Tuesday, October 09, 2007

Jacques Brel, 29 anos depois...

(foto da net)

«A sanduiche que comi na carruagem de 3ª classe que me levou a Paris tinha um sabor único: estava perfumada pela aventura, a esperança, a felicidade.»
Jacques Brel


Ne me quitte pas

Ne me quitte pas
Il faut oublier
Tout peut s'oublier
Qui s'enfuit déjà
Oublier le temps
Des malentendus
Et le temps perdu
A savoir comment
Oublier ces heures
Qui tuaient parfois
A coups de pourquoi
Le coeur du bonheur
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas

Moi je t'offrirai
Des perles de pluie
Venues de pays
Où il ne pleut pas
Je creuserai la terre
Jusqu'après ma mort
Pour couvrir ton corps
D'or et de lumière
Je ferai un domaine
Où l'amour sera roi
Où l'amour sera loi
Où tu seras reine
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas

Ne me quitte pas
Je t'inventerai
Des mots insensés
Que tu comprendras
Je te parlerai
De ces amants-là
Qui ont vue deux fois
Leurs coeurs s'embraser
Je te raconterai
L'histoire de ce roi
Mort de n'avoir pas
Pu te rencontrer
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas

On a vu souvent
Rejaillir le feu
De l'ancien volcan
Qu'on croyait trop vieux
Il est paraît-il
Des terres brûlées
Donnant plus de blé
Qu'un meilleur avril
Et quand vient le soir
Pour qu'un ciel flamboie
Le rouge et le noir
Ne s'épousent-ils pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas

Ne me quitte pas
Je ne vais plus pleurer
Je ne vais plus parler
Je me cacherai là
A te regarder
Danser et sourire
Et à t'écouter
Chanter et puis rire
Laisse-moi devenir
L'ombre de ton ombre
L'ombre de ta main
L'ombre de ton chien
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas
Ne me quitte pas

17 comments:

joão marinheiro said...

Brel. Imenso Brel sempre...

O Sibarita said...

Oi sou mais bonito vie fia? kkkk

bjs
O Sibarita

MiE said...

Ne me quites pas....uma canção que me marcou.

Jacques Brel, o eterno!


Um beijo, boa semana

Meg said...

Ainda guardo os recortes dos jornais do dia da morte de Jacques Brel. Foi um dos dias mais tristes da minha vida apesar de ser uma morte anunciada!
Bem hajas

Beijos

rosa dourada/ondina azul said...

Na altura, gostei muito desta canção.

Bonito o teu post :)

Beijo para ti,

Ka said...

Sabes que ainda há pouco tempo e por causa de um amigo me estive a ouvir esta música? a emoção com que ele canta é de arrepiar!!!!


Beijinho e um óptimo dia Maria

Berta Helena said...

Bom Dia Maria!

Que bela companhia nos arranjou. Jacques Brell é inesquecível. De vez em quando ouço-o.

beijinhos.

Vera said...

Conheci a música de Jacques Brell através das minhas irmãs, e esta é realmente fantástica!

Beijinhos

Pitanga said...

Obrigada por deixares aqui a letra desta música. Tem história.

beijos Maria.

Sérgio Ribeiro said...

J'arrive!
Mais... je n'ai rien fait d'autre qu'arriver...

(dit-il)

Quanto ele ainda hoje nos ajuda!

Obrigado pela lembrança, Maria.

Abreijos

Rosa dos Ventos said...

Ouço esta canção de Brel vezes sem conta!

Abraço

Sininho said...

Desde que li uma entrevista do Camané ao "Ípsilon" (separata do "Público") em que ele comentava esta letra, não posso deixar de sorrir.
Depois de gravar uma faixa de um cd com esta canção, comentava com o jornalista que o entrevistava:
«É uma letra que me comove: " Deixa-me ser o ombro do teu ombro, o ombro da tua mão, o ombro do teu cão"...ele sentia-se tão perdido que até só queria ser o ombro do cão dela»...
!!!!!!!!
E diz-me lá, Maria, se esta não é uma bela interpretação da letra do Brel?
Hã?

Se certas pessoas se limitassem a fazer apenas aquilo que sabem e não pretendessem fazer o que não sabem, seria bem mais sensato e...
muito menos divertido...

Beijinho

Maria said...

Sininho

Então épaule seria a sombra? hehehehehe

Beijinhos

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram aqui, hoje, e que gostam de Jacques Brel!

Beijos e abraços

Luis Eme said...

O Brel era um poeta-cantor, pouco francês e ainda bem...

Crítica e denúncia said...

Vim te visitar, prazer...eu moro na terra de Brel, no "plat pays" e aqui na "Rue de l'Ecuyer" fica a fundation Jacques Brel....adorei seu site, voltarei para ler mais, grande abraço, Alda

Besnico di Roma said...

Só posso agradecer, este momento que me proporcionaste.
Mas não creio que recordar seja viver… pois que de recordações eu já morri.