Monday, August 02, 2010

Abraço


Há momentos que teimam em não nos deixar. Momentos que duram anos. Às vezes uma vida. Embora eu não saiba quanto tempo é uma vida.
Há palavras de ti nascidas que são flores que rego todos os dias, para não murcharem. Porque as quero vivas dentro de mim. Vida.
Há abraços que são eternos e são muito mais do que alguém entende. Sentem-se sempre, mesmo quando a distância nos separa.
É um abraço desses que sinto agora, e que te dou também, apertado, de cortar a respiração, de morrer e viver. Como um grito. O que calamos quando os nossos olhares se cruzam.
Sémen puro jorrando de vida por viver. Ainda. Leito feito nós. No grito.

18 comments:

samuel said...

Como um grito... sim.
(e um grito bem escrito!)

Abreijo.

zmsantos said...

Bebo-te, sim, e grito no teu grito.
Morro na tua maré porque se tenho que morrer, não vejo forma mais bela de o fazer.

Fernando Samuel said...

Muito bom!

Um beijo grande.

smvasconcelos said...

Que lindo! Muito do teu grito é por mim partilhado...Há momentos e palavras que não morrem.
um beijo!

tulipa said...

Que lindas palavras sentidas!
Obrigada pela partilha.

Vou estar agora 3 semanas de repouso, com ordens médicas, veremos se consigo visitar mais amiude os blogues dos amigos; tenho que pensar na minha saúde, mais ninguém faz isso por mim.

Fica bem.
Beijokas.
Continuação de dias felizes.

Manuela Freitas said...

Mentalmente podemos andar sempre abraçadas, por quem nos abraçou de uma forma que nunca na vida se vai esquecer!...
Beijinhos para ti,
Manuela

C Valente said...

Saudações amigas

Filoxera said...

Para este post não tenho palavras.
Apenas um aperto cá dentro...
Deixo-te um abraço imenso.

OUTONO said...

Tão simples e tão completo.
Tão sedento e pleno de entrega.
Tão directo e saudoso.
Tão presente e futuro.

Beijinho

OUTONO....tão....sem palavras!

Vieira Calado said...

Retomando o convívio

deixo saudações poéticas.

Licínia Quitério said...

Palavras fortes, sentidas, gritos do mais fundo de ti.

Um beijo, Amiga.

Memória de Elefante said...

Maria!

Tão fielmente adaptam-se as almas destes corpos
que uma em outra pode se trocar
sem que alguém de fora
o percebesse nunca.

Deixo-te um carinhoso e saudoso abraço!


PS:retornei ao blog e estou lentamente visitando os amigos.
Que bom te ler!

Justine said...

Um grito que é uma prece, um poema,um lamento, um cântico. Ao amor e à vida.
Belíssimo

Paula Barros said...

É o estar junto, estar dentro, estar próximo, em alma, em pensamento, em emoção, e as palavras o fio condutor do ser, do ser sentimento.

beijo

mdsol said...

Resta-me deixar-te um ... abraço.

:))

GR said...

Gritas com amor e muita paixão pela vida!

Um texto lindíssimo.

Gd Bj,

GR

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram aqui.

Beijos.

Cris Caetano said...

Ah, Maria...

Beijinhos