Friday, July 25, 2008

«VIVA LA MUERTE!»

«Viva la Muerte!», era uma das frases utilizadas pelo general fascista Millán Astray para exibir a sua dimensão... humana.
Em 12 de Outubro de 1936, no decorrer de uma sessão na Universidade de Salamanca, Millán Astray enriqueceu a ideia, acrescentando à frase um novo condimento: «Muera la Inteligencia! Viva la Muerte!».
Aí está o que bem poderia ser a palavra-de-ordem do poder capitalista dominante, hoje.

Vem isto a propósito da forma como os jornais portugueses têm tratado os acontecimentos na Colômbia.
Com efeito, lendo-os parece estarmos perante uma tradução adaptada ao tempo actual da frase do fascista espanhol, em que os elogios a Uribe e aos seus homens de mão soam como autênticos gritos de Viva la Muerte! gritados à maneira actual, ou seja, decorados com os habituais enfeites pseudo democráticos - e complementados com a desinformação dos leitores, quer divulgando notícias falsas sobre a realidade colombiana, quer silenciando cuidadosamente os brutais crimes do regime de Uribe.

Por isso aqui ficam mais alguns dados sobre a realidade colombiana nessa matéria, desta vez tirados de um relatório da Amnistia Internacional (AI).
Informa esse relatório que, «em 2007, aconteceram na Colômbia 280 execuções extra judiciais». As vítimas, na maioria camponeses, foram apresentadas pelos militares como sendo «guerrilheiros mortos em combate».
Por seu lado, os grupos paramilitares cometeram 230 assassinatos no mesmo ano de 2007.
Ainda em 2007, estes grupos paramilitares - ligados, como se sabe, ao narcotráfico - «roubaram 4 milhões de hectares de terra a camponeses pobres».

Sempre segundo o relatório da AI, os que se queixam destes crimes à justiça correm sérios riscos, tal como os seus advogados de defesa. Exemplos: Yolanda Isquierdo, advogada de várias famílias vítimas dos paramilitares, foi assassinada no dia 31/1/2007; a advogada Carmen Romaña, que representava vítimas de roubos de terras, foi assassinada a tiro no dia 7/2/2007.

Quanto aos sindicalistas - que Uribe considera serem «elementos subversivos» - são alvos preferenciais da repressão.
Assim, informa a AI, durante as duas últimas décadas, foram assassinados 2. 245 sindicalistas e desapareceram 138 (estes desaparecimentos correspondem, regra geral, a assassinatos) - e 3. 400 sindicalistas estão ameaçados de morte.
Mais de 90% destes casos não foram sequer investigados - aliás, segundo a AI, «mais de 40 legisladores são suspeitos de ligação aos paramilitares»...

Eis, em resumo muito resumido e parcial, um retrato do governo de Uribe - que os média portugueses não se cansam de elogiar e apresentar como um exemplo de governo democrático...

(texto retirado do blogue Cravo de Abril, http://cravodeabril.blogspot.com/)

21 comments:

Maria said...

Porque a desinformação existe neste País, eu digo que é preciso avisar toda a gente.
Aqui ficam alguns dados desconhecidos da opinião pública, pois não interessa aos media nem ao governo que ISTO se saiba....

Tenham o "dia possível", que eu fico com um nó na garganta...

GR said...

"A verdade a que temos direito"

Este texto tem que ter asas, que voe pelo mundo inteiro, sem esquecer a Colômbia!

GR

Sal said...

"É preciso avisar toda a gente"
Daremos o nosso contributo. Estamos cá. Não se livram de nós tão depressa.
Muito boa ideia, Maria! Nada de nós na garganta. A verdade há-de vir a ser conhecida.
beijinho

samuel said...

Multipliquemos, pois, os posts.
"Vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar..." mas é preciso que realmente se veja e ouça e leia.

Abraço

salvoconduto said...

Importante ver o "outro lado", importante o teu post.

Sunshine said...

