Thursday, August 26, 2010

Faltam-me as palavras

Faltam-me as palavras para te dizer o que sinto. Mas basta que me olhes e podes ler-me por dentro. Falta-me o teu corpo para que as minhas mãos te atravessem. Mas faço-me ponte e estarei em breve a teu lado. Falta-me a tua voz para me acordar cedinho ou para o beijo de boa noite. Mas invento-me a cada instante e estás sempre dentro de mim.
Dos rios que navegámos faço margens cheias de árvores e flores e montes cheios de pedras e urze. E desenho-te. Das estradas que percorremos fiz um caminho único, onde passo a passo chegarei ao fim. E sorris-me. Dos mares em que mergulhámos deixo que a natureza os transforme em mantos de mansidão ou de revolta. E amo-te.
Faltam-me as palavras. Faltam-me as mãos. Faltas-me tu. Falta-me tanto...

27 comments:

quicas said...

Não falta a inspiração e... Maria, prosa poética encantadora, esta!
A mim, faltam-me palavras para fazer justiça a este momento... "Mas invento-me a cada instante e estás sempre dentro de mim."
Beijinho

Ana Agarriberri said...

Que lindo! Belas palavras, parabéns. Beeejo,beeejo.

Leticia Gabian said...

Enquanto puderes desenhar as estradas e sorrir, enquanto puderes mergulhar em mantos de mansidão ou de revolta e amar, enquanto não fores ponte de ir para o lado de lá, as tuas palavras hão de nos encher o coração de perfume e cor.

Beijo imenso, AICeT!

Filoxera said...

Só não me faltam as palavras porque te quero dizer que fazes lindamente com as palavras:
Fazes rios, numa corrente deliciosa, cantando uma melodia aquosa.
Fazes mares com cheiro a sargaço, onde navegas a revolta e o cansaço.
Desenhas uma silhueta, com mãos coloridas de poeta.
Inventas-te e recordas momentos, revives sorrisos de outros tempos.
Fazes o milagre do amor, que é, das coisas da vida, a de magia maior.

Beijos, amiga.

bettips said...

Todos os instrumentos
para o trabalho imenso
e necessário.

Faltam as palavras para dizer "amor" de muitas formas: um caudal teu que não se extingue. Diria um mar.
Bj

Cris Caetano said...

Ah, Maria... tu me deixas sem palavras.

Beijinhos

Aníbal Pires said...

Hoje sim, de todo faltam-me as palavras! ou não, para quê procurá-las se esta que tenho aqui traduz tudo o que poderia dizer se outras rebuscasse, Lindo!

BJS

Memória de Elefante said...

Maria!

Esta Falta está transbordando palavras e sentimento .

Senti tua emoção... !

Um beijo

Justine said...

A re-invenção do amor! Dorido, pungente, belo!

zmsantos said...

Penas que carregamos para sempre, que nos moldam e nos fazem aquilo que hoje somos.
Ausências que nem o tempo dilui.

Olho-te, beijo-te e abraço-te. Tanto...

Pedro Branco said...

Pode ser que um dia te sobrem os espaços e chames para ti todo o passado para o abraçar. Como sempre. Pode ser que o céu se abra nos teus olhos em que os rios se confundem com as memórias e depois grites todos os nomes que trazes no peito. Como sempre. Pode ser que o mar te cubra a pele de sargaço (sim, sargaço) para que todos os aromas cheguem às flores e as palavras se cantem como só tu sabes. Como sempre. Pode ser que a noite se junte às chagas que das tuas mãos queimam as paredes e assim as telas se iluminem só para te sentir adormecer. Como sempre. Pode ser que o tempo te dê um beijo no peito e o teu corpo, grávido, trema de encontro a todos nós. Como sempre, Maria. Como sempre... Como. Sempre. Como? Sempre!

Adoro-te.´Já te disse e nunca me faltam palavras para te dizer isso. Como sempre... O resto é paisagem, certo? Eheheheh

Acorda e sorri!!!!

Rosa dos Ventos said...

Um amor sempre presente!

Abraço

Fernando Samuel said...

Belo.

Um beijo grande.

Só Eu (Ricardo) said...

Imagina o que seria se não te faltassem as palavras...
Olá Maria. Regressadinho das Ilhas (Açores) eis-me por cá, agora para ficar mais tempo pertinho da beleza das tuas palavras.
Beijo-te as mãos agradecendo tanto talento.
Ricardo

Vanda Paz said...

e a mim faltam-me as palavras para te comentar...

não te deixes levar pelo tempo, lança-te nesses mares e deixa que a mágoa se dilua, guarda a dor num cantinho e recolhe todos os sorrisos no resto do peito, beija a manhã e a noite no espaço das palavras

Vive Maria!

Adoro-te e abraço-te tanto!

ausenda said...

Não te falta a vontado de amar em pleno, como o mar ama a maré, o vale ama a montanha e como as tuas palavras nos faz amar a poesia!

Beijinho Maria

trepadeira said...

Só quero continuar e ler a tua falta de palavras.
Um abraço,
mário

Manuela Freitas said...

Pode-te faltar tudo, mas tens de sobra uma energia avassaladora para o amor.
Beijinhos,
Manuela

Apenas eu said...

o teu olhar é transparente e lucido tal como tu, as tuas palavras são o reflexo do teu estado de alma ou seja isso lá o que for...
Apesar dessa falta imensa quase do tamanho do mar, a tua força é um furacão.

essa falta não se preenche, mas nós que por aqui passamos, eu que aqui estou agora, deixo-te o calor do meu abraço e aconchego-te a mim.
não são precisas palavras quando te olhamos.

gosto muito de Ti Maria. és uma pessoa muito especial.

João P. said...

Maria:

A mim também me faltam as palavras e a tua inspiração!

Belo

Quanto à msg que deixaste no meu blogue, manda-me por favor as fotos do castanheiro para

oquenoschegapormail@gmail.com não estou seguro de teres o outro...

A resposta será pelo meu pessoal

Muito Obrigado mesmo

João P.

OUTONO said...

Que essa transparência criativa...nunca te falte...
Não sou capaz de comentar mais...apesar de reler mares de leituras...
Beijinho

Baila sem peso said...

E eu estou aqui parada
porque me falta a palavra...
desejo-te de bom, TUDO
para que não fiques cheia de nada...
como se o meu dizer
te pudesse preencher...
enfim...
desejo-te o que de BOM desejo em mim
´tá bem assim? :)

Bom fim-de-semana
Beijos

Paula Barros said...

É uma ausência preenchida de tanto sentimento, que transborda emoção e palavras de carinho.

abraço

heretico said...

arrebatador texto. absoluto amor.
muito belo

beijos

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram por aqui.
Bom fim-de-semana.

Beijos

Ana said...

Se te faltassem as palavras, como podias ter-me emocionado assim?
Beijo, Maria *

Graça said...

"Mas invento-me a cada instante e estás sempre dentro de mim.". Lindo, este teu texto, onde as palavras não faltam ao sentir.

Bom domingo, Maria.