Tuesday, July 06, 2010

Espero

Anoiteço-me na angústia da tua ausência.
Mas ainda te espero.
Vazio ficou o teu lugar junto do meu corpo.
O teu cheiro permanece nos lençóis onde me deito.
Mais uma vez.
Porque ainda te espero.

Sabes que te vou esperar sempre.

28 comments:

Pitanga Doce said...

Maria, a espera confunde. De tanto esperar passamos a achar que não vale a pena. Não deixa de ser uma defesa.

boa noite Maria (Verão para ti)

Paula Barros said...

Ausências que angustiam. Ausências que preenchem espaços vazios. Ausências que latejam no corpo, na alma, na mente...
Ausência tão presente.

beijo

Leticia Gabian said...

Os cheiros ficam sempre.
Acompanham a gente, como se fossem sombras que levamos a todos lado.

Espero que sim, Maroca!

Beijos imensos, AICeT!

Fernando Samuel said...

Quem espera sempre alcança?...

Um beijo grande.

Manuela Freitas said...

Olá Maria,
Quem espera sempre alcança ou quem espera desespera?
Eu espero que numa tua vinda aqui para o Norte, tenhas um tempinho para ir almoçar comigo!...
Beijinhos,
Manuela

avezinha said...

Se um grande amor é correspondido vale a pena esperar. Entretanto há que viver com as recordações...

Beijos

Apenas eu said...

Como eu gostava de esperar assim...
mas dentro da minha brutalidade disfarçada, não espero nada, nem ninguém, só faz falta quem está...

queria tanto ter isso dentro de mim....

beijos Maria

Filoxera said...

Deito-me na saudade do teu carinho.
Espero-te. No vazio da cama que me acolhe, embalada pelo cheiro que deixaste.
Mais uma vez. E a espera é hoje, e amanhã, e sempre.
Porque na minha vida há um tempo que será sempre teu.

Beijos, amiga.

Cris Caetano said...

Só se espera pelo amor verdadeiro... isso eu já aprendi. :)

Beijinhos, Maria.

A.S. said...

Quanto maior for o tempo de ausência, mais intenso será o momento do reencontro!

BeijO, Maria!
AL

salvoconduto said...

Todos nós esperamos. Aquilo pelo que esperamos é que pode ser diferente.

Alguns de nós porém muitas vezes não sabemos ou não soubemos esperar.

Jaime Piedade Valente said...

Maria:

Gosto muito de a ler. Gostava que a Maria, com sua grande sensibilidade e perspicácia, escrevesse algo sobre Guillermo Fariñas. Sabe quem é? Um jornalista heróico em greve de fome para defender a liberdade face à ditadura cubana!
Escreva Maria, escreva!

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, belo texto...Espectacular....
Beijos

pedras contra canhões said...

http://letrasigneas.blogspot.com/2010/04/sem-titulo_18.html

Maria said...

Jaime Piedade Valente

Por enquanto quem decide o que escreve ou publica neste blog sou EU!
E aqui encerro o assunto.

IMaria said...

muito bonito. se pretendes esperar,espera sem cansares, mas fá-lo de sorriso na boca.

Rosa dos Ventos said...

É uma espera mútua...

Abraço

Vanda Paz said...

Beijo

(sem espera)

clic said...

Xiiiiiiii, sempre é tanto tempo!... :)

Só Eu (Ricardo) said...

Olá Maria.
Que esse sempre seja breve, tão breve quanto mereces.
Beijo-te com carinho (e muita admiração)
Ricardo

Lídia Borges said...

Tão bonito, Maria!
Há ausências que sabemos sempre temporárias, pelo que, as esperas nunca serão vãs.

Um beijo

ausenda said...

Vale a pena Maria!

Beijo

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.

Beijos.

Maria said...

Lídia Borges

Não consigo comentar no teu blogue. Espero que vejas este mensagem, já que não tens mail...
É uma questão de caixa de comentários 'abaixo do post'. Se pudesses mudar...

Obrigada.

JIM said...

Maria

"Sempre" é mais do que a própria eternidade.
É caminhar sobre os passos que se deram. É percorrer um caminho que comhecemos desde o inicio dos Tempos.

Paz e Luz no teu caminho.

Ana said...

Essa é a força do verdadeiro amor ... esperar para além de todas as angústias !

Gosto tanto das tuas palavras que gostava de ter sido eu a escrevê-las :-)
Um beijo grande, Maria !

Jaime Piedade Valente said...

Maria:
li a resposta que deu ao meu comentário e creio que não a percebo. Fizeram-lhe uma crítica e a sua resposta é (mais coisa menos coisa): este blogue é meu e eu é que decido o que aqui se escreve...
Maria: a sua resposta é incorrecta, quer eu esteja certo quer eu esteja errado, pois a sua resposta é uma forma de censura.
O modo como a Maria respondeu é uma maneira desastrada e contraproducente de defender as suas ideias. Não é capaz de fazer melhor? O lado esquerdo da vida não é melhor do que isto??? Maria...

pedras contra canhões said...

jaime, permita-me que lhe diga que a sua argumentação é um tanto ou quanto imbecil. Está portanto a querer dizer-me que se eu for ao seu blog pedir-lhe para escrever um texto sobre a voz de plutão e o sr decidir não o fazer, está censurar-me? Ora bem, então se um Governo pedir (com muito jeitinho e educação) à comunicação social para escrever umas peças laudatórias à sua acção política e esquecer por instantes os seus erros, e a redacção do dito jornal se escusar a fazê-lo, está a censurar. Bonita concepção sobre liberdade. Ah, aproveito para lhe dizer que grande parte do conteúdo do seu blog é uma bela trampa, assim lhe pedindo para que páre de o escrever. Não me diga que não vai parar? Assim estará a censurar-me! quero liberdaaaaade, por favor!