Tuesday, May 13, 2008

A poesia de Abril X

Tanto Mar


Sei que estás em festa, pá
Fico contente
E enquanto estou ausente
Guarda um cravo para mim

Eu queria estar na festa, pá
Com a tua gente
E colher pessoalmente
Uma flor do teu jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar

Lá faz primavera, pá
Cá estou doente
Manda urgentemente
Algum cheirinho de alecrim

(Chico Buarque)

36 comments:

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, bela poesia Chico Buarque...
Beijos

Um Momento said...

Minha Querida Maria:)
Passo na noite para te deixar um beijo , um sorriso e agradecer esta partilha :)))

Beijo com muito carinho...no teu coração!

(*)

samuel said...

Uma cantiga que será sempre muito "especial", além de muito bonita.
E a vista, vai melhor?
Logo uma "conjuntivite" que é uma coisa que durante anos pensei que só dava nos grupos de baile e outros conjuntos afins...

Abreijo

Maria said...

fernando santos (chana)

Obrigada. Chico será sempre Chico, e esta é ainda uma poesia de Abril...

beijo

Maria said...

um momento

E na noite ando a tentar pôr as visitas em dia....
Já passarei por ti.

Beijos
Linda M. (*)

Maria said...

samuel

É muito especial, como dizes. Até porque há a outra versão. Já expliquei isso num post de há um ano, ou coisa parecida.

O olho esquerdo ( :))) ) vai melhor, obrigada.
Mas só mesmo tu para me fazeres rir até à tosse a esta hora....

Abreijo

Carminda Pinho said...

Maria,
faz saudades esta poesia...

Então tás mal da vista?
As melhoras.:)

Beijos

isabel said...

não ha tanto mar nem léguas que nos separam

só palavras.

as melhoras, maria.

belakbrilha said...

Esta poesia relembra tempos já longínquos...

Linda!!

bjs

Lúcia said...

Foste buscar uma das muitas músicas que se cantam cá por casa todos os dias e nos acompanham nas viagens de carro.
Ainda por cima, esta música tem várias histórias magníficas. E tem 3 versões: esta que escreves e que foi proibida. Então, num concerto com Bethânia, em que no meio da assistência estavam os vigilates do regime, o Chico tocou-a, apenas, de forma brilhante e arrepiante. E a outra versão, pós-Prec, em que há alterações na letra. Sendo que é esta versão a que se canta mais por cá. E a tocada, no carro.

Lúcia said...

Não querendo ser chatinha, não resisto, no entanto, a contar uma das muitas histórias que esta música encerra.
Chico Buarque, como se sabe, é apaixonado por futebol. Pois houve um campeonato do mundo dos anos 50 (não recordo o ano exacto), em que o Brasil perdeu com o Uruguai, tendo o defesa do Brasil Augusto tido responsabilidade directa nos golos do Uruguai. O Brasil perdeu.
No concerto que Chico deu com Bethânia em 1975 ou 1976, era precisamente esse ex-defesa, Augusto, o "vigilante" de serviço do regime. Chico disse-lhe "Porra, Augusto, você perde a copa e ainda vem me aporrinhar..".
Terá sido por isso que o homem deixou passar a música nesse concerto, mas não a letra!

pin gente said...

guarda um também para mim, maria

não consigo dizer esta música é.... elas são tantas!

beijo

Menina do Rio said...

E porque navegar é preciso...Grande Chico!

Um beijinho de boa semana pra ti

Fernando Samuel said...

Apesar de tudo... guardámos um cravo para o Chico...

Beijo amigo.

Justine said...

Ah Maria, amiga minha, tenho gostado de todas as tuas canções de Abril, mas com esta "mataste-me", "derreteste-me", conquistaste-me para toda a vida :))
Um cheirinho de alecrim para ti

Maria P. said...

Tanto mar...e Abril.
Que maravilha!

Beijinho Maria*

brisa de palavras said...

A cantiga fica , as palvras com elas nos transportam ao sonho, à verdade...nas tantas flores que tens aí no teu blog, tens a que eu mais mais gosto!
Um abraço
brisa de palavras

DelfimPeixoto said...