Vivemos num mundo virado do avesso!
Penso que a humanidade não consegue aprender com os erros do passado e estas situações fazem-me sempre lembrar a contra-informação verificada durante a 2ª Guerra Mundial. Sempre fiquei surpresa em como durante tanto tempo conseguiram camuflar os campos de concentração. Lembro-me do Chile e do derrube de um governo eleito democraticamente para a implantação de uma ditadura com todo o apoio dos Estados Unidos.
A política dá-me nauseas!
beijinhos

EboRâguebi said...

Um homem com o dom de ser homem! Sou um homem, em toda a sua magnitude da palavra! Não me dêem fórmulas certas. Porque eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que tenho que fazer porque vou seguir o meu coração. Não me façam ser quem não sou, não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Acredito no meu amor e nos meus valores pessoais! Falo, faço e assumo! Sou intenso! 100% Homem, 100% Menino, 100% Tudo. Desfaço-me, Mas refaço-me!...Pois Deus está sempre comigo! Sou Audacioso! Corajoso! Ousado! Porque o mundo pertence a quem se atreve!

Leticia Gabian said...

Maroca,
Lembrei de uma certa conversa que tivemos em Praia do Forte, sobre aquilo que passa ou não pelo filtro da mídia, lembra? Os interesses são tão sórdidos que quase não conseguimos alcançá-los.... Mas, já é um bom começo sabermos da existência dos mesmos e dos ardis por trás dos bastidores.... Depois, é só partirmos pro combate (em princípio) em exigência da verdade.

Beijão

Eduardo Aleixo said...

Fazes bem em divulgar estas informações para que a verdade sobre o regime colombiano seja conhecida.
Os povos da América Latina já sofreram muito, ao longo de muitos anos. É fundamental que o mundo livre e democrático saiba a verdade para que se crie uma opinião pública isenta sobre o que se está a passar e pelos vistoa a querer ocultar.
A informação é essencial para que a mentira não alastre e se perpetue, como já aconteceu no passado.
Bom post, Maria, sobre um assunto que estou a acompanhar e a tentar perceber.
Beijos.
Eduardo

BlueVelvet said...

Assustador e revoltante.
Como é possível que não se saiba disto? Que não se fale disto?
Também fiquei com um nó na garganta.
Beijinhos

pin gente said...

hoje estou em dia não
nada me apetece
baixo os braços
calo-me

vim ler-te
e contrariamente ao que devia
a leitura deixou-me ainda mais em dia "não"

beijo, maria

Fernando Samuel said...

A luta continua!

Um beijo amigo.

dona tela said...

Voltei!!

Já tinha saudades.

batista said...

a desiformação, a deturpação dos fatos, o elogio da mediocridade... não são monopólios da imprensa do teu país, infelizmente.
contudo, graças a pessoas de boa vontade, como tu, um vento libertário nos afaga o espírito/consciência.

deixo um abraço fraterno.

Justine said...

Que a informação denunciadora se multiplique! Alguém há-de ler e perceber e mudar. E assim, a pouco e pouco...

Sophiamar said...

Passei para te deixar um abraço e agradecer os comentários. Quanto ao post , parece-me muito interessante pelo que voltarei para o ler com mais atenção.

Beijinhos

Antuã said...

É urgente enviar isto para todos os nossos contactos.

jasmimdomeuquintal said...

Bjocas.
Voltarei em breve.

Ana said...

É necessário divulgar estas atrocidades.
Será possível que tudo isto vá ficar impune?

Cadinho RoCo said...

Vivemos situação muito delicada na América do Sul e o Governo Uribe convive com pressão fortíssima, aí sim, daquilo que não é devidamente iformado, como por exemplo o claro envolvimento do Senhor Chavez com ASFARC e por aí vai. Não há santo nesta questão. Já em termos de informação manipulada, melhor nem estender assunto porque a realidade sul-americana vive sob o manto de enorme articulação regida pela mentira dos opositores de Uribe.
Cadinho RoCo

lisse said...

Sempre achei que é preciso "avisar", informar e partilhar conhecimentos. Mas é necessário estar atento, ver e aprender com o que generosamente chega até nós.
Fiz questão de vir aqui, confessar a minha ignorância, sobre tanta coisa do que aqui é divulgado e dizer de coração aberto- Obrigada!
E também deixar um abraço de admiração e amizade, com a mesma verdade e humildade.