Monday, September 20, 2010

O teu sorriso

Não me apetece escrever. Atei os dedos uns aos outros e assim não consigo tocar as teclas. Porque não me apetece escrever. Tenho todas as palavras a saltarem-me do peito, mas não tenho o teu sorriso. E sem o teu sorriso não me apetece escrever. Se tu me desses hoje o teu sorriso como o deste ontem e todos os outros dias talvez eu escrevesse. Mesmo que não me lesses, eu escreveria o teu nome e a saudade e o abraço. Assim não me apetece escrever. Hoje não.
Porque não me dás o teu sorriso?

17 comments:

Aníbal Pires said...

Olá Maria
As tuas palavras não deixam ninguém indiferente e não faltarão sorrisos para te soltar os dedos para que as palavras, as tuas palavras respirem livremente.
Nós, Os teus leitores, precisamos delas, das tuas palavras e... sorrimos.
Solta os teus dedos e deixa que as palavras te saltem do peito livres como vento, belas como o voo das aves e o alvorecer no oceano.

Uma boa semana,
BJS

zmsantos said...

Felizes aqueles que têm a escrita dos teus olhos...

Beijos. Mil

trepadeira said...

Sem um sorriso lindo não é possível fazer nada,de jeito.
Eu quero sorrir-te.
Um abraço,
mário

Apenas eu said...

o meu sorriso aqui vai:)
tens sempre contigo o sorriso das tuas palavras.

Muitos beijinhos e um sorriso

Pedro Branco said...

Jorram como fontes, os segredos.
Cobrem-se as pétalas e as cores brilham
Sempre que em sorriso, os teus olhos se fazem mãos
De construir o amor inteiro por entre os silêncios que gritas...
O rio, a corrente, o sal da pele
Esses são o resultado do canto que transformas
Sempre que os teus olhos sorriem assim
Sem nunca parar
Como só as fontes sabem
Fecundas em ti...

Fernando Santos (Chana) said...

Dorme Sobre o Meu Seio

Dorme sobre o meu seio,
Sonhando de sonhar...
No teu olhar eu leio
Um lúbrico vagar.
Dorme no sonho de existir
E na ilusão de amar.

Tudo é nada, e tudo
Um sonho finge ser.
O ‘spaço negro é mudo.
Dorme, e, ao adormecer,
Saibas do coração sorrir
Sorrisos de esquecer.

Dorme sobre o meu seio,
Sem mágoa nem amor...

No teu olhar eu leio
O íntimo torpor
De quem conhece o nada-ser
De vida e gozo e dor.

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"


Beijos

samuel said...

Olha se apetecesse!... :-)

Abreijo.

Fernando Samuel said...

O que (a falta de) um sorriso é capaz de fazer!...

Um beijo grande.

Rosa dos Ventos said...

Eu não vejo sorrisos...porque também não os dou! :-((

Abraço

Filoxera said...

Dou-te um sorriso cansado, mas, ainda assim, um sorriso.
Dois braços ao fim de mais um dia de trabalho, mas que ainda sabem abraçar. E gostam.
Um carinho que cresce com o tempo.
Escreves bem...
Beijo.

smvasconcelos said...

Há sorrisos, em particular, que fazem muita, muita falta... e a sua aus~encia tolhe-nos os dedos e a alma.
beijo!

Memória de Elefante said...

Um sorriso é como o sol aquece e ilumina o olhar.

Tão bonito e tão verdadeiro!

Um beijo

anamar said...

Essa saudade eterna que vive dentro de ti e que tu tão bem sabes exprimir...
Beijinho
Ana

clic said...

Cada sorriso sentido traz de volta essa criança adormecida... :)

BRANCAMAR said...

Seja lá o que isso fôr, (como diz a tua etiqueta), estamos em perfeita sintonia e porque não me apetece escrever vim ler-te...e encontrei-me.

Já colei o link do Pedro lá na frente do Brancamar, bastou espreitar para ver que é mesmo bom, :))

Vou ainda hoje ler melhor.
ainda bem que gostaste do pôr do sol na Foz,é lindo não é?

Beijinhos
Branca

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram por aqui.

Beijos.

Cris Caetano said...

Eu dou-te o meu, mas também queria um sorriso, mas esse se perdeu.

Beijinhos, Maria.