Monday, August 23, 2010

*


Porque insistes? Não te dás conta que a estrada que havia a percorrer já não nos pertence? Que se dividiu em duas de forma irreversível? Porque te ajoelhas e pedes o impossível?
Porque deixaste de gostar de TI?

24 comments:

Paula Barros said...

Maria, uma boa reflexão, quantas vezes não percebemos que o caminho é outro, e que devemos nos amar mais e seguir uma nova estrada.

beijo, boa semana.

Memória de Elefante said...

Maria!

Queremos questionar tudo isso,queremos avançar.Ao contrário do que se pensa, do questionamento pode resultar, em vez de mais confusão, simplicidade.
Sossego e recolhimento para lamber as feridas, alisar os entusiasmos,pentear as emoções,voltar para a vida.

Um beijo

Leticia Gabian said...

"Porque deixaste de gostar de TI?"

É a pior pergunta a se escutar e a de mais difícil resposta para nós mesmos.

Beijão enorme, AICeT!

Justine said...

Gosto da metáfora do caminho...

Rosa dos Ventos said...

Enigmático!

Ana Oliveira said...

Pertinente!

Porquê...

Um beijo

Fernando Samuel said...

Perguntas inquietantes...

Um beijo grande.

mdsol said...

Ai Maria que há caminhos que se transformam em auto-estradas assassinas.

Beijinho

:))))

Pitanga Doce said...

As tres primeiras frases caem hoje como um piano na cabeça.

beijos Maria

Nilson Barcelli said...

Há caminhos que se dividem que mais tarde se vão encontrar de novo mais à frente...
Outros dividem-se definitivamente.
Querida amiga, boa semana para ti.
Um beijo (ainda de Agosto...).

smvasconcelos said...

Por vezes as palavras perturbam... sobretudo quando são belas, quando são "sagitíferas"...
beijo,

Manuela Freitas said...

Às vezes é dificil aceitar realidades que doiem muito, a perda é uma delas e com ela está implícita a perda de uma parte significativa de nós.
Beijinhos,
Manuela

Graça said...

Gostei de chegar aqui. Estive a ler alguns dos teus textos... pertinentes as perguntas deste último. Efectivamente, há quem não perceba que o tempo pretérito é para ficar lá... onde os caminhos se separaram.

Vou voltar, Maria.

Boa semana.

Agulheta said...

Querida amiga.Sempre existem caminhos que é difícil continuar!Desculpa certas ausências,um pouco aos suluços,mas tive dias sem descanço...hoje chove,e ainda bem.
Beijinho

Duarte said...

Ante tudo a dignidade.

Um grande abraço

C Valente said...

Quem não gosta de si, como pode gostar dos outros, a diferença por vezes é salutar
Saudações amigas

Cris Caetano said...

Pois é, Maria...

Beijinhos

hfm said...

Porque... belo!

samuel said...

Duro!

Beijo.

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, belo texto...Espectacular....
Beijos

Sunshine said...

Quando as mudanças não são feitas na mesma direcção, a estrada separa-se...
beijinhos com raios de sol

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram por aqui.

Beijos.

Filoxera said...

Pois, há momentos destes nas nossas vidas.
E a tendência para o impossível em tantas delas...
Beijinhos.

Apenas eu said...

é perfeito. digo perfeito porque é exactamente assim que eu penso.
parece que muita gente perde o amor próprio... como é possivel?
no entanto entendo que talvez seja preciso levar um bom par de estalos da vida para passar a olhar para dentro...

Gosto muito de Ti Maria.
não me canso de te dizer que estas tuas palavras são algo muito especial.

um grande beijinho sempre meu