Monday, March 12, 2012

Faltam-me as palavras


Faltam-me as palavras para te dizer o que sinto. Mas basta que me olhes e podes ler-me por dentro. Falta-me o teu corpo para que as minhas mãos te atravessem. Mas faço-me ponte e estarei em breve a teu lado. Falta-me a tua voz para me acordar cedinho ou para o beijo de boa noite. Mas invento-me a cada instante e estás sempre dentro de mim.
Dos rios que navegámos faço margens cheias de árvores e flores e montes cheios de pedras e urze. E desenho-te. Das estradas que percorremos fiz um caminho único, onde passo a passo chegarei ao fim. E sorris-me. Dos mares em que mergulhámos deixo que a natureza os transforme em mantos de mansidão ou de revolta. E amo-te.
Faltam-me as palavras. Faltam-me as mãos. Faltas-me tu. Falta-me tanto...

15 comments:

Manuel Luis said...

Então não falta a imaginação!
Traçamos duas linhas paralelas e caminhemos no mesmo sentido.
Um beijo de boa noite.

salvoconduto said...

Faltar palavras não fatam, a questão é colocá-las assim arrumadinhas como aqui fazes.

Abreijos.

viajantes said...

É lindo Maria.

beijinho

Filoxera said...

Pois...
Se essas faltas continuarem a dar origem a textos como este, já têm algo de positivo...
Beijos, amiga.
Um boa semana para ti.

trepadeira said...

Faltam,estão todas no texto.

Um abraço,
mário

mfc said...

Um texto que entra por nós adentro e queremos fazê-lo nosso!
Que lindo!

A.S. said...

Tuas palavras recados
de vida de amor e pranto.
Tuas palavras de encanto
de amor e aconchego
tuas palavras pecados,
ditas soltas quase a medo ...

Beijos,
AL

bettips said...

Quando a falta é ter de habituar à não-presença eterna, é como bater em paredes, de esquinas vivas.
(num nico de net pública onde estou agora) Aprendi que além dos Farilhões há as Estelas... Hoje a Berlenga grande tinha uma coroa de rainha, um nico de sol vermelho.
Se o viste, vimo-lo as duas.
Obg
Beijinho

Pitanga Doce said...

Maria, Há menos de quinze dias me foi "apresentada" a musica POntes Entre Nós de Pedro Abrunhosa;

"E eu e tu
Perdidos e sós
Amantes distantes
Que nunca caiam
As pontes entre nós..."

É assim? Sempre a nos fazermos de pontes? Mesmo com tanto, tanto, mar no meio?

heretico said...

"devoção" muito bela...

beijo, amiga

Nilson Barcelli said...

A ausência, por vezes, deixa-nos sem palavras.
Mas, ainda assim, as tuas palavras são magníficas, já que o texto é excelente.
Maria, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijos.

Mar Arável said...

Mar adentro

Bjs

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.
Beijos a todos.

Ana said...

Tão lindo o teu texto, Maria !

Isabel said...

Obrigada, Maria!!
Sempre que por aqui passo, e agora tão parcas vezes, tu estás cá para me deixares um mimo...
Hoje, vim deixar a minha saudade e encontrei-me contigo resistindo ao mesmo turbilhão de emoções que esse sentimento nos deixa: a Saudade.
Beijinho