Tuesday, October 30, 2007

Hoje apetece-me Neruda...


Os teus pés

Quando não te posso contemplar
Contemplo os teus pés.
Teus pés de osso arqueado,
Teus pequenos pés duros,
Eu sei que te sustentam
E que teu doce peso
Sobre eles se ergue.

Tua cintura e teus seios,
A duplicada púrpura
Dos teus mamilos,
A caixa dos teus olhos
Que há pouco levantaram voo,
A larga boca de fruta,
Tua rubra cabeleira,
Pequena torre minha.

Mas se amo os teus pés
É só porque andaram
Sobre a terra e sobre
O vento e sobre a água,
Até me encontrarem.

(Pablo Neruda)

30 comments:

brisa de palavras said...

Hoje aptecia-me ter tempo...aptecia-me ter tempo para n�o fazer nada.

um abra�o

brisa de palavras

Sininho said...

Ah, esse final do poema é o mais bonito.
E os meus pés vão pôr-me a andar daqui para fora durante três ou quatro dias...
Fica bem.

Beijinho

PostScriptum said...

E apetece-te bem.
Bjs

SILÊNCIO said...

Muito lindo este poema, acompanhado pela espuma da onda

a foto de baixo esta divinal :)

Beijinhosss

isabel c. said...

hoje apeteceu-me muito visitar-te.

adorei o poema!

beijos maria. muitos.

Sophiamar said...

É sempre muito bom visitar-te e ler a poesia que seleccionas ou fazes com a tua sensibilidade e inspiração.
Tem um bom dia!

Beijinhos

Luis Eme said...

E apeteceu-me muito bem...

Abraço

Berta Helena said...

Maria, fez-me bem este poema, assim, pela manhã. É Neruda, está tudo dito. E a tua escolha foi muito boa. Giro que também eu hoje ando com Neruda. O livro que trago comigo está aberto num poema que diz assim:
"...e morrerei de amor porque te quero, porque te quero, amor, a sangue e fogo."

Beijinhos.

samaria said...

e quem me dera a mim andar eu com meus pés sobre essa areia e essa água de mar lindo, fresquinho e cor de prata.
bjs com tantas saudades

Leticia Gabian said...

Ai... Que bela escolha, Maroca!
Começo bem o meu dia.

Beijo grande

samuel said...

Felizmente, quando temos estes "apetites" luxuosos, não pagamos mais por isso. :)

fj said...

muito bonito!!
esta especialmente adorei!!!
"Mas se amo os teus pés
É só porque andaram
Sobre a terra e sobre
O vento e sobre a água,
Até me encontrarem"
muita coisa está aqui "dita"
beijos

Cris Caetano said...

Lindo! Ele era um gênio!
Beijinho

Rui Caetano said...

Ora, Pablo Neruda, um grande poeta. poema lindíssimo, cheio de sensibilidade e amor dos grandes.

Entre linhas... said...

Um poema soberbo,belas a palavras de Neruda.
Bjs Zita

Fátima said...

Olá Maria!
E já que falas no mar, deixo-te aqui algo dele, que tambem fala do mar..
The memory of you emerges from the night around me.
The river mingles its stubborn lament with the sea.

Beijo!

Ana said...

*
"Saberás que não te amo e que te amo
pois que de dois modos é a vida,
a palavra é uma asa do silêncio,
o fogo tem sua metade de frio"
*
Apeteceu-me deixar-te um bocadinho do muito que gosto de Neruda.
Um beijinho, Maria.

AJO said...

Muito bonito... confesso que não conhecia.

Ana Patudos said...

... e eu apontei os meus pés na direcção do teu cheiro da ilha, e aqui estou a ler-te e a deliciar-me com este lindo poema de Neruda.
Grande beijinho para ti
Ana Paula

multiolhares said...

Adoro esse poeta
Tem uma sensibilidade especial
Boa escolha
Beijinhos
luna

rosa dourada/ondina azul said...

Poesia de Pablo Neruda
é sempre bem-vinda !

Boa escolha,

Beijinhos para ti,

Meg said...

E eu em Paris, apeteceu-me de repente o Torga que por sua vez não gostava nada de Paris.
Coisas e dias destes nossos lados, Maria!
Beijinhos

MiE said...

Bonito poema do grande P. Neruda.

Um beijo

Claudia said...

Deixo-te este que ainda à pouco li e já voltei a reler entretanto.

Não te amo como se fosses rosa de sal, topázio
ou seta de cravos que propagam o fogo:
amo-te como se amam certas coisas obscuras,
secretamente, entre a sombra e a alma.

Amo-te como a planta que não floriu e tem
dentro de si, escondida, a luz das flores,
e, graças ao teu amor, vive obscuro em meu corpo
o denso aroma que subiu da terra.

Amo-te sem saber como, nem quando, nem onde,
amo-te simplesmente sem problemas nem orgulho:
amo-te assim porque não sei amar de outra maneira,

a não ser deste modo em que nem eu sou nem tu és,
tão perto que a tua mão no meu peito é minha,
tão perto que os teus olhos se fecham com o meu sono.

Pablo Neruda

Espero que gostes, como eu gosto.

Beijo com a sabor a abraço querida Maria

De Amor e de Terra said...

Olá Maria, querida Amiga dessa Ilha Mágica, boa noite.
Venho agradecer-te as tuas visitas e as tuas palavras sempre amáveis.
E fico feliz por ter chegado aqui e ter encontrado Neruda e a belexza da fotografia.

Beijos

Maria Mamede

isabel mendes ferreira said...

e eu apetecia-me fazer de conta que a felicidade pode ser um poema...:)


mas não é.



enorme beijo.


por tudo o que dás.

elvira carvalho said...

E apetece-lhe muito bem. Neruda é um dos meus poetas preferidos?
Um abraço

Maria said...

Amigos

Estou feliz por terem gostado de ler Neruda.
Muito obrigada a todos que por aqui passaram.

Beijinhos

nanda said...

Lindo
beijinhos

Maria said...

nanda

Que bom teres passado por aqui...
Tinha-te "perdido"....

Beijinhos