Monday, February 09, 2009

As tuas palavras


Se eu soubesse escrever como tu

e os trilhos me levassem a ti

rasgaria a minha alma, e a nu

deixaria meus olhos por aqui

No silêncio da noite me retiro

e no vai e vem de todas as marés

és tu, sempre tu, que eu respiro

no mar que me vem beijar os pés


Se as tuas palavras me ouvissem

e não me atirassem para a morte

talvez o choro fogo me impedisse

a viagem que faço para norte

41 comments:

salvoconduto said...

Ora aí está, se eu soubesse escrever poemas como tu teria rasgado outros caminhos.

Abreijos

Oris said...

Eu queria saber escrever, como tu..

Beijitos

Catarina Alves said...

:) Maria...

as tuas palavras são realmente momentus de excelência. Pelo que nos transmitem... pelo prazer que nos proporcionam.

Obrigada por partilhares o que sentes. E obrigada pelo teu apoio.

Quando houver um selo dos amigos de excelência, acredita que estarias na minha lista.

Continua a ser como és...

(ñ ralhes comigo hihih, és uma mulher forte, guerreira, e não sei se teria forças para argumentar contra ti )

Bejinho grande

Nani :D

(Ps: para remediar a coisa... eu pago a primeira rodada de ginjinha... as tasquinhas tão ai à porta. hihi )

Menina do Rio said...

Deixo os meus olhos por cá...

Um beijo pra ti

Eduardo Aleixo said...

Mas que palavras não ouvem o apelo do mar em cujas ondas redondinhas tu vens rebolando mansamente? Não estarás tu a exagerar?
O poema é bonito e a foto não o desmerece de modo nenhum.
Boa semana. Bj.
EA

FERNANDA & POEMAS said...

QUERIDA MARIA, BELÍSSIMO POEMA... ADOREI AMIGA!!!
UM GRANDE ABRAÇO DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Delfim Peixoto said...

Tanta melancolia nesses versos... quanta vontade de voar... não sejas árvore ( se fores, morre de pé), sê gaivota, ave no Pensamento e voa, .....
jnhs, do "Nuorte"

Ana said...

Ser poeta é saber escrever como tu sabes...

Beijinho

PreDatado said...

Eu não conheço o "tu" do teu poema mas sei que tu escreves bem.

Pitanga Doce said...

Ainda fujas, estás sempre a espera...eu sei.

Joao P. said...

Maria:

És tu quem respiro

é isso mesmo. é a definição de amor que tantos e tantos procuram experssar

tanta inspiração Maria. Onde a vais buscar?

Beijo

João

A CONCORRÊNCIA said...

Eu não sei escrever como tu, mas sei que os trilhos me levam a ti ...


Beijo grande

pin gente said...

parabéns pelo prémio abaixo. é bem merecido.

estas tuas palavras são belas, porque sabes escrever muito bem. o coração está lá. o teu azul faz-se céu e mar.

agora a brincar - gostei da viagem para norte! quando chegares avisa.

um beijo
luísa

Licínia Quitério said...

Muitas palavras te ouvem na viagem que só tu podes fazer.

Um grande beijo, Maria.

MPereira said...
This comment has been removed by the author.
mié said...

E rasgas e deixas.

e vais. sempre.

O Amor é apelo. é salto. que não te amedronta. Irás sempre.

Maria ilha dos amores, em liberdade de amar.

Um beijo

enorme

cada vez mais gosto.Te

O Profeta said...

Mágnifico...poema...


Doce beijo

escarlate.due said...

se eu soubesse escrever como tu...
ai se eu soubesse...

beijinhos Maria

utopia das palavras said...

Maria

Sabes que eu só podia gostar muito...feito desta maneira!!!

Beijos

Sei que existes said...

Espero que essa viagem seja pra te fazer mais forte e feliz...te leve ao encontro do amor!
Belo poema!
Beijocas

BlueVelvet said...

Se eu soubesse escrever como tu era poeta.
E tu ainda por cima achas que não és:)
Beijinhos

Luis F said...

Amiga que maravilha este teu poema... sabe bem visitar-te e encontrar estes teus momentos.

O meu aplauso.

Com amizade
Luis

Deixo-te um poema de um mestre

Alquimia do Verbo
agora fiquei triste,realmente,
emudeci
o que esta boca sente
quando sorri!
o jardim está sem gente
e anda um vago sonho por aí
quando voltar a minha força ausente
hei-de pensar neste alibi.
Mário Cesariny (1923-2006)

lgb said...

Se eu soubesse escrever como tu...

Fernando Samuel said...

Sim, porque no Sul é que está o sol, é que está o sal, é que está a cal...


Um beijo grande.

Justine said...

Não quero ver esses troncos secos e negros, mesmo sendo belos. Não quero. Quero ver-te fúria de mar, indomável e corajosa!

AnaMar (pseudónimo) said...

Finalmente voltaste. Com as palavras que me faziam/fazem tanta falta.

Um beijo

vladimir da lapa said...

Delicioso.

O Inverno.

O que simboliza para si esta estação do ano?

Apenas eu said...

Se eu soubesse escrever como Tu
saberia falar do amor que sinto...
do mar que olho e não sei explicar...
dos toques e nós que não sei desatar...

Agora a viagem para Norte é linda.
Cá te espero sempre
A minha porta está sempre aberta para ti bem como o meu coração.

Beijos
és uma delicia!

Arabica said...

Maria,


sempre a palavra certa, o mar, o sentir das situações desta forma poéticamente bela...


Beijo e uma boa semana

Vanda Paz said...

Gosto tanto quando escreves assim...tanto...

Beijo

Agulheta said...

Maria! É no silencio de um poema que se escrevem as palavras certas e que se rasga a alma onde ficam os sentidos,adorei.
Beijinho

Filoxera said...

Tu escreves de forma sublime.
E o prémio abaixo só o confirma.
Parabéns!
És uma mulher excepcional.
Com um dom.
Beijos.

Luis Neves said...

Muito boas AS TUAS PALAVRAS
como todas as outras palavras que se lêem no teu Blog
Luis

mdsol said...

Claro que sabes... escrever ... e muito bem!!!
:))

Maria said...

Muito obrigada por terem aqui passado.

Beijos a todos

mfc said...

Sempre o querer, o desejo e o mar!
Uma trilogia perfeita.

Cris Caetano said...

Os poetas escrevem o que apenas sou capaz de sentir. Lindo, Maria, lindo...

Beijinhos

paula barros said...

Não sei como esse "tu" escreve. Só sei que você escreve muito bem.

E rasga a alma de quem ler, diante de tão intensos sentimentos.

abraços

Sofá Amarelo said...

Pode não se saber escrever... mas sabe-se sempre pensar... sonhar... ouvir...

bettips said...

...oiro, canela, marfim ...
Sonho, sim: é a forma de fugir a esta negritude a que chamam "democracia".
A do lixo. Para entreter, quando tanto de bom havia a fazer, a ensinar, a mostrar.
***
Dedos compreensivos, olhares atentos.
A tua poesia vem de naus, a viagem é sempre para o alto!
Bjinho

vagabundo said...

adoro ler o que escreve quem Sabe.

gostei muito.