Friday, December 10, 2010

Madrugada


Nesse dia em que a madrugada voltar a cantar chama-me. Eu vou. Só para voltar a ver o teu sorriso e nos mergulharmos no teu olhar...

17 comments:

salvoconduto said...

Nesse dia seremos novamente muitos.

Abreijo.

trepadeira said...

Eu também quero ir.
Um abraço,
mário

samuel said...

Boa malha!

Beijo.

Luis Eme said...

és tão poética...

beijinho Maria

Ana said...

À espera que a madrugada volte a cantar, um beijinho para ti, Maria *

Paula Barros said...

Gostei da madrugada a cantar.

Olhares que nos dão vontade de mergulhar e nos afogar em carinho e ternura, é muito bom.

beijo

Agulheta said...

Querida Maria! Será que ela volta,ai amiga como a madrugada é escura e sem brilho para alguns.
Beijinho e bfs

Carmo said...

Eu acredito que essa madrugada volta, temos é que acreditar

Um beijo

Bom fim de semana

Jaime Piedade Valente said...

Notícia de jornal:

"Cuba tenta evitar que Fariñas vá a Estrasburgo receber o Prémio Sakharov"

Não dá que pensar?

Jaime Piedade Valente said...

Notícia de jornal:

«Manifestações em Cuba
Esta sexta-feira, para assinalar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, as Damas de Branco, mães e mulheres dos prisioneiros políticos cubanos, desfilaram em Havana e gritaram “Liberdade” à porta de duas prisões na capital cubana. Foi um protesto pacífico, adiantou a AFP. Desfilaram como costumam fazer todos os domingos, vestidas de branco e de gladíolos na mão.

As Damas de Branco separaram-se em três grupos, um deles liderado por Reina Tamayo, mãe do dissidente Orlando Zapata que morreu em Fevereiro após mais de 80 dias em greve de fome, o que levou Fariñas a iniciar o seu protesto. Ouviu-se “Viva Zapata!” e “Liberdade para os prisioneiros”. Pediu-se a libertação de 11 dissidentes detidos durante a “Primavera Negra” de 2003 e que ainda se encontram na prisão.

No entanto, segundo o “El Mundo”, o ambiente era tenso em vários locais da capital cubana e mais de três dezenas de dissidentes terão sido detidos durante o dia em vários pontos do país».

Não dá que pensar?

mdsol said...

Isto é que é economia de meios: poucas palavras e muita acção:

A madrugada - canta
O teu interlocutor ou a tua interlocutora - ouve, chama-te, sorri e mergulha
Tu - vais, vês o sorriso e mergulhas.

Beijinhooooooooo

:))))

Apenas eu said...

e eu? posso ir também? :))

beijos muitos Maria

amopeefpim :))

Maria said...

Obrigada por terem passado aqui.

Beijos a (quase) todos.

Fernando Samuel said...

Que a madrugada cante depressa...

Um beijo grande.

Pedro Branco said...

Fosse a noite um punho erguido
Juntando as vozes na terra pisada
Cada amanhecer, um canto, um rugido
Feito em nós na pele dessa madrugada

Fosse a noite uma avenida cheia
Passos certeiros de mais uma jornada
Cada amanhecer, um grito, na maré cheia
De sermos nós na pele dessa madrugada

Fosse a noite o amor outra vez
O futuro, um jardim feito sangue e estrada
Cada amanhecer, nas mãos com que a gente fez
Todos os nó com que ainda inventamos essa madrugada!

Abraço-te, Maria! A luta continua.

João P. said...

Espero que esse dia seja já amanhã de manhãzinha

Beijo

João

Parapeito said...

...e vai valer a pena...
brisas doces para ti*