Thursday, September 29, 2011

Porque é preciso ACORDAR!!!



ACORDAI!

Acordai
Acordai, homens que dormis
A embalar a dor
Dos silêncios vis!
Vinde, no clamor
Das almas viris,
Arrancar a flor
Que dorme na raíz!

Acordai!
Acordai, raios e tufões
Que dormis no ar
E nas multidões!
Vinde incendiar
De astros e canções
As pedras e o mar,
O mundo e os corações...

Acordai!
Acendei, de almas e de sóis,
Este mar sem cais,
Nem luz de faróis!
E acordai, depois
Das lutas finais,
Os nossos heróis
Que dormem nos covais.

ACORDAI!


José Gomes Ferreira

22 comments:

João P. said...

Acordar dos silêncios.

Sempre, mas sempre, tão actual!

Apesar da enorme beleza e se vir a tornar uma música intemporal, gostaria que se tornasse, um dia, desactualizada.

Quem sabe?

Beijo

João P.

Rogério Pereira said...

Lá estarei, partilhando o desejo do João P

Memória de Elefante said...

O que deve assustar é o predomínio da hipocrisia, da ambição e do cinismo, que passa por cima do cadáver-não da mãe,mas do povo e da pátria.
Sempre é importante ACORDAR.

Um beijo

salvoconduto said...

São muitos os que não têm feito outra coisa senão dormir, até que um dia darão conta que a casa lhes caiu em cima...

Abreijo.

BRANCAMAR said...

No Porto é na Praça dos Leões e na Praça da Batalha, à mesma hora.

Acordemos todos!

Beijos

BRANCAMAR said...

Bem, os meus comentários hoje andam todos a fugir.

Espero que fique agora a informação de que aqui no Porto também vamos Acordar nas Praças dos Leões e da Batalha à mesma hora.

Acordemos todos.
Beijos

BRANCAMAR said...

Acordemos todos.

Beijos

BlueShell said...

Um apelo que é intemporal...
Um apelo a que é preciso dar resposta...

(Hoje estou triste...não que isso interesse..apenas me apeteceu deixar aqui - porque nos conhecemos há muito- essa "nota-!

Obrigada por tudo...
Te beijo

Fernando Vasconcelos said...

Seria na verdade uma boa altura para o fazer, acordar digo. Amanhã poderá ser tarde demais. Eventualmente talvez não concordemos totalmente sobre o que fazer depois de nos erguermos, nem talvez na forma de o fazer mas pelo menos na necessidade de sair da letargia e da indiferença, nisso estamos de acordo. Acordemos, pois !

BRANCAMAR said...

Maria,

Não sei que deu nas minhas definições que não consigo comentar.

Já vim cá trêS vezes ontem e nada ficou.

Será que conseguirei dizer agora que no Porto vamos acordar na Praça dos Leões e da Batalha à mesma hora?

Acordemos todos.

Beijos

BRANCAMAR said...

Acordemos todos.

Beijos.

BRANCAMAR said...

Olá Maria,

Ontem tive uma anomalia com os meus comentários, que ficavam publicados na hora, mas mal eu saía desapareciam.

Agora parece que sim, que este vai ficar.

Assim, dizia eu que no Porto vamos acordar na Praça dos Leões e da Batalha à mesma hora, possívelmente em desfile para se juntarem todos na Avenida dos Aliados, tudo nomes sugestivos. É que a Batalha vai receber a concentração de grupos que vêm de outros concelhos a norte.

Acordemos todos com força.

Beijos

trepadeira said...

Só os mortos não acordam a baterem-lhes tão forte.
Portugal não é um cemitério.

Acordemos pois,nada melhor que a música de Fernando Lopes Graça.

Um abraço,
mário

Fernando Samuel said...

... «Homens que dormis»... - e são tantos!...
Sábado será o dia dos... homens sem sono...

Um beijo grande.

mfc said...

Epicamente necessário!

elvira carvalho said...

É preciso e urgente.
Um abraço

Gabriel Arcanjo said...

Acordai homens!
Acordai!
Que os heróis
Estão todos adormecidos,
E a luz já desponta,
E o mar nos chama ao cais,
Embarquemos para outras paragens!

Que rufem os tambores,
O clamor das multidões
Está definitivamente abafado,
Nem astros e nem canções
Nos guiam mais...

Nem mesmo
Os pássaros
podem nos indicar o caminho.

Sejamos, portanto,
Aventureiros sem bandeira
Enfrentmdo as tempestades dos oceanos
Onde tantas almas se perderam...

Não vamos
Entoar canções aos deuses
Pois como Ulisses
Deles desdenhamos.
Apenas sigamos em frente
De Oceano a Oceano,
Do Índico ao Atlântico
Até o mar mediterrâneo...

DE-PROPOSITO said...

É claro que vamos acordando! Mas, depois, depois somos embalados, e adormecemos novamente. E voltamos a acordar. Até um dia,... em que não acordaremos.
------
Que a felicidade ande por aí.
Manuel

Madalena said...

Um dos meus poetas preferidos! Beijinhos B.! Obrigada pelos comentários tão interessados que deixas no Chora. Gosto muito!!!!

Justine said...

Vamos lá acordar mais alguns, amanhã!
Beijo

Paula Barros said...

Continua a me impressionar a sua garra, a sua luta, e os muitos que escrevem tão bem sobre este acordar, lutar, e que você compartilha com a gente.

abraço

Parapeito said...

Poeta Militante
Gosto tanto de o ler....é tão esquecido que é.
Obrigada Maria pela escolha
brisas doces***