Monday, May 26, 2008

Poema "emprestado" do Cravo de Abril


EFICÁCIA

Um comunista nunca fala de ódio.
Palavras que não leva para casa:
vingança, violência, lucro, promoção,
destruição, solidão, desprezo, ira.

Por simples eficácia:
nada de peso inútil sobre os ombros.

(Mário Castrim)

37 comments:

Maria said...

Amigos

Espero resolver os problemas da net amanhã.
As minhas desculpas por não conseguir visitar todos de forma regular.

Boa semana

Sal said...

Visita-me quando puderes e quiseres.
E se der mais jeito não visites, que isto da net não é nenhuma obrigação...
É mais ... um vício!

Beijinho grande
Lindo post. O Mário Castrim sabia umas coisas!!

Deusa Odoya said...

oi minha nova amiga Maria.
te achei pelo blog do sibarita.
lindo texto.
bom fim de semana com muita´paz e amor em seu coração.
te aguardo no meu cantinho.
fique na paz.
Regina Coeli

isabel said...

palavras pesadas, de facto.

boa semana, Maria

Susete Evaristo said...

Maria, pesso desculpa por cometer um roubo. Vou roubar este poema é preciso divulgar o mais possivel.
É de Mário Castrim e está tudo dito.
Beijinhos

samuel said...

Como já tinha dito lá, "é preciso viajar leve"...
O Castrim também se deve sentir muito bem aqui. :)

Abreijo

Justine said...

E como disse lá, eu sei que o poeta tem razão, por observação directa e diária...

Adriana said...

Olha!Este texto é muito verdadeiro,porque não levar a palavra amor para casa,fica mais leve.Boa semana.

MIMO-TE said...

É preciso interiorizar isto Maria.

Olha quando poderes ou quando te deixarem :) tens um comentário meu ao comentário q fizeste sobre o meu último post. :) És muito especial amiga.

Bjos de mim

Um Momento said...

É caso para dizer...o silêncio ás vezes vale ouro...

Quanto á net minha Amiga ,espero que resolvas esse problema , quanto ás visitas ,visita-nos quando puderes pois jamais serás esquecida ( falo por mim)
Um beijo imenso e uma boa semana te desejo Maria.

(*)

Maria P. said...

E está tudo dito...

Beijinho Maria*

luis lourenço said...

Os cravos não pesam e são vermelhos!
A liberdade traz-nos a vida e o sonho...e os "fardos"inúteis são desnecessários.

Vim a este blog através de outros...gestos.

com apreço

margusta said...

Querida Maria,
...desconhecia o poema, mas gostei muito!!!

Linda a mensagem que transmite!

Beijinhos...lá no Bugio!

Templo do Giraldo said...

Ca estamos de novo

Depois de terminada a queima das fitas, e aquelas noites bem passadas, e bem regadas, estamos de regresso ao mundo activo do blogger.

Deparei que continuas aqui com o teu "sitio" bem movimentado como ja nos habituas-te.
Em breve voltarei com mais vagar para saber o que aqui se tem passado.

Um abraço.

Carla said...

isso devíamos ser todos, não é?


amiga passei para desejar boa semana e dizer-te que tenho um desafio para ti lá nos "Desalinhos", se puderes e quiseres passa para o recolheres
beijos

poesianopopular said...

Estava aquí a pensar que, este senhor pensador, -pensava com muita eficácia:-e pensou muito mais!

DelfimPeixoto said...

Acho que sim... mas mesmo os outros deveriam fazer o mesmo

salome said...

Não ,não vi falar de ódio,e sim de amizade.Beijinho Maria,e vem só quando puderes.Salomé

FERNANDA & POEMAS said...

Olá querida Maria e mesmo "emprestado" está lindo!...
Amiga, um grande abraço do coração,
Fernandinha

rosa dourada/ondina azul said...

O ódio deve ser sempre afastado, ele não nos faz bem...


Beijinho p ti, Maria, com muita amizade e paz !

JPD said...

Razão prática.

Bem sabia do que escrevia.

A questão do ódio...é sempre um melindre, não apenas para quem é alvo dele coo para quem o pratica... ou sublima...

(Entre pares, ninguém pratica o mal!)

meg said...

Maria, perdidas que andamos nas nossas frioleiras. Agora mais do que nunca estou de acordo com o Castrim, mas atenção... não são só os comunistas!
Programa especial a decorrer do lado de cá.
Força, Maria!
Um abraço

Rui Caetano said...

Quando acreditamos o peso não é inútil, mas gratificante...

Oris said...

Mas que excelente eficácia...

Boa semana.
Beijitos

O Profeta said...

Uma voz quebra o silêncio
Um espelho retêm a beleza
Vi com os olhos fechados
A fúria da minha incerteza

Fecham-se as janelas de poente
Este nevoeiro galga o pensamento
Uma semente solta num ribeiro
Corre no incerto de cada momento


Deixo-te uma doce acalmia


Mágico beijo

nanda said...

Beijinhos

C Valente said...

Muito bem
saudações amigas

anamarta said...

Não conhecia este poema do Castrim, mas quanta verdade encerra! Gostei muito! obrigada por partilhares.
beijos

tulipa said...

Hoje vim encontrar-me contigo, aqui neste teu belo jardim de sonhos.

Passo em silêncio para deixar um abraço.

NOTA: que linda tulipa encontrei aqui!!!

andorinha said...

Palavras sábias. A leveza necessária.
Um beijo.

FERNANDA & POEMAS said...

Olá querida Maria, voltei para te deixar um beijinho de boa noite... Fernandinha

Um Momento said...

Maria...
Quero deixar-te um grande beijinho e um abraço cheio de carinho.
Ausentar-me -ei uns dias mas voltarei:)

Tem uma excelente semana e ...Tudo de muito bom desejo

Beijo Gigante...no teu coração!!!!

(*)

Maria said...

O Castrim sabia bem o que dizia...
Muito obrigada a todos.
Beijos

BlueVelvet said...

De facto tudo coisas inúteis.
E mesquinhas!
Beijinhos e veludinhos

Luis Eme said...

era bom que fosse assim, mas os comunistas são mortais comuns... talvez mais solidários e companheiros, neste tempo de outros ismos...

beijinho Maria

Papoila said...

E eu gostei da formula aqui versada... Todos a deveriam aplicar.

Beijos
BF

Maria said...

bluevelvet

luis eme

papoila


Obrigada por terem passado...
Beijos