Monday, August 06, 2007

Hiroshima


Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas, oh, não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa, sem nada

(Vinicius de Moraes)

30 comments:

joão marinheiro said...

Sabes, este é um dia da memória do horror, nos tempos que andava com a banda cantavamos esta musica dos Secos e Molhados, na voz sempre maravilhosa do Ney Matogrosso.
Abraço daqui junto ao mar das memórias.

Rosa dos Ventos said...

Uma bela imagem para um poema tão chocante pelo horror vivido e continuado a viver...
Abraço

Sérgio Ribeiro said...

Esta foi forte, maria!
Depois e tanta coisa bonita... um murro na boca do estomago.
Os Secos & Molhados! de há tantos anos que 40 já serão.
Mas é preciso lembrar as Hiroshimas (,meu amor...) de sempre e de todas as maneiras. Também desta, em que junta o horror e o belo.
Obrigado.

beijo_T. said...

Por mais idealista que o Homem seja, subsistirá sempre a memória daquilo que em tempos fomos. Este é um exemplo intemporal disso mesmo.

(um sorriso para si)

Fernanda e Poemas said...

Querida Maria, por mais horrenda que seja esta lembrança,
é necesário que não seja esquecida.
Obrigada pelas tuas palavras adocicada com rosas.

BJS

Fernanda

Ka said...

Maria,

Associo-me á tua homenagem! De facto á coisas que não podem ser esquecidas e esta é uma delas...

Beijinho e boa semana

rui said...

Olá Maria

A verdade cruel!

Beijinho

Leticia Gabian said...

E os autores continuam a cometer atrocidades, mundo afora. Quando sofrem represálias.... Posam como se fossem as maiores vítimas indefesas.
Total repúdio aos EUA. Fora Bush!

Beijo, amiga

Sei que existes said...

Não vais acreditar, mas ainda hoje estive a ler este poema para o pôr no meu blog! Venho aqui fazer-te uma visita e vejo que tiveste a mesma idéia... engraçado!...
É um poema muito profundo, que nos devia fazer pensar um pouco mais nas coisas que fazemos.
Beijos

al cardoso said...

Que o mundo nunca esqueca, ainda bem que voce nao esqueceu!

Um abraco do d'Algodres.

bettips said...

Maria lembrada. Sempre! Bjinho

Pitanga said...

Agora imaginei Ney cantando essa música.

abraços e que nunca mais se repita a Rosa.

AnaG. said...

Bonita homenagem, Maria.

Nunca nos devia sair da memória esta data.

Beijitos

viajante said...

E assim também vim aqui parar.
Não nos conhecemos do PALAVRA PUXA PALAVRA ?
Ou não ?
De qualquer modo vale a pena voltar.

E visita tb AZULEJOS.COM

Ana Patudos said...

Poema cantado por Ney Matogrosso como só ele sabe.
O horror espalhado pelos americanos
A impotência de pessoas anónimas que assim desapareceram em massa dum momento para o outro
Um choque para a humanidade...
Um nó na garganta de quem sente ainda hoje este horror em imagens.
Obrigado por lembrares minha amiga
bjo
Ana Paula

Tiago said...

...num espectáculo de parada militar, em que ao céu sobe o fogo dos artífices, falham as palmas, os sorrisos, mas num bis, o silêncio de um chão engolido por o poder de se poder...


um beijo maria

Mar Arável said...

Um dia havemos de ser crianças

rascunhos said...

Essa é sem dúvida uma das datas que a humanidade não deveria esquecer.

SILÊNCIO said...

Maria

sempre, a nao deixares passar estas datas de significado... hoje uma data triste

:((

Beijinhoss

Luis Eme said...

Lindo...

CH said...

Vim também saudar a rosa de hiroshima, sem cor, sem perfume, sem rosa, sem nada...
...
Passando ainda por outras belas imagens trazidas de Salvador, quando da sua estada. Com poemas para acompanhar!
...
Tudo de rara beleza, sim!!!
Um forte abraço do
Carlos

antónio paiva said...

.......

Olá Amiga,

nada digo, porque já não sei mais o que dizer....

(perdoa-me a minha ausência)

............................

Beijo e noite serena

isabel said...

nunca...e chernobyl...e as crianças em cuba...

beijo grande

Maria said...

Vários horrores neste horror que, passados tantos anos, ainda nos dói tanto...
Muito obrigada a todos quantos passaram por aqui.

Beijos e abraços

Teresa Duraes said...

em tempos fui ao museu virtual de Hiroshima onde li a his´tória e os detalhes...

ainda me lembro de tudo. genoicídio.

tenho pouca net. deixo um beijo de fugida

Sérgio Ribeiro said...

Hoje, eu sei porquê, voltei aqui.
Hoje, eu sei porquê, ouvi os Secos e Molhados e o Ney a cantar a rosa de Hiroshima.
Hoje, eu sei porquê, juntei ao nome do Ney o nome do Vinicius de Morais.
Hoje, eu sei porquê... porque não chegava Hiroshima, foi preciso também Nagasaki.

C Valente said...

poema cheio de drama, imagem apropriada
saudações amigas

Maria said...

teresa duraes

Horror...

Um beijo

Maria said...

sérgio ribeiro

Sabemos porquê...

Maria said...

c valente

Obrigada pela visita...