Sunday, May 30, 2010

Adriano - Abril em Maio


Tejo que levas as águas

Tejo que levas as águas
correndo de par em par
lava a cidade de mágoas
leva as mágoas para o mar

Lava-a de crimes, espantos
de roubos, fomes, terrores,
lava a cidade de quantos
do ódio fingem amores

Leva nas águas as grades
de aço e silêncio forjadas
deixa soltar-se a verdade
das bocas amordaçadas

Lava bancos e empresas
dos comedores de dinheiro
que dos salários de tristeza
arrecadam lucro inteiro

Lava palácios vivendas
casebres bairros da lata
leva negócios e rendas
que a uns farta e a outros mata

Tejo que levas as águas
correndo de par em par
lava a cidade de mágoas
leva as mágoas para o mar

Lava avenidas de vícios
vielas de amores venais
lava albergues e hospícios
cadeias e hospitais

Afoga empenhos, favores
vãs glórias, ocas palmas
leva o poder dos senhores
que compram corpos e almas

Leva nas águas as grades
de aço e silêncio forjadas
deixa soltar-se a verdade
das bocas amordaçadas

Das camas de amor comprado
desata abraços de lodo
rostos corpos destroçados
lava-os com sal e iodo

Tejo que levas as águas
correndo de par em par
lava a cidade de mágoas
leva as mágoas para o mar

14 comments:

Sérgio Ribeiro said...

Bem metido!
... deixa soltar-se a verdade das bocas amordaçadas!

Grande beijo

Memória de Elefante said...

"Leva nas águas as grades
de aço e silêncio forjadas
deixa soltar-se a verdade
das bocas amordaçadas"


Lindo, não conhecia!

Um beijo

quicas said...

"Tejo que levas as águas
correndo de par em par
lava a cidade de mágoas
leva as mágoas para o mar..." - Tão antigo, tão actual...! Adriano, sempre, hoje com ontem, um grito de revolta!
beijinho

salvoconduto said...

As águas revoltas correram avenida abaixo...

Abreijos.

Laous said...

premonitório
tornou-se uma prece este poema do Adriano...

ainda estávamos muito longe de entender as entre-linhas e o Tejo ainda era o rio maior que o da "minha aldeia"

abraço

Fernando Samuel said...

Muito oportuno - depois daquela manifestação...

Um beijo grande.

Violeta said...

Precisamos muito de águas que lavem este país...

Justine said...

Adequadíssima canção!

Maria Fernanda said...

Olá, Maria

O nosso Adriano!
Também tenho andado a remexer no baú.Retrocedemos trinta e seis anos... tanta luta, tanto sacríficio, tanta esperança...

Bjs

Rosa dos Ventos said...

Lava a cidade e o país!
É sempre bom ouvir Adriano!

Abraço

A.S. said...

Maria...

É chagada a hora de voltar a cerrar fileiras! É esta a nossa sina... ou será missão?


Beijos
AL

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.

Boa semana e beijos a todos.

Duarte said...

Enche-me o peito, chega-me à alma.

Abraços

Joao P. said...

Maria:

Outra canção da minha vida. Estudava em Coimbra e o Adriano era a minha companhia de estudo e de lazer.

Obrigado

João