Uma Composição dedicada a Portugal e salvo erro ao Sérgio Godinho ( se não estou em erro)
Bj

Lúcia said...

DelfimPeixoto
Não sei se é assim como dizes, mas já me disseram que o Sérgio Godinho fez uma outra música em resposta a este Tanto Mar. Já pesquisei, pesquisei, mas nunca encontrei nada que me confirmasse isto. Se alguém souber, por favor indique essa música do Sérgio. Desde já, agradeço

maresia_mar said...

Olá Maria
eu cá por mim, bastava-me um cheirinho da tua ilha eh eh

beijos grande minha querida e sorri sempre

Vieira Calado said...

Canção linda esta!
Aproveito para dizer que preciso que me diga (por mail) para onde quer que envie os meus livros Transparências e Arabescos.
Bjs

Sofia said...

Quem me dera que cá já fosse também primavera! Belo poema! :]

Jorge Elias said...

O genial Chico Buarque, filho de Sérgio Buarque de Hollanda...
O quanto Chico já me disse e espero me dizer ao longo de minha vida...


Abraços,


PS: agradeço muito seu comentário sobre o poema para às mães.
(sou um pai "invejoso")

Jorge ELias

FERNANDA & POEMAS said...

Olá querida Amiga Maria, adorei este poema, fizeste eu recuar no tempo!
Então querida estás melhor ?
Beijinhos de boa noite,
Fernandinha

Som do Silêncio said...

Olá Maria

E como eu gosto de Chico...
:)

Beijo grande

Nilson Barcelli said...

Boa escolha, a do Chico Buarque.
Eu gosto...

Bom resto de semana

Beijinhos.

Anonymous said...

vim conhecer seu blog e a poesia � muito linda Maria.
Est�s de parabens minha nova amiga.
bom fim de semana com muita paz e amor em seu cora�o.
beijos e fique na paz de deus.
Regina Coeli

Apare�a no meu blog, te aguardo viu.

htpp://deusaodoya.blogspot .com

mundo azul said...

Chico...Dispensa qualquer comentário! Essa música é espacial...Li alguns dos seus poemas, gostei demais! Beijos e muita luz... _Zélia.

Agulheta said...

Maria.
Bonito este Tanto Mar,ficam as palavras a canção e a bela poesia de Chico Buarque.
Beijinho Lisa
As melhoras pelo que leio...

Luis Eme said...

Abril fica sempre mais cheiroso com o perfume do alecrim...

beijinho Maria

amigona avó e a neta princesa said...

Um abraço, amiga...

antónio paiva said...

...

a liberdade, é de todas as flores, de todos os dias, meses e anos.

é de todos e não apenas de alguns, a liberdade não tem cor, ainda que teimem em lhe dar uma.

a liberdade é de todas as canções.

Xico Buarque cantou muitas.

beijo.

...

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram por aqui.

Beijos

Maria said...

antónio paiva

A liberdade é de todos, é verdade.
Conquistámo-la.
Esta canção é de Chico Buarque.
Que não a pode cantar no país dele, com esta letra.
E com a mesma música, fez outra letra, que a "liberdade" lá no país dele já permitiu.
Hoje pode cantar esta. Felizmente para todos.
E para ele, que já pode viver, em Liberdade, no país dele.

Um beijo

Maria said...

Ainda o Chico e a outra letra de "Tanto mar", para quem não conhece:

Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
E inda guardo renitente
um velho cravo para mim

Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
nalgum canto do jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei, também, quanto é preciso, pá
Navegar, navegar

Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
algum cheirinho de alecrim


Não sei se a letra que coloquei no post foi dedicada ao Sérgio Godinho.
Sei que o Sérgio, em digressão pelo Brasil, teve uns "problemas" e ficou "retido" mais tempo do que devia...
Talvez volte ao assunto, se entretanto encontrar dados novos.

Obrigada

O Sibarita said...

Dona moça! Dispensa comentários essa música do Chico!

DEMAIS!

bjs
O Sibarita