores como se fosses
O abraço todo do mundo
Aroma de pele, vinho e alimento...
Só porque sou um pouco de ti, de mim e do vento.

Carrego-me assim sem medo, com prazer
Entre o poema e as distâncias de nós
Porque tudo é semente por florescer
Porque tudo é vento, eu, tu e nós!

Chris said...

No movimento do vento, surgem palavras rodopiantes e envolventes.
Um beijo
Chris

Violeta said...

Pois é, esse vento...
Bjs

Pondé said...

Tomará que amanhã não vente tanto, pois tem jantar lusitano.

Maria P. said...

Fala ao vento, que embala as tuas palavras...

Beijinho, minha Maria*

Apenas eu said...

falo-te do vento...
do que ele me conta... dos sitios por onde já passou, dos sitios por onde deseja passar, mas que por medo da sua força, passou devagar. tão devagar que nem teve a certeza de passar. mas sabe que ficou e isso dá-lhe a força que ele precisa para tocar e amar sem ninguém ver...
falo-te do vento que me levou as lágrimas da minha saudade.
falo-te do abraço que o vento deixa.
falo-te da ausência que tenho em mim.
falo-te dos beijos do vento.

falo-te que este poema me fez sair água pelos buracos por onde vejo... espero um pouco de vento.

um grande beijinho

Filoxera said...

O vento falou-me de ti.
Disse as mais sensacionais palavras, contou-me como o fazes soprar mais alegre. Como corre e sopra ao ouvido de quem deve.
Por ti.
Um beijo, amiga.

heretico said...

vento cálido...
e belo. nas tuas palavras.

beijos

maré said...

este vento é um sopro
que chega e se aconchega.
é revelação que adormece nos olhos para revelar o amanhã
______

beijos maria

Pitanga Doce said...

Ainda não Maria. Ainda não é hora de falar ao vento mas está quase...

clic said...

O vento, esse que tudo chacoalha!... :)

Cris Caetano said...

E fiquei sem palavras... adorei! É lindo demais.

Beijinhos

bettips said...

A fractura da ilha
fala-me desse teu vento azul/vermelho.
Insondável.
Bj

diabinho said...

hhhummmm

Só me ocorrem coisas loucas....

bjokas endiabradas...

Dilly ♥ said...

Vento tão querido, que sempre estende a mãonas horas que mais precisamos, eis este: vento da saudade.
Beeijos ♥

Ana Oliveira said...

Há sempre o vento...brando ou agitado...brisa ou tempestade...mas há sempre o vento que nos conta estórias por dentro e nos enleia por fora.
E ainda bem.

Um beijo

Ana

samuel said...

Que venha um vento forte que nos leve
que venha um vento leve que nos diga
do sopro e da leveza forte e breve
que nos dobra, acaricia, ou castiga...

Que venha um vento doçe que nos conte
os versos finais desta cantiga.


(pró que me havia de dar...)

Abreijo.

A.S. said...

Querida Maria...

Nunca em ti será excessivo o vento!!!


Beijos
AL

Aníbal Pires said...

Que vento é esse
Sopra do mar ou da terra
Brisa suave
ou
Tempestuoso
Sempre
num Abraço,
Boa noite Maria

Manuela Freitas said...

Olá Querida Maria,
Até o vento, no teu pensamento é poético, para mim nem tanto, a não ser que eu esteja a pensar em vendaval e tu em brisa!...
Os comentários que te fazem também são sempre muito bonitos e o poema do Pedro Branco, excelente!...
Beijinhos,
Manuela

Maria said...

Muito obrigada a todos que aqui passaram.

Beijos